sábado, dezembro 03, 2016

PASSOS DE FÉ, NA CAMINHADA COM MARIA...

Foto: G1.Globo
“Ave Maria, cheia de graça”... Bendiga com Seu amor os pés que caminham em devoção. São filhos e filhas que seguem em procissão. Uma multidão fiel que, incansavelmente, vence a escuridão. Há no peito um sentimento. No coração, o pulsar da emoção. Entre cantos e orações, segue a multidão. Um sentimento lindo, divino, enche a alma e se aloja no coração. Em cada olhar uma esperança. Em cada ser, uma gratidão. O amor é bem maior que a distância do caminhar. Com Maria, os pés seguem firmes. O cansaço é inspiração, para seguir em contrição.

A força e união individual se faz comunhão. A fé vai se renovando em cada passo. E ao longo da estrada, a caminhada é poesia que contagia. Maria segue feliz, a acariciar os pés e amparar corpos cansados. Porém, nutridos de graça e fé. Fé na virgem Maria, Senhora da Conceição! As dores se acalmam. O caminhar se energiza com o calor que emana da multidão. E firme, o povo caminha com a Virgem da Conceição.

“O Senhor esteja convosco”... Acompanhando cada fiel que, hoje, caminha com alegria e devoção, pedindo ou agradecendo por uma intenção. São devotos caminhantes, que partilham os passos e a solidariedade. Os passos com quem caminha. A solidariedade de quem espera à margem da estrada, os hidratando com água e os aquecendo com café imantados de amor. E todos seguem juntos unidos pela fé.

“Bendita sós vós entre as mulheres, bendito é o fruto do vosso ventre Jesus”. Jesus que tudo  sabe, conhece cada pensamento e coração bendiga nossa cidade, nosso Estado e País. Abençoe com saúde cada família e encha de paz cada lar. Que Jesus esteja ao lado de Maria em mais essa Caminhada de Fé ouvindo e anotando cada agradecimento, cada pedido, cada arrependimento e reflexão. Que o perdão e reconciliação se tornem a tônica dos passos. Que a misericórdia de Jesus seja o alento de quem está em casa enfermo, ou mesmo esteja em casa rezando por todos. Salve Senhor! Ao Senhor toda honra e gratidão.

“ Santa Maria, Mãe de Deus”, a Vós todo agradecimento pela vitória conquistada, pela saúde recuperada, pela concepção almejada, pelo parto abençoado, pela aprovação e formatura na Universidade. Por tudo, damos graças e louvores. Porém, nada disso seria possível sem a fé em Deus nutrindo a vida. Portanto, obrigada pelo dom da vida e as muitas conquistas e bênçãos diárias que nos edificam.

“ Rogai por nós pecadores, agora e na hora de nossa morte. Amém”. Ave Maria, Imaculada Conceição! Que nossos olhos estejam atentos a sua bondade, Mãe. Que a justiça e a humanidade habite em nós. Afinal, somos humanos, somos irmãos. Que o preconceito, a guerra, a fome, o egoísmo e toda forma de violência não nos desnudem de nossos bons sentimentos. Para que assim, sigamos tementes ao seu Amor, Divina Mãe. Se houver solidão que só nos sirva apenas como um momento de reflexão, jamais de fuga para a autodestruição. Que a fé se multiplique e nos dê todas as certezas que tanto procuramos. Porém, se surgirem   momentos difíceis que possamos contar com o auxílio santo de Suas suaves mãos. Oh, Mãe da Conceição! Somos tão pequenos, tão frágeis diante de sua magnitude! 

“SALVE RAINHA, MÃE DE MISERICÓRDIA tenha piedade de de nós. Pois bem sabemos, que alimentados com seu AMOR seguimos firmes, cheios de fé, graça e louvor...  Amém.




  
 Socorro Carvalho

Foto: G1.Globo ( internet)



quarta-feira, novembro 30, 2016

NÃO HOUVE ESPETÁCULO...

