terça-feira, novembro 04, 2008

AH, CORAÇÃO!

Esse nosso coração é mesmo surpreendente!
Apronta cada uma em nossa existência...
Faz a gente gostar de quem não gosta da gente,
Bate acelerado por aquilo que não nos pertence.
Grande inimigo da razão
Está sempre em constante confusão.


Quando sente o amor chegar faz-nos sair do chão,
Mistura nossas emoções, nos deixa sem direção.
Maquiavélico, às vezes, pára e de repente
Acaba levando da gente
Pessoas especiais do nosso convívio, gente da gente...


E foi exatamente isso que o coração fez comigo.
Parou bruscamente e calou para sempre
D. Nete amigona do peito!
Ela, uma mulher admirável, guerreira, de fibra, corajosa.
Uma mãe cuidadosa, generosa,carinhosa.
Uma esposa presente, companheira e amiga.
Mas tudo isso passou e o bendito coração de D. Nete
Simplesmente parou.
Justamente numa das muitas viagens que fazia toda semana no rio Tapajós.
No barco da família, Madereiro.


O coração se encheu de sangue, trancou as vias da vida
Acelerou e explodiu em mais um famoso AVC
Acidente Vascular Cerebral,
A queima roupa, sem tempo pra chegar a Aveiro
Voltar a Santarém
Ou quem sabe utilizar a UTI.
E reativar aquele coração...
Mas não deu tempo
E desse jeito frio o coração levou D. Nete
Para a eternidade.

No barco, em meio ao majestoso rio Tapajós,
Fico aqui a imaginar o corre corre de todo mundo.
O desespero de seu Bebé, Nenê, seu Ronaldo
E tantos outros tripulantes do barco...
Sem condições e tempo para salvar aquela grande mulher.
E assim, em sua lida preferida foi embora minha amiga.

Aquela que sempre nos acolhia, eu e meu filho, em seu barco
Com todo carinho e satisfação.
E ao seu jeito cuidava de nós com a maior dedicação...
E agora? Como vai ser nossa ida para Aveiro?
Já não teremos mais
O sorriso e a saudação de D. Nete para nos receber...
Em Aveiro as lágrimas molharam a cidade,
E tudo por lá se encharcou de dor, tristeza e saudade.
Pela partida, sem despedida, de uma grande amiga.

D. Nete viajou e nos deixou.
Hoje meu coração está triste
As lágrimas molham a face,
O pranto me faz derramar tamanha tristeza.

Sabe D. Nete!
Onde estiver pode ter certeza
Que aqui na terra você foi um exemplo de Mulher.

Sem dúvidas o Tapajós vai sentir falta do seu cheiro,
Você vai fazer falta para seus tripulantes e passageiros,
Deixa uma lacuna no peito do seu esposo,
Deixa em desconsolo seus filhos e filhas...
Eu, Pedro, também, vamos sentir sua falta
Principalmente quando formos para Aveiro.

Quando vier o alvorecer já as margens de Aveiro
Quando a brisa leve tocar meu rosto
Vou sentir falta de você,
Falta de você caminhando em minha direção
A indagar :
“ _ E ai Socorro dormiu bem?”
Sempre com aquele sorriso a me cumprimentar...
Nas insistentes vezes que me chamava para o jantar,
Sempre preocupada com meu bem estar
E o bom cuidado com meu filho.

É D. Nete
O remanso do Tapajós vai sentir falta
De você no comando do Madeireiro
Assim como a brisa vai procurar a presença do seu rosto
Para acariciar...
No porto de Aveiro uma lacuna impreenchível já está aberta
Falta você ali com sua alegria e a prancheta da mão
Numa completa diversão a despachar as tantas mercadorias
Que de Santarém levava para seu Raimundo Dentista, Carlão e etc...
E entre risos e risos fazia tudo com muita atenção...
Ah, D. Nete! Será impossível esquecer você...
Quanta saudade já começa a se apossar de nosso peito...

Descanse D. Nete!
E que Deus lhe dê a Paz eterna como travesseiro.
Que Ele, também, lhe receba no céu com a mesma alegria
Com que
Você nos recebia a bordo do Madeireiro.
E esse é o nosso coração traiçoeiro
Faz-nos sofrer, chorar e até morrer...
Ah, coração porque és assim?
Traiçoeiro e tanto nos faz sofrer...
Um grande beijo amiga querida, onde você estiver.
Com carinho da sua amiga que tanto lhe admirava
Socorro Carvalho

Postagens em destaque

UM POEMA PARA ÁMON

Há dez meses... Você chegou!!! Trouxe no riso o estro. No calor O mais lindo poema de amor. Tão pequeno, tão meigo. Porém, forte e...