quinta-feira, dezembro 20, 2007

OI, MEU ANO AZUL...

São quase 23 horas...
Ainda estou aki, diante do computador, trabalhando!(Cansada à beça)
Mas tenho uma responsabilidade a cumprir e preciso terminar, ainda hoje!
Não tenho muito tempo, mas mesmo nesse pouco tempo, tirei uns minutinhos pra você...
Pra dizer que você é muito especial em meu coração!
Pra dizer que você é minha grande e gostosa inspiração!
Pra dizer que seu sorriso me fascina!
Pra dizer que adoro sua companhia!
Pra dizer que seu olhar me enfeitiça os sentidos!
Pra dizer que seu perfume embriaga minha razão!
Ah, pra dizer também, que além de tudo isso...
Você é o único dono do meu coração!!
Por isso Te Amo com tanta paixão...

Tenha um ótimo dia!!

Beijosssssss!!

Socorro Carvalho

SENTIDO DO NATAL


O Natal está chegando e com ele uma torrente de mensagens,
na maioria das vezes,
vazias e ocas.

Tudo acontece como se fosse numa festa de aniversário
com o aniversariante ausente.

Brilho não falta.
Presentes também não.
O Papai Noel se desfila a exaustão diante de nossos olhos.
Alguns fastiados das musiquinhas
e avalanche de consumo procuram se abrigar de tudo
em lugares mais silenciosos ou distantes da natureza.


Mas, é difícil fugir da febre consumista de nossos dias.
Não dar presentes,
pode parecer falta de prestigio ou pouca consideração.
A troca de presentes se faz necessária,
sobretudo, para a indústria e comércio.


Diante disso, nos perguntamos:
- Como celebrar o Natal sem esse contágio mercantilista?
Como fugir da rota de consumo que nos devora e seduz a cada instante?
É preciso colocar as coisas no eixo.


O Natal celebra a festa de um amor absurdo.
Por ser tão imenso, esse amor rompeu todas as fronteiras conhecidas.
Deus se fez carne,
entrou na nossa história humana com toda a mesquinhez que a caracteriza.
Ele não veio simplesmente para se misturar conosco,
mas para nos elevar à condição de "deuses".


Quem compreender isso e suas implicações na vida compreendeu o Natal.
É normal que todas as religiões
falem de uma forma de encontro entre o humano e o divino.
Mas nunca se ouviu dizer,
que Deus tenha vindo morar literalmente com o homem,
sem deixar de ser Deus.
O Verbo de Deus se fez carne,
diz o evangelista.
Fez-se carne, na carne humana.
Em Maria, a virgem de Nazaré,
o milagre aconteceu.


Ela foi a porção da humanidade,
um resto humano, que na sua fidelidade disse sim a Deus.
Esse sim fez o mundo girar.
A história humana ganhou novo rumo.


O homem que andava nas trevas pode, finalmente, ver uma luz.
O Sol Nascente que veio nos visitar.
De novo vamos celebrar esse acontecimento memorável.
Vale a pena perguntar pelo sentido dele em nossas vidas.
Caso contrário,
após a comilança e bebedeira
só nos restarão cinzas e dores de cabeça.

Desconheço a Autoria

Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...