A imagem foi apagada,
A câmera foi desligada.
O grito do gol foi silenciado, antes do final.
O texto virtual foi deletado, sucumbiu com o pensamento.
O teste de transmissão deu curto, os fios foram cortados.
A reportagem ficou só no off, não foi gravada.
A fotografia ficou na câmera, não foi revelada.
A manchete de capa, nem deu tempo para escrever, foi rasgada.
A direção da melhor reportagem, ficou rascunhada.
O destino cessou o tempo, calou sentimentos.
As imagens registradas jamais serão editadas.
O sangue nas veias que dá vida ao jornalismo,
Pintou de vermelho o chão do acaso.
A única adrenalina sentida foi do tombo inexplicável.
A riso deu lugar às lágrimas , a alegria à dor.
Na fatalidade,  não houve  tempo  para  dar o furo.
O microfone ficou sem bateria, deu pane.
A câmera ficou sem brilho, sem foco.
Não deu tempo de coletar a melhor imagem.
Todo o projeto da mente adormeceu
Não teve metáfora para compor o jogo.
Não teve aquele agito da vitória,
Nem a curiosidade da derrota...
O jogo nem começou e terminou.
Sem placar! Sem prorrogação!
Os refletores se apagaram
O estádio ficou escuro...
Ficou tudo confuso, uma enorme aglomeração!
Foi chato! Dessa vez não tinha torcida, nem aplauso!
Não teve jogo! Nem cobertura!
A pauta foi extraviada...
A arquibancada se desmoronou...
Não houve espetáculo!
Dessa vez,  não foram os torcedores,
Mas foram os jornalistas  que partiram.
Trocaram de lugar e paginaram as manchetes no mundo...
Não era essa a intenção, mas Deus quis assim.
E eles foram fazer reportagem no céu!!
Jornalismo é assim sempre a mais pura adrenalina!
É algo de paixão! Coisa do coração!
Um ato feito com ardor!
Morrer em plena missão é morrer por AMOR!


Socorro Carvalho


Imagem  da internet

Com esse  texto,  presto minha homenagem aos colegas jornalistas que faleceram na madrugada de ontem, na Colômbia,  no acidente de avião que levava o time Chapecoense. Fazer comunicação é uma delícia. Cada transmissão é sempre uma nova emoção. Portanto, mesmo que tenha tido muita dor, certamente,  eles morreram na missão e isso já os fez seguirem cheios de alegria e gratidão. 
" Ele parecia desenhar a paisagem com sua câmera" (JN -29/11). Assim é um bom profissional, faz tudo com a alma e o   coração e ontem cada um deu o melhor que tinha em si, a vida.  

MEU RELATO DE EXPERIÊNCIA: MÚSICA PARA ACARICIAR A ALMA...




No sábado( 26), aproveitei a tarde para visitar o Projeto  SEMENTES MUSICAIS   coordenado pela professora e cantora santarena Priscila Castro. Depois de consertar um pequeno ruído de comunicação, enfim, consegui ir até a igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, no bairro da Liberdade. Local onde funciona o projeto que trabalha educação musical e que atende um número de 40 crianças moradoras do bairro e em torno.

Seria uma visita normal  se os participantes não fossem o meu público preferido, crianças e adolescentes!! Então vamos lá! Agora irei contar sobre essa tarde linda que vivi. Uma tarde que já se tornou   inesquecível...

Quando cheguei ao local   já   havia iniciado as atividades. A turma participava de um tempo cultural – educativo por meio da prática da leitura junto com a equipe do Projeto Roda Livro coordenado pelo Ericson Aires. Fiquei só observando a palestra gostosa, que rolava com uma troca positiva feita com uma dinâmica  interação com boas mensagens, interpretação de fragmentos poéticos e leitura de poemas.

As pausas de uma dinâmica para outra, não poderia ser diferente eram feitas com música.   Uma música apresentada pela turminha da escola de música.  Comecei a filmar. Enquanto eles (as) começaram a cantar. De repente, via naquelas vozes um canto de esperança e um encanto ímpar que ia invadindo meus tímpanos e se agasalhando no pulsar acelerado do meu coração.

Sem perceber.. Sentia-me tremer de emoção. Não foi fácil. Mas consegui segurar as lágrimas de emoção e aquele sentimento de paixão, que me aflorarava o peito ao ver aquelas crianças empoderadas pela arte.  Crianças sedentas de conhecimentos, ansiosas por descobertas e que as  encontram  na música, no exercício musical de cada aula. Ufa! Muita emoção misturada em cada sorriso e  gestos  de cada  criança e adolescente, ali presente.

Encerrado esse momento com a leitura foi a hora do ensaio e cada um e cada uma seguiu para seu espaço de aula: flauta doce, teclado, violão, baixo, guitarra e bateria, etc.

Na sala de flauta, crianças  tão pequenas mostraram talento e disciplina no exercício musical tocando nada mais nada menos que  Beethoven, sob as orientações do talentoso professor de música Júnior Castro.

Haja emoção e coração ao ver os pequenos Danilo, Wallace e a pequena Maria, entre outros,  numa só afinação entre música e flauta. De repente, era como se estivesse em êxtase, no deguste de tamanha expressão vinda de seres tão pequeninos. Foi tão bom!!

