quarta-feira, agosto 21, 2013

ESTAÇÃO PAIXÃO



A fome que deriva essa sede
avassala meu peito frágil,
transborda desejos,
atravessa as fronteiras
de ilusão.

Doce mistério
tua boca talismã
doce veneno
esse império angelical.

Bicho do mato
que nem sabe da canção
força infinita que me redime
para o abismo da paixão.

Escrevo com esse abandono
mas vens com a força da estação
de repente és o vento
de repente escureces o verão.

Edu Dias

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

UM POEMA PARA ÁMON

Há dez meses... Você chegou!!! Trouxe no riso o estro. No calor O mais lindo poema de amor. Tão pequeno, tão meigo. Porém, forte e...