quarta-feira, agosto 12, 2009

PECULIARIDADE DO AMOR…


AMOR...
uma palavra que muitos dizem ter total conhecimento sobre seu significado,
mas poucos tiveram a sorte de realmente senti-lo e de vivenciá-lo.
Porque ter carinho, se preocupar, querer o bem de alguém não é amar,
isso é apenas uma conseqüência da convivência....


Eu acho que se apaixonar é muito bom sim, pra suprir um desejo, uma carência,
pra estimular a criatividade, afinal, quando estamos apaixonados, achamos que aquele alguém pode se tornar tudo o que sempre quisemos.
A paixão projeta uma expectativa que não possui uma base nem um conceito.
Há uma distancia grande entre o QUERER e o realmente SER.
Muitas vezes o que chamamos de amor é apenas uma nota de uma música
que sozinha torna-se insignificante comparada à composição sinfônica do Amor...


Com o tempo percebemos que o Amor é peculiar.
Que é muito mais do que um simples beijo, um simples gesto, um simples desejo.
O amor não pode ser explicado, ele só pode ser sentido.
O amor só é amor, quando tudo é especial.
Por mais apaixonados que possamos estar, independente do tempo que fiquemos com uma pessoa, a paixão nunca é plena.
É como se houvesse um buraco que precisa ser preenchido,
um estranho vazio injustificável.


Acho que todo mundo já conheceu alguém que terminou um relacionamento
dizendo que, apesar de saber que o seu antigo parceiro seria capaz de fazer qualquer pessoa feliz, apesar de ser atencioso, de sempre ter feito de tudo,
de ser honesto e leal, mesmo assim, não deu certo.
E não deu certo porque faltava alguma coisa, faltava aquela coisa peculiar...


Ainda não nasceu alguém que faça qualquer pessoa feliz....


A história da tampa da panela é verdade!
Existem os que são compatíveis e os que não são.
Ser perfeito para alguém requer uma definição do que a outra pessoa considera perfeito.
O que é perfeito para você pode não ser para mim.
Já tratei o amor de forma racional tentando equacionar atitudes e destrinchar regras sob fórmulas.
Já fui ignorante em achar que se eu fizer isso, ou aquilo, ou se eu for assim ou assado, eu seria capaz de fazer qualquer um feliz.


Já cheguei a achar que para amar bastava apenas duas pessoas se interessarem uma pela outra e que, se ambas estivessem predispostas a fazer dar certo não haveria motivo para dificuldades ou sofrimentos.
Mais um engano singelo da minha parte...
Por mais que esforços sejam concedidos, chega um momento em que aquele defeito antes tolerado começa a tomar força, vai tornando–se maior a cada dia...
E em paralelo, sua paciência e flexibilidade diminuem proporcionalmente.
Nem a paixão, nem o carinho, nem o respeito conseguem superar isso.
E quando o tamanho do defeito e a falta de paciência chegam aos seus ápices,
o “tal” chamado de “amor”, desaparece.


Um dia ouvi a seguinte frase: Os opostos se distanciam e os dispostos se atraem.
De fato, no inicio de qualquer relacionamento abrimos mão de algo, assim como fazemos coisas que com o tempo não faremos mais.


A paixão, infelizmente acaba, e quando a realidade pousa na sua frente, ou você se acomoda e empurra com a barrida as incompatibilidades, ou percebe que depois do desejo, da carência,
da convivência existe o livre arbítrio, descoberta essa que finda muitos relacionamentos.
Estar disposto é um ponto importante, mas não acredito que seja suficiente...


Quando há semelhança nos gostos e nas vontades, tudo pode se tornar mais fácil.
Mas será que isso basta para chamarmos de amor?
Ter carinho, ter cumplicidade, freqüentar mesmos lugares... Espera aí!
Eu posso ter e sentir tudo isso com um amigo... Não posso?
Se fosse assim, todos os casos de melhores amigos que namoram dariam certo,
mas sabemos que não é bem assim...
É nisso que tenho pensado ultimamente....


Qual a peculiaridade do amor?
O que o torna um sonho a ser perseguido todos os dias por todo mundo?
Foi pensando nessa pergunta que descobri o vazio e a lacuna do que,
até pouco tempo atrás, eu chamava de amor.


Eu descobri, que na verdade eu nunca tinha amado até hoje.
O amor só apareceu quando decidi não procurá-lo mais....
Ele me apareceu naquela fase da vida que resolvemos ficar sozinhos,
que assistimos filmes de romance e pensamos que de fato aquele amor só existe lá no telão.
Foi num momento egoísta que aprendi a me divertir com alguém.
Foi deixando de esperar a perfeição e de me cobrar, que aprendi a valorizar características que antes jamais haviam sido valorizadas no outro.

Foi abdicando do sonho de um amor perfeito que recebi como um presente a oportunidade de sentir o sentimento mais lindo do mundo.