Apesar de ser uma terapia acompanhar a aula de flauta, fui ver outros ensaios. Dessa vez dos meninos dos teclados. Com dedos tão afinados e disciplinados,  lá estavam eles buscando a batida certa, o toque adequado para melhor sonorização da música. Cheios de entusiasmo seus olhos refletiam um brilho especial que se contrastava com uma concentração sem igual. Enquanto eu observava com atenção e coração acelerado aqueles meninos tão animados e dedicados. Nossa!! Uma terapia deliciosa para uma tarde de sábado!!

Segui minha visita... Dessa vez fui ver os ensaios de violão, bateria, baixo etc. O professor Auricélio estava lá com outra garotada, um pouco maior. Com um sorriso no rosto e um jeito ímpar de interação. Afinava   violões, passava a batida da bateria e ensinava o tom e ritmo certo a ser executado. Uma aula divertida que se fazia canto no riso e solidariedade de um para com o outro. Fiquei lá sentada bebendo cada gole daquele aprendizado tão mágico em cada composição ali ensaiada.

Agora esse protagonismo infanto juvenil sairá dos porões da igreja onde ocorrem os ensaios, todos os sábados,   para uma apresentação oficial!! Isso mesmo. Oficial!!  Como? Através do RECITAL que tem como tema: CANTA A TUA ALDEIA E SERÁS UNIVERSAL. Quando? Dia 10 de dezembro. Onde? No Teatro Vitória. Que horas? 19h:30. Quanto custa o ingresso? O preço simbólico de R$ 5,00 e um livro para montar a biblioteca dos alunos participantes do projeto (o livro pode até usado, mas se for um novo...puxa vai ser bem legal).

 A noite   memorável será o momento em que os meninos e meninas mostrarão à sociedade santarena o resultado da dedicação construída a partir da persistência das pequenas sementes plantadas nos canteiros da arte.

Diante de todo o meu relato finalizo deixando  o convite para você comparecer no Teatro Vitória,  dia 10 de dezembro, às 19h:30. e pagar um valor simbólico de R$ 5,00 (cinco reais + um livro), para que possa conhecer o projeto e se contagiar com os pequenos e grandes talentos de nossa terra.

O poder da música a empoderar crianças e adolescentes através da arte. A iniciativa é da Professora e Cantora Priscila Castro e conta, no momento, somente  com o apoio da Diocese de  Santarém, através da Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro – Liberdade.

Antes de finalizar meu texto. Não poderia  esquecer de contar que todos os sábados, dia das aulas do projeto, a Priscila Castro se desdobra em mil e uma para atender os meninos e meninas que compõem o lindo Projeto Sementes Musicais. E o faz com entusiasmo nos passos  e alegria nos lábios, isso mesmo sem ter condições necessárias e uma estrutura adequada  para o desenvolvimento do projeto. Mas  crê no grande poder de transformação que a música possui e, com essa certeza segue firme partilhando amor com toda aquela gente que enche de inspiração o coração da gente. Ela, no momento, recebe apoio do marido, o Jornalista Raphael Ribeiro. ( Mas sobre esses momentos conto em outro texto)

Enfim, esse é meu relato de experiência vivido no último sábado (26), quando fui  visitar o Projeto Sementes Musicais. Agradeço à Priscila Castro pelo convite e principalmente por me permitir esse encontro maravilhoso com aquela turma que não quero mais perder de vista. Para finalizar reforço o convite que já fiz...

Não esqueça!! Dia 10 de dezembro, no Teatro Vitória, a partir das 19h:30! Compareça!! Vá, leve as crianças, os amigos e faça dessa noite uma noite linda e INESQUECÍVEL!!


Até mais


Socorro Carvalho

CONFIRA ALGUMAS FOTOS:



























Fotos: Socorro Carvalho e Arthur Azulino

segunda-feira, novembro 28, 2016

O COTIDIANO NA UFOPA COM GREVE, OCUPAÇÕES E CALENDÁRIO ATÍPICO


A Decisão do Conselho Superior de Ensino Pesquisa e Extensão sobre o Calendário Acadêmico da UFOPA foi madura porém exige compromissos de todos. É o preço cobrado pela luta, e pela democracia.

No início de seu segundo semestre letivo de 2016, já comprometido com as paralisações de 2015, a Ufopa se viu novamente diante de um quadro conjuntural nacional de lutas, desta vez contra a Emenda Constitucional que reduz gastos públicos primários e afeta investimentos em áreas fundamentais como educação e saúde pelos próximos 20 anos, e modificações no Ensino Médio sem discussões coletivas validadas pela sociedade. Quadro este que tem gerado manifestações, ocupações e greves no Brasil inteiro.

