quarta-feira, fevereiro 06, 2013

ROMÁRIO MARCA UM GOLAÇO INESPERADO



Tenho acompanhado – e aprovado – a gritaria do ex-craque e atual deputado federal Romário (PSB-RJ) contra os gastos públicos na Copa do Mundo e Olimpíadas.

Mas agora tenho outro motivo para elogiar a atuação do parlamentar: foi dele o projeto de lei que prevê a facilitação no processo de importação de material para pesquisa científica.

Hoje, a burocracia é um grande empecilho para a pesquisa científica e tecnológica no Brasil. Grande parte do material é comprada no exterior, e um pesquisador pode ter de esperar até seis meses para que sua encomenda chegue.

Um levantamento feito pela UFRJ em 2010 com 165 cientistas concluiu que 76% dos pesquisadores ouvidos já haviam perdido material de pesquisa por causa de retenção na alfândega e 99% já tiveram que desistir ou alterar uma pesquisa por causa da demora.

O projeto de Romário é simples: os pesquisadores interessados fariam um cadastro no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e poderiam importar material de pesquisa sem passar pela burocracia alfandegária e sem pagar taxas.

Meu pai trabalha com pesquisa científica e está empolgado com o projeto de Romário. Diz que pode significar um avanço enorme para a ciência brasileira e, por consequência, para o país.

O problema é que a proposta ainda precisa ser aprovada pela Câmara dos Deputados.



Tomara que a Câmara apresse logo a votação e não anule o gol do baixinho.
 

PROCURA INCERTA...


Tenho procurado por você em cada esquina que passo...
Nos sorrisos que vejo, nas palavras que ouço!
Até no silêncio, que me consome as incertezas, tenho procurado você.
Na escuridão da noite procuro a luz dos seus olhos, mas não consigo encontrar.
A insônia vem, fico à deriva nesse rio de solidão.
Enquanto você não vem me resgatar...
O frio da madrugada congela meu corpo de saudade.
Procuro você entre meus  lençóis , mas estou sozinha.
Tudo está vazio, incerto, sem sua presença...
O dia amanhece, uma música no rádio me conduz ao passado.
Cicatrizes reabrem-se , sinto meu dia abalado, calejado, deserto.
Calo-me e sigo em   passos incertos...
Memória desgraçada, que não permite minha liberdade.
Implacável destino que rouba  possibilidades...
Sob a luz do sol, tudo é eclipse nesse mundo de ilusões.
Procuro alento, respostas que não consigo encontrar.
Sozinha mergulho no vazio dessa procura ímpar e desvairada.
Risos ao meu redor me incomodam a alma, irritam meu espirito.
Tudo é solidão e silêncio, mesmo  em meio a tantos ruídos.
Meus olhos procuram seu rosto em cada retrato.
Porém, nenhuma fotografia tem os seus traços.
Diante de mim, imagens desconhecidas  não me alegram.
Queria seu rosto, sua pele, seu toque...
Só queria ouvir o som de sua voz, o canto de suas palavras.
Mas sua voz embarga e não me  falas nada.
Desejo vão...
Sonhos se vão...
Imersos  nessa procura incerta e sem explicação
.

Socorro Carvalho


Postagens em destaque

POEMA CABOCLO

Meu amor... Tem cor de alvorecer. Carícia de brisa das manhãs. Cor de pôr do sol. Aroma de cupuaçu... Sabor do bombom de muruc...