domingo, setembro 17, 2006

SONETO DA FIDELIDADE


De tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.


Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento.


E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.



Vinícius de Moraes

MARIA EDUARDA












Maria Eduarda
Como um raio de sol
Você desponta em minhas manhãs
Aquecendo meu rosto com sua candura
Alegrando minha vida com seu sorriso.


Em suas palavras meio incompletas
A doçura do seu encanto lindo de criança
Seu carinho imenso, me gratifica o existir.
Chego às vezes a pensar
Que já éramos amigas em uma outra vida.
Por eu gostar tanto de ti,
Minha pequena
Princesinha.

Na altivez de suas ações
O reflexo perfeito da sua inteligência
Mesmo sendo tão pequena
Peralta, traquina
Tem no olhar firme
A determinação de uma menina linda.

Em seus olhos tão lindos
Vejo a esperança
Afago inocente no sorriso de criança.
Em cada gesto seu
Uma surpresa a encantar-me
A me deixar deslumbrada com suas atitudes.

Ah! Maria Eduarda!
Meu poema é pouco para traduzir seu encanto.
Mas minha alegria é imensa pela sua existência.
Meu coração está em prece
Prece de agradecimento ao Deus bondoso.

Que trouxe você
Embrulhada com folhas de meiguice
Sob fitas douradas de felicidades.
Como um presente lindo vindo do céu!

Parabéns
Dudinha!
Querida amiguinha!
Doce e preciosa semente
Que se fez FLOR no jardim do meu coração.
Amo Você!


Socorro Carvalho



*Dedicada à minha sobrinha MARIA EDUARDA. Neste dia 18 de setembro completa 3 aninhos de vida. É ela que me acorda, cedinho, todas as manhãs com sua graça e inocência. E eu, claro, ADORO!


NÃO SEI...


Não sei... se a vida é curta ou longa demais pra nós,
Mas sei que nada do que vivemos tem sentido,
se não tocamos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser:
Colo que acolhe,
Braço que envolve,
Palavra que conforta,
Silêncio que respeita,
Alegria que contagia,
Lágrima que corre,
Olhar que acaricia,
Desejo que sacia,
Amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo,
é o que dá sentido à vida.

É o que faz com que ela não seja nem curta,
nem longa demais, mas que seja intensa,
verdadeira, pura...Enquanto durar.
Cora Coralina

Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...