Em Santarém, mesmo que de forma parcial, a ocupação da unidade da Ufopa que abriga o maior volume de atividades administrativas e concentra vários cursos, desde o dia 3 de novembro, afetou drasticamente o cotidiano da universidade. Em seguida, no dia 15, a ocupação se expandiu para a unidade Rondon, que é simbólica por abrigar os cursos destinados a formação de professores, um dos segmentos mais temerosos com o futuro Pos emenda constitucional e pos reforma do ensino médio.
Como em outras universidades federais, a administração superior passou a fazer gestões buscando dialogar com os manifestantes e ao mesmo tempo conter atitudes irrefletidas dos que não concordam com estas formas de manifestação, e exigem o direito de ir e vir, e de terem as aulas quando os professores estejam dispostos a ministrar, mesmo que uma greve tenha sido deflagrada pela categoria por meio da entidade que os representa.

O diálogo mediado pela reitoria em colaboração com os dirigentes das unidades acadêmicas afetadas mostrou-se eficiente quanto a evitar enfrentamentos físicos e acirramento de ânimos entre os diferentes grupos, e em compreender que todos são membros de uma mesma instituição e merecem ser ouvidos, especialmente por terem pontos de convergência na causa geradora das manifestações, discordando porém nos métodos de luta quando estes atingem também as vítimas do problema contra o qual todos desejam combater.

A continuidade das ocupações, somadas com a deflagração de greve inicialmente pelos servidores técnicos administrativos e em seguida pelos docentes, e ao fato da maioria dos estudantes terem se posicionado pela não suspensão do calendário acadêmico Institicional, levou o assunto para ser apreciado pelo Conselho Superior de Ensino, Pesquisa e Extensão, órgão máximo deliberativo sobre esta matéria.

O Conselho é constituído por membros da administração superior, pelos dirigentes das unidades acadêmicas e pelas representações de todos segmentos que constituem a comunidade universitária. Após apreciar exaustivamente a situação, em reunião que se prolongou por dois dias, o Consepe, por maioria, decidiu não cancelar e não suspender o Calendário acadêmico de 2016, apenas reconhecendo sua atipicidade.

O resultado ao qual chegou o Consepe expressa um amadurecimento da democracia, com todas as limitações que ela comporta, mas também com todas as suas virtudes. O principal, a meu ver, foi o máximo respeito às diferenças, e a busca de entendimentos para que os prejuízos não recaiam apenas sobre uns, ou em maior intensidade aos que se colocam na vanguarda da luta contra o que é tido por opressão e injustiça.

Podemos discordar da análise que fazem, dos métodos que utilizam, mas dificilmente teremos argumentos sólidos para contestar que há desigualdades e que elas só são combatidas com posicionamentos firmes que incomodam aos que a produzem e as mantém.

O problema é que temos dificuldade em lidar com essas situações quando elas batem à nossa porta. Nesse momento aparecem os que creem ser possível resolver o impasse com uma proposta iluminada, definitiva e inconteste.

Só que essa proposta não existe, ou não resiste quando submetida ao processo democrático. É até possível uma solução que agrade a um grupo, seja qual for, e que sob a sua ótica seja a melhor, desde que impondo aos demais. Mas neste caso, não seria democrático.O que se obteve no Consepe foi uma Resolução amadurecida, com maximização de empenho para que houvesse respeito a todas as posições, reconhecendo-se que nenhuma é portadora de uma verdade incontestável.

Manter o calendário inalterado seria impossível, uma vez que já tem pelo menos três em andamento.
Não reconhecer que estudantes votaram em maioria pela não suspensão do calendário seria um profundo golpe contra a expressão livre que assumiram; Não permitir aos que deflagraram greve poder exercer esse direito seria desconsiderar tanto a legislação que ampara essa forma de luta quanto a história que nos mostra porque frequentemente temos que recorrer a ela; Suspender o calendário acadêmico traria implicações drásticas quanto a continuidade de pagamento de bolsas e auxílios, assim como a realização de atividades que fogem completamente a nossa margem de negociação, tais como finalizações de prazos para execução orçamentária ou prestação de contas, bem como estágios, bancas de qualificação e defesa, etc.

Por toda a complexidade que é o Calendário Académico de uma universidade, a decisão tomada na Ufopa não é exceção e muito menos em falta de sintonia com outras IFES que estão vivendo contexto similar. Declarar atípico o Calendário é reconhecer suas peculiaridades, é reconhecer direitos, inclusive dos que assumem as diversas formas de luta, e também pactuar um entendimento prévio a ser realizado quando cessar a causa motivadora da atipicidade.

