quinta-feira, junho 04, 2009

O QUE FOI QUE O MENDIGO DISSE?

Estava triste, desmotivado,
Sua mulher havia deixado de amá-lo
Levantou da camae vestiu-se naquela manhã de domingo.
Sem nada para fazer, saiu de casa e andou sem rumo.


Até aquele dia,nunca tinha reparado como era penoso viver sem amor.
Depois de andar durante horas,
sentou-se à sombra de uma árvore frondosa
no banco de uma praça, de cabeça baixa.


Ao seu lado, sentou-se um homem que,
pelo seu aspecto, pareceu-lhe um mendigo.
Quase se levantou para seguir o seu caminho,
mas o sorriso do homem o reteve.


Aos poucos, se estabeleceu um diálogo
e uma animada conversa que se estendeu por horas.
Finalmente, o marido se levantou do banco,
deixando dinheiro na mão do mendigo.


Sua postura já estava diferente.
Agora, com passo enérgico, voltou para casa, tomou banho,
fez a barba e se vestiu com todo cuidado.


Saiu sem dar explicações e sua mulher, que já não o amava, s
e mostrou levemente curiosa com a sua nova atitude.
Voltou à noite, bem tarde.


No dia seguinte, cumprimentou gentilmente sua mulher e foi trabalhar.
Na volta, vestiu um short, calçou tênise fez uma longa caminhada noturna.
Dormiu com excelente disposição.


O dia seguinte foi igual, talvez melhor.


Sua mulher, que não o amava,
e seus filhos se surpreenderam.
Parecia ter perdido a tristeza.


Ganhara uma força e uma elegância
que a família nunca antes tinha notado.
Continuou a ser gentil com a mulher,
mas nunca mais lhe pediu desculpas ou explicações,
nem exigiu que fizesse amor com ele.


Passaram-se semanas.
A atitude do marido continuava firme
e a disposição otimista instalou-se de vez.


A mulher sentia-se cada vez mais intrigada
com a mudança miraculosa do marido
e teve mais simpatia por suas novas atitudes, sábias e moderadas.


Embora ela persistisse em não amá-lo,
ele melhorava seu desempenho como pessoa e como pai.
Agora, os amigos o procuravam.


Era evidente que tinha se transformado num homem sábio.
Quanto a mim, sou um sujeito profundamente curioso,
talvez por ser escritor e fui à mesma praça onde estivera o marido
a fim de procurar o mendigo.


Pude reconhecê-lo imediatamente.


Sem vacilar, sentei-me a seu lado.
Apresentei-me e perguntei o que ele tinha dito para o marido.


Sorrindo, o mendigo me respondeu:
- Ah, lembro…
Não dei grande conselho.
Disse-lhe apenas que, com minha experiência de mendigo,
aprendi que
nunca se deve pedir dinheiro e,
pelas mesmas razões, jamais se deve suplicar amor.
Essas são duas coisas que sempre nos negam
quando as pedimos.
E sorrindo, acrescentou:
- O dinheiro, a gente ganha; o amor se conquista
Não me pediu nada.
Mesmo assim, agradecido, dei-lhe R$ 100,00.




Autor texto Alberto Goldin com a colaboração de Marion F.C. Pereira

AMOR DE VERDADE É ASSIM


No inicio da semana, quando me arrumava pra vir trabalhar liguei a televisão (como faço de costume) e em meio aos toques e retoques ( de todos os dias) fico vendo o programa Mais Você, da Ana Maria Braga.


Nesse dia ela conversava com algumas pessoas parentes de pessoas que já foram vitimadas por acidentes de avião.


Entre os convidados estava um rapaz que tinha um irmão no avião Airbus A330, voo 447, da Air France, que saiu do Rio de Janeiro, no domingo, a noite, com destino a Paris.
E que simplesmente desapareceu no infinito...


Na entrevista Ana Maria volta-se para o tal rapaz e diz:
_ Você tinha um irmão no vôo não é mesmo?

O rapaz olha firme para ela e responde:
_ Eu tenho um irmão nesse vôo.
Meu irmão é um ótimo nadador. Sabe nadar muito bem.
Ele está vivo em algum lugar e vai aparecer.

A resposta do rapaz cheia de fé, esperança e de um amor indescritível silenciou a todos e todas no estúdio.



Enquanto eu (cá distante) ao ouvir tamanha expressão de amor. (Sentimental do jeito que sou) Senti meus olhos molhados de emoção e comoção.


Emoção e comoção de ver e ouvir nas palavras daquele rapaz a essência do amor verdadeiro expresso naquela voz cheia de certeza.
Certeza de um amor tão grande e capaz de transpor barreiras. E o mais importante, acreditar no impossível.( ou quase impossível, se bem que que para Deus nada é impossível) sei lá.
Só sei que foi lindo demais aquele momento.


Ao voltar a dar continuidade ao programa.
Todos e todas estavam ali calados, feito eu, imersos em lágrimas e perdidos diante de tão imensa esperança de amor.


Esse fato me chamou muito atenção.
Mexeu fortemente com minha sensibilidade e claro, com meu coração.
Ao perceber o quanto é magnífica a força do amor fraterno.
Força tão mágica que contagia, emociona e nos faz acreditar nesse amor VERDADEIRO que ainda pode salvar esse mundo tão cheio de falsidade, materialismo, maldade e gente inescrupulosa.


Fiquei a pensar sobre isso. Jamais irei esquecer esse exemplo de amor. E sempre fico a imaginar...
(Como para Deus nada é impossível. )Seria maravilhoso rever aquele rapaz, num outro programa da Ana, mas dessa vez junto do seu irmão o “bom nadador”.

Sei que, esse meu desejo é um tanto utópico, ou totalmente Utópico ( coisas de poeta) mas eu ainda sou do tipo que acredita no Amor, penso que não custa nada e vale a pena.

Principalmente quando se trata de um AMOR PURO E VERDADEIRO.


Socorro Carvalho

Foto: Antonio Ramos
Da janela do avião...

Postagens em destaque

Em entrevista, o Poeta e Compositor santareno Renisson Luis Vasconcelos fala de sua arte e do amor que tem por Nossa Senhora da Conceição

Estamos na semana que antecede o Círio 2017 de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Santarém.  Uma semana intensa de preparativos ...