terça-feira, agosto 26, 2008

DO MEU JEITO, COM MINHA REBELDIA....


ETERNO


Muito se poetizou sobre o amor
Declamado em prosa e verso
Amores de todos os tipos
brejeiros, malandros, divinos
Polemizou-se a questão
Amor não é teoria
Amor é prática
Entregue às intempéries
Nas ventanias do cotidiano, fortifica-se
Confundido talvez,
com sentimentos fugazes
Amor não é fugidio
É perene...
Tudo passa
Não o amor verdadeiro
Intrincado simmas com um poder avassalador
sobre corpo e mente
Submissão não dicionarizada
pactuada por aqueles que a entendem
Resignação sadia
Não sádica
Sem mensurade valor, peso ou barganha
Define-se por si só
Sem espaço para culpa ou pena
Benditos os que o conhecem
Recíproco ou não
Nunca deixará de ser amor
Eternizado até o fim.
(Leila Soares)

Postagens em destaque

UM POEMA PARA ÁMON

Há dez meses... Você chegou!!! Trouxe no riso o estro. No calor O mais lindo poema de amor. Tão pequeno, tão meigo. Porém, forte e...