Na prática, a atipicidade garante que as aulas desse semestre sejam mantidas em situações em que estudantes e professor assim desejem; garante ao grevista não ministrar aulas; garante ao ocupante realizar suas manifestações mas sem impedir que as aulas aconteçam por livre opção de professores e estudantes. Mas também deixa claro que esse conjunto de direitos assegurados implica em obrigações, em compromissos, em ônus para todos, em algum momento e de alguma forma. O de maior impacto é, sem dúvida, o processo de ajuste no Calendário de maneira que volte a ter regularidade e uniformidade nas datas de início e término, bem como na realização de importantes atividades institucionais. Isso pode ocorrer a curto, médio ou longo prazo. Mas terá que ocorrer. A atipicidade foi decidida considerando o calendário em curso. O Consepe quando deliberar sobre o próximo calendário letivo terá que debater novamente considerando as diferentes situações. Desta forma, muito provavelmente, quem não parou agora em algum momento vai precisar pelo menos desacelerar. E quem parou terá que apressar o passo, para que ambos voltem a caminhar conjuntamente.

Para isso foi constituído um Grupo de Trabalho no âmbito do Conselho, formado pela PROEN e Dirigentes das Unidades Acadêmicas, para mediar situações que exijam acompanhamento mais de perto pelas pessoas estarem com maior dificuldades em compreender a decisão.

Por fim, a solução pode ser mais próxima ou mais distante dos desejos individuais, mas é a mais representativa do esforço de entendimentos e da prática de democracia que conseguimos. Não é nada simples. Reconheço que é polêmica, que não agrada a todos. Mas penso que merece respeito. Dela poderá no futuro emergir algo superior.


Prof. Dr. Anselmo Alencar Colares

Vice Reitor da UFOPA

domingo, novembro 27, 2016

FELIZ CÍRIO DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO!!!



"A cidade outra vez se embadeira, ganha enfeites de alegres quermesses chega festa de sua padroeira grande ensejo de risos e preces”...

Outra vez é novembro, outra vez é fe
sta, Círio da Conceição!  A cidade fica mais bonita. Os corações mais emotivos.  No peito de cada santareno e santarena se resvala uma grande emoção. Os olhos se nublam de lágrimas, para logo brilhar um olhar e deixar surgir um sorriso de felicidade e agradecimento. Ou quem sabe, apenas um silencio, um momento nostálgico de grande saudade.

Filhos e filhas distantes retornam nesse tempo. As famílias se encontram. Casas, quintais e outros lugares se tornam pequenos diante de tantas histórias, boas recordações e a alegria pelo feliz encontro. Enquanto isso, pousadas e hotéis se enchem de gente. São romeiros e romeiras que vêm partilhar conosco o Círio 2016, em homenagem a nossa Senhora da Conceição.


Hoje, quisera em versos, em rimas poder destacar a e traduzir a alegria que  emana de cada devota(o)  em singelas orações à padroeira do Tapajós. Mulher que nos inspira o amor. Ampara-nos   na dor, Cuida e protege todo nós. Porém, mesmo que procure, não há verso, nem rima perfeita que venha traduzir esse sentimento. Sentimento, que de tão imenso, intenso, transborda escorre pelos olhos e se faz pranto  de  amor. Tradução ímpar  de ardor que aquece cada coração de cada  filho e filha desse torrão chamado Santarém.


Tudo é emocionante quando se trata da Virgem da Conceição. É saúde adquirida. Cura inexplicável. Testemunhos de libertação. Significados magníficos oriundos da fé na Imaculada Conceição. Não é idolatria. Apenas uma forma singular de se fazer chegar a Jesus através de Maria. Se à mãe pede o filho atende, com essa certeza seguimos fazendo nossos pedidos e devoções à Virgem da Conceição.
No ar repicam os fogos e artifícios, explodindo a emoção e gratidão por tantas bênçãos adquiridas e outras já, futuramente, garantidas. Pois a fé que nos move é muito maior que o problema que nos aflige, quando ao nosso lado temos a presença dessa Santa Mulher.

Outra vez é novembro, outra vez é festa, Círio da Conceição! Santarém está aquecida de fé e amor. Nos pés que caminham sentimentos contidos no olhar de aspiração. Em cada peito um segredo em ato de contrição, enquanto segue a procissão.

