segunda-feira, agosto 02, 2010

UM DIA...

Um dia,
Você chegou como um vento leve...
Com delicadeza acariciou meu rosto, passeou em meu corpo, fez arrepiar minha pele.
Na fragrância do seu querer naveguei, flutuei e ancorei em você.
A partir daí você se fez inspiração, desejo, paixão avassaladora.
Fez- me acostumar com seu cheiro e seu jeito.
Sua presença, seu sorriso, seu abraço, seu beijo etc..
Coisas que se tornaram minhas em cada nova emoção.
No calor do seu abraço repousei e saciei desejos e desejos, sem limites.
Fiz de você minha mais louca excitação.
Ao mesmo tempo, o fiz minha mais fascinante e suave poesia.
Tudo em você era encanto, mistério.
Loucura nua que me envolvia em cada novo alvorecer...
Somente em você encontrei versos e rimas ímpares que deram sentido e alegria em meu poema.
Em meus momentos de solidão era você o silêncio que ecoava em meu coração.
Ao mesmo tempo, era o grito escondido calado na voz dos meus sussurros de amor.

O tempo passou...
E de repente, hoje, olho tudo ao meu redor e já não sei mais onde lhe encontrar.
Logo você, que sempre guardei com tanto carinho, amor e até mesmo devoção.
Mesmo assim não consegui encontrar o rumo do seu coração.
Revirei o mundo, percorri trilhas, cruzei rios e mares...
Mas tudo foi em vão. Sempre me perdia na indiferença, na distancia, no silencio do seu olhar...
O amor que era feito um cristal lapidado com todo meu amor e carinho.
Hoje, já não tem mais o mesmo brilho.
O tempo empoeirou sua luz e na distancia, só consigo ver um filete opaco de saudade.
A magia dos encontros escondidos perdeu o sabor de aventura...
Deixando dentro de mim o dissabor da desventura.
O ritual de espera, a roupa intima bonita, o perfume no corpo, as carícias...
Ah, tudo isso perdeu o sentido. E numa lacuna profunda vão se escondendo em cada dia.
Até a sua fragrância que era a minha preferida, perdeu a essência... Foi substituída.
Hoje, a fragrância que perfuma sua pele já não me chama e nem me enfeitiça.

Ma em meio a tudo isso tem algo engraçado...
É que aquele mesmo sentimento de amor que me levava as nuvens, dentro da mais extasiante inspiração, continua vivo e presente dentro do meu peito.
Fazendo pulsar forte esse meu coração...
Ah, amor verdadeiro não posso esquecer-me de você!
Posso apagar as lembranças, mas esse Amor que sinto será Eterno, dentro do meu coração.
Talvez, nunca mais ame como amei você.
Por isso você vai sempre estar presente entre as rimas mais suaves da minha singela poesia....
Você, meu amor verdadeiro.
Sentimento mais lindo que em meu coração habitou.
Amor, que se eterniza forte e ardente que fica latente...
Aqui dentro, bem no fundo do meu coração....




Socorro Carvalho

PRODUÇÃO DO FILME TAPAZONAS

Personagens


O núcleo central é formado por cinco estudantes do curso de Jornalismo. Os jovens têm entre 20 e 22 anos.

Vladimir – Líder do grupo. Esforçado. É quem toma as iniciativas. Todos admiram o rapaz pelo esforço e dedicação aos estudos. É o cinegrafista da equipe

Vanessa – Jovem ambiciosa. Será a vilã da história. Ao descobrir o local onde possivelmente está o tesouro dos índios TapaZonas, fará de tudo para convencer os donos do terreno a vender suas terras. Tem grande rejeição na turma da faculdade. Consegue fazer parte da equipe chefiada por Vladimir como assistente de produção.

Kátia – Moça de bom caráter. Também se esforça para fazer um bom trabalho. É companheira. É a repórter da equipe

Érick – É o primeiro a desconfiar das atitudes de Vanessa, a vilã da história. Por isso, vai ser uma as vítimas das maldades da jovem estudante. É o produtor da equipe

Heitor – É assistente de produção. Companheiro e amigo.

O núcleo secundário da história é formado por moradores da comunidade ribeirinha.

Dona Marilda – Dona de casa. Nasceu na comunidade e sempre morou lá. É mãe de Zezinho e irmã de José.

José – Agricultor. Homem trabalhador e honesto. Fará de tudo para não vender a terra onde vive, mas diante dos acontecimentos ameaçadores, acaba vendendo suas terras para o empresário Valdir, irmão de Vanessa.

Zezinho – Jovem estudante. Não se conforma em viver na zona rural. Vai abandonar a família para viver na cidade. Mas, quando os pais decidem vender suas terras e compram uma casa na cidade, a família voltará a viver feliz.

Dona Filó – Moradora antiga da comunidade. Sabe histórias de assustar qualquer um, cercadas por assombrações, lendas e mitos. Será uma fonte de pesquisa do grupo de estudantes.

Outras personagens:

Valdir – Empresário, irmão de Vanessa. Juntamente com a estudante vai usar mecanismo que levarão seu José a vender suas terras na zona rural.

Professor – É quem repassará aos estudantes a missão de produzir um documentário sobre a cerâmica Tapajoara.

Historiador – É quem repassará aos estudantes os primeiros dados sobre a cerâmica produzida pelos índios TapaZonas.

A história também contará com a participação de:

03 Capangas – Vão executar o plano elaborado por Vanessa e por Valdir para expulsar a família de seu José da comunidade ribeirinha.

03 trabalhadores – Serão levados à comunidade por Valdir para fazer as escavações a fim de encontrar o tesouro dos índios TapaZonas.

Rapaz - Que vai ajudar os estudantes a desembarcar no porto da comunidade, e que vai informar Valdir e a Vanessa que a áreas que pertence, ou melhor, pertencia à família de seu José foi levada pelas Terras Caídas.

Obs.: Será necessário usar figurantes na primeira cena do filme, que será gravada em uma sala de aula.

Por: Udirley Andrade ( Produtor de Cinema)

Postagens em destaque

Em entrevista, o Poeta e Compositor santareno Renisson Luis Vasconcelos fala de sua arte e do amor que tem por Nossa Senhora da Conceição

Estamos na semana que antecede o Círio 2017 de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Santarém.  Uma semana intensa de preparativos ...