No coração de cada caminhante pedidos suprimidos, escondidos mas sempre ouvidos pelo Filho de Maria,  que está atento ao pensamento de cada filha e filho. Do peito santareno, certamente, sai um pedido coletivo de paz, nestes tempos de tantas crises e guerras entre nações. Nestes tempos de um mundo confuso, violento e de desagregação. Aos céus elevamos uma oração particular e, certamente, Maria vai estar lá para ouvir cada prece e a Jesus Cristo levar. Portanto, que Nossa Senhora da Conceição abençoe Santarém. Abençoe cada família, lar e cada ser humano seja católico ou não. Que Nossa Senhora da Conceição abençoe as crianças de nossa terra as protegendo  com abrigo, carinho e proteção.

 Que o AMOR e MISERICÓRDIA de Maria  contagie o meu e o seu coração e que esses sentimentos se tornem constantes em cada dia, cada vida e cada coração, santareno ou não! " Salve Rainha Mãe de Misericórdia"... “Hoje aos céus faz subir esse grito, Rogai sempre mãezinha por nós”.


Abençoado Círio de Nossa Senhora da Conceição!!


São os votos de Socorro Carvalho e do Blog Minhas Inspirações!!!

Com versos do Hino da Festa de N.Sra. da Conceição

domingo, novembro 20, 2016

SINGELA POESIA...

Danielle!
Você,  de Deus, recebeu a dádiva de ser mulher.
Ungida,  consagrada, para o dom da maternidade.
Com a doce  inspiração de ser mãe.
Fábio!
Você, de  Deus,  recebeu  a dádiva de ser homem.
Com ela a linda e maior  missão, o dom da paternidade,
O abençoado projeto de ser pai.
Na união de inspiração e missão eis ai a gestação;
Nove meses de espera,
Uma feliz espera,  de doação, felicidade e emoção.
A mãe em seu ventre  agasalha
Seu lindo rebento de amor...
Enquanto o pai é graça e encantamento.
 No interior da mãe e do pai
Bate um coração feliz
Fruto dessa mistura de tantos sentimentos.
Ámon! Anjo de luz a se refletir e transmitir amor.
Pequeno menino, varão da mãe e do pai.
Com sua presença tudo se une e se faz ímpar, singular,
É dádiva, graça, felicidade a celebrar.
Ámon!! Poema precioso
Sua presença tem a rima da poesia,
A alegria dos versos mais lindos
A exuberância da mais singela poesia da vida.

Socorro Carvalho

sábado, novembro 19, 2016

UFOPA realizará Primeiro Seminário de Dissertação do Profletras

“ Ensinar e aprender português” será o tema da conversa de abertura do Primeiro Seminário de Dissertação do Mestrado Profissional em Letras (Profletras) da UFOPA.

A abertura será no dia 21, segunda-feira, às 08h30, com a participação do Professor Dr.  João Wanderley Geraldi, no auditório do Instituto Esperança de Ensino Superior – IESPES.

O seminário do Profletras será apresentado  em duas etapas, a primeira  nos dias 21, 22 e a segunda  nos dias 28 e 29 de novembro.

 A primeira etapa ocorrerá, na próxima semana,  nos dias 21, 22 segunda e terça-feira, aberto ao público e à comunidade acadêmica.

 O objetivo do seminário é  apresentar os resultados das pesquisas desenvolvidas, no período de 2015 a 2016, por nove alunos da primeira turma do Profletras.

PROGRAMAÇÃO 
I Seminário de Dissertação do Profletras da UFOPA

Data: 21 e 22 de novembro (segunda e terça feira)

Local: Auditório do IESPES 

Programação: 21 de novembro:  Turno da Manhã

Abertura: 08h30

9:00 às 10:00 – Conversa ensinar e aprender  Português – com o Prof. Dr. João Wanderley Geraldi

10:00 às 10:30 – Cafezinho

10:30 às 12:15 – apresentação da 1ª Dissertação:

Tema do trabalho: “ Por um ensino de língua portuguesa mediado pelo facebook: uma proposta pedagógica para escola estadual de ensino médio São José (Óbidos) (PA).

Presidente da Mesa: Paulo Henrique Vieira Barros

Mediador: Prof. Dr. Andrei Santos Morais _ UFOPA

 Palestrante Externo: Profª. Dra. Eliane Pereira Machado Soares - UNIFESSPA

Palestrante Interno: Prof. Dr. Edvaldo da Silva Bernardo - UFOPA 


PROGRAMAÇÃO TURNO DA TARDE:

Abertura: 14:00

14:00 às 15:45 apresentação da 2ª Dissertação:

Tema do trabalho: “ O ensino do Artigo de Opinião na perspectiva da Olimpíada de Língua Portuguesa”.

Mediador: Prof. Dr. Luiz Percival Leme Brito – UFOPA

Palestrante Externo: Profª. Dra.  Márcia Ohuschi – UFPA

Palestrante Interno: Prof. Dr. Heliud Luís Maia Moura


16:15 às 18:00 – apresentação da 3ª dissertação:

Presidente da Mesa: Joelma Sá Figueiredo

Título do Trabalho: “ Ensino de gramática : reprovando as práticas  Escolares e inserindo o aluno em seu processo de formação”.

Mediadora: Profª.  Dra. Ediene Pena Ferreira – UFOPA

Palestrante Extemo ; Prof. Dra. Márcia Teixeira  Nogueira -FFC

Palestrante imtemo: Profª. Dra. Cristina Duarte Vaz - UFOPA   


PROGRAMAÇÃO
Dia  22 de novembro  - Turno da Manhã
Abertura: 08:00

08:00 às 09:45 – apresentação da 4ª Dissertação

Presidente da Mesa: Ivanete da Silva Paixão  
      
Título do Trabalho: “ Onde termina a Crônica e começa o Artigo de Opinião, ou vice – versa?

Mediadora: Prof.  Dr.  Luiz Percival Leme Brito - UFOPA

Palestrante Externo : Prof. Dr.  João Wanderley Gerardi - UNICAMP

Palestrante Interno: Profª . Dra. Ediene Pena Ferreira - UFOPA


10:15 às 12:00  – apresentação da 5ª Dissertação

Presidente da Mesa: Mariley Simone Corrêa Tavares

Título do Trabalho: “(In) nadequações curriculares no Ensino de Língua Portuguesa planos de ensino e práticas de ensino de três escolas do município de Santarém – Pará”.

Mediador: Prof. Dr. Roberto do Nascimento Paiva - UFOPA

Palestrante Extrno : Profª. Dra. Mary Elizabeth Cerutti Rizzatti - UFSC

Palestrante Interno: Profª . Dra. Ediene Pena Ferreira - UFOPA

PROGRAMAÇÃO
Dia  22 de novembro  - Turno da Manhã

 Abertura :14:00

14:00 ÀS 15:45 – apresentação da 6ª Dissertação

Presidente da Mesa: Edilcilene  da Silva Albarado  Pinto

Título do Trabalho: “Histórias para contar Histórias: A Oralidade como Objeto de Estudo na Escola”.

Mediador: Profª. Dra.  Ana Maria Vieira Silva

Palestrante Externo : Prof. Dr.  João Wanderley Gerardi - UNICAMP

Palestrante Interno: Prof. . Dr.  Lauro Roberto – UFOPA


16:00 às 17:45  - apresentação da 7ª Dissertação

Presidente da Mesa: Lena Raimunda  Paxiuba Soares

Título do Trabalho: “ O ensino de Português: por meio de textos:  implicações de uma  metodologia proposta para ensino da prática de linguagem”.

Mediador: Profª. Dra.  . Ediene Pena Ferreira – UFOPA

Palestrante Externo : Márcia de Teixeira Nogueira - UFC

Palestrante Interno: Prof. Dr. Roberto do Nascimento Paiva - UFOPA

 Socorro Carvalho
Com informações da UFOPA


sexta-feira, setembro 30, 2016

GEPES REALIZA MESA REDONDA COM O TEMA: “SISTEMA TRIBUTÁRIO NACIONAL”

O Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação de Surdos - GEPES  da Universidade Federal do Oeste do Pará – UFOPA realiza mesa redonda com o tema: “Sistema Tributário Nacional”
Pretende-se nesse evento, abordar o sobre o Sistema Tributário atual do País, a partir de ações inovadoras com o uso da Língua de Sinais – Libras permitindo, com isso, que pessoas surdas possam ter acessibilidade a aquisição de conhecimentos sobre a temática.
Para debater o assunto, foram   convidados três   palestrantes:
Lucilene  Marinho Lopes – licenciada em Letras, com especialização em Linguagem e Educação Fiscal – faz parte do Grupo Municipal de Educação Fiscal, servidora da Receita Federal do Brasil; Sara Silva – Licenciada em Matemática, com especialização em Gestão Financeira, servidora da Secretária Municipal de Esporte e Lazer – Grupo Municipal de Educação Fiscal; Alcino Moisés Pinho de Sousa – licenciado em Pedagogia, Especialista da 5ª Unidade Regional de Educação – 5ª URE – SEDUC e membro do Grupo de Educação Fiscal.
O evento ocorrerá na segunda feira, 03 de outubro, às 15h, no Campus Rondon da UFOPA – bloco H, sala HA1. É gratuito, aberto ao público em geral com carga horária de 3 horas e emissão de certificados.
Esta iniciativa é a primeira ação do Projeto “Educação Fiscal numa perspectiva Inclusiva” resultado da parceria firmada entre GEPES/UFOPA e o Setor de Educação Especial da Secretaria Municipal de Educação de Santarém - através do EJA/Inclusivo.
O objetivo geral do projeto é a produção de um material sobre educação fiscal em Libras, para a comunidade surda ter acesso e poder entender e usufruir de forma mais consciente dos seus direitos enquanto cidadãos (ãs).

Informações/ Entrevistas:
GEPES - Professora Dra. Eleny Brandão Cavalcante (93) 99124 - 4678
SEMED – Professor Esp. Alcindo Moises Pinho e Sousa (93) 99208 - 0591




                                                    Por Socorro Carvalho 
( Bolsista de Monitoria do GEPES)

                                                    Foto: google

domingo, setembro 18, 2016

SE ESTAMOS JUNTOS...

Longe um do outro
Somos indefesos às tristezas,
Indiferentes ao existir...
O tempo não tem brisa,
A paisagem perde a cor,
O sol fica sem calor...
O sono se perde na solidão,
A madrugada se torna pequena para tantas lembranças...
 Distantes, tudo em nós é solidão
O meu, o teu olhar não tem direção, se estamos distantes.
Mas se, de repente, vens ao amanhecer,
O sol vem aquecer,
A brisa volta refrescante,
O sol nasce cheio de luz e calor...
Tudo é mais bonito junto do teu amor.
Se estamos juntos...
Meus olhos se encantam
Teus olhos se alegram...
Nosso olhar é uma doce festa...
Meus lábios são sorrisos diante de tua presença,
Teu sorriso é felicidade diante da minha presença.
Se estamos juntos...
Compomos a sintonia, a alegria da vida...
A mais perfeita rima de amor.


Socorro Carvalho

Foto: Alciane Ayres - Jornalista santarena - Alter do Chão



sábado, setembro 17, 2016

REFLEXÃO: SOBRE A BREVIDADE DA VIDA - POR PRISCILA CASTRO

Ontem quando soube da morte trágica e repentina do autor Domingos Montagner, não tive como não lembrar da minha tia Carmem que nos deixou há 03 meses vítima de um aneurisma maldito. Lembrei dela de imediato, primeiro pq ela estava ótima em um dia, tínhamos saído pra um churrasco todos juntos e noutro ela nos deixou repentinamente, sem avisar, sem dar tempo de dizermos a ela o quanto nós a amávamos. E outra, pq ela era apaixonada por ele, assistia todas as novelas e ficava suspirando por ele (ele era lindo, tesão, bonito e gostosão) rsrs. 


Quando ele fez cordel encantado, eu morava do lado dela, como era novela das seis assistíamos todos os dias juntas e tomávamos o café da tarde. E nossa, fiquei imaginando a reação da tia se soubesse desta fatalidade tão derradeira e como ela ficaria arrasada. Eu chorei ao assistir o depoimento do pai da Camila Pitanga que relatou o desespero da filha ao tentar salvar seu amigo e o quanto ela fez força pra não soltar a sua mão, mas não conseguiu... Que Deus conforte o coração da família deste ator lindo e talentoso, quem sabe ele e minha tia não se conheçam lá no outro plano, seria lindo, posso ver o grito dela ao ver ele chegando.rsrs 

Que ano é esse cara? Quantas tragédias. .. que 2016 mais esquisito, quantas coisas tristes, como a vida é passageira, efêmera, não somos nada realmente, a vida é um sopro. Temos sim que dizer todos os dias a quem amamos o quanto amamos, temos sim que viver cada dia como se fosse o último, pq ele realmente pode ser. A intensidade deve sim ser a palavra de ordem e se tem algo que eu aprendi neste ano difícil foi isso, não ficar fazendo muitos planos e nem deixando pra amanhã o que posso dá um jeito de fazer hoje.


 A Perda de nossos entes nos serve de reflexão (pelo menos deveria), para repensarmos sobre nossa pequenez diante da grandeza do poder de Deus. Estas partidas precipitadas escancaram o quanto perdemos tempo com pequenas coisas, quanto deixamos em segundo plano uma visita a um amigo, um cafezinho com a mãe, com nossa vó, o quanto gastamos energia com sentimentos ruins e egoístas. Nem tive como não fazer esta relação, pq a perda é recente e este interrompido dói todo santo dia pra todos de minha família. Acho realmente que nós precisamos aprender a viver mais e ser melhor a cada dia e que os desígnios do cara lá de cima são muito maiores de que nossa insignificância!

Por Priscila Castro ( Professora e Cantora santarena)
(Texto copiado da página do facebook da Priscila) 
A foto é da net