O amor não é a perfeição, é apenas um sentimento que te dá o poder da compreensão,
da relevância, de te fazer ceder sem muitas exigências, de perdoar os erros dos outro, seu mau humor.
Descobri que o amor é o acaso predestinado mas inesperado, é o não querer querendo, é tentar fugir desvairadamente do seu destino correndo em círculos
- você corre, corre e corre mas acaba voltando no mesmo lugar.


Amar é sentir a sua vida exatamente igual, mas com um toque diferente.
Você continua com os mesmos problemas, ganhando o mesmo salário, no mesmo emprego...
Mas por outro lado, você se torna feliz com a vida que você tem quando você ama.
Aprendemos a valorizar pequenas coisas.


Que fique claro que não estou falando aqui em se acomodar na vida e não querer melhorar,
até porque, já escrevi nos meus textos anteriores que sou do partido de que se você quer e acredita, você pode!
O que eu quero dizer é que o amor nos faz parar de reclamar de tudo.
E você aprende a viver e a ser feliz com o que tem, sem viver na espera da felicidade,
porque ela já existe.

O AMOR MULTIPLICA AS ALEGRIAS E DIVIDE AS TRISTEZAS, por isso tudo fica mais fácil.Coisas mágicas acontecem quando duas pessoas se amam.
Pensamentos se completam, olhares se entendem, “coincidências” acontecem.
Podemos não ter a mesma paixão pelos mesmos hobbies, mas o amor faz essas diferenças desaparecerem.


Amar é se sentir confortável no silencio, é se sentir ouvido
quando falamos de como foi nosso dia, é ter prazer em estar com aquela pessoa independente de está indo no banco, se está fazendo compras no mercado, se está apenas a vendo trabalhar.


É vê-la dormir, babar e roncar, e mesmo assim se sentir feliz por ela estar dormindo em paz.
Se estão na academia, cada um faz seu treino, mas os olhares nunca deixam de se cruzar.
Amar é incentivar um sonho por mais que não seja seu sonho também.
O amor é incondicional.
O amor sempre agrega!
O amor nunca te tira nada!
Você não deixa de fazer alguma coisa, você negocia pra fazer a vontade de ambos...



Você não faz algo pra alguém por obrigação, você faz por prazer.

O beijo de tchau não significa apenas o ultimo “amasso” antes da partida,
é um beijo de saudade, um beijo de “por mais que eu queira que você fique, pode ser perigoso se você for mais tarde!”.... Isso é amor....


O amor não acontece sozinho e nem em intensidades diferentes.
Ele acontece em equilíbrio.
O amor te faz querer agradar, querer servir, querer brigar pelo bem de alguém.
Quem ama, ama todo dia, mesmo quando não estamos com o melhor humor.
E quando amamos todo dia, há momentos incríveis, há planos, não há rotina e nem comodismo. Quando amamos todo dia percebemos que
A REALIDADE SE TORNOU UM SONHO, E NÃO O CONTRÁRIO.


E acredite, esse é o melhor sonho de todos.
Espero que eu tenha passado mais um pouco de reflexão, que você leitor (a) questione o significado do amor pra você.


Espero que tenha sido fácil compreender que o amor é uma fonte inesgotável de trocas de energia.
O amor não se acha, ele acontece.
Não o procure, pois ele não chegará a você até que esteja preparado.
O amor é muito valioso pra vir numa hora errada e não ser reconhecido.
Por isso temos experiências, por isso sofremos por paixões que acabam de uma hora pra outra. Aquela pessoa com quem nos relacionamos e que não deu certo, acredite, foi apenas uma preparação...


Essa oportunidade que nos foi dada é o momento de errarmos,

é o momento de aprender e amadurecer emocionalmente.
Somos testados pela vida a cada segundo.
Temos nossas escolhas para serem feitas, e quando o amor chegar, o entenda e o trate com peculiaridade.
O amor é um só, não existem tipos de amor.
Ele é único, é o tal amor incondicional entre pai e filho, é os 50 anos de casado com o mesmo brilho e ternura no olhar, é olhar para a namorada de pijama e pantufa
e continuar achando que ela é a mulher mais sexy do mundo, amar é pedir para aquela pessoa nunca mudar.


Quando amamos, admiramos a beleza de um terceiro sem maldade, sem desejo algum.
Um dia me disseram que eu só deveria casar quando não desejar ninguém mais além do meu futuro parceiro.
E que, por mais que eu fosse flertada por uma pessoa bonita e atraente, isso seria indiferente pra mim. Eu acho que o amor de verdade é suficiente.

Bom, espero que este texto no mínimo diminua as desilusões causadas por paixonites agudas, que diminua a ansiedade, a busca incansável do amor....
Não deixe a vida parar enquanto ele não vem.
Espero que este texto diminua aquela mágoa por alguém que não te deu valor.
Aos amargurados eu gostaria de trazer esperança, por que o amor existe!
E ele é muito maior do que achamos que ele é.




Flávia F. Yeger

SOLIDÃO...

Minha alma tem o peso da luz.
Tem o peso da música.
Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita.
Tem o peso de uma lembrança.
Tem o peso de uma saudade.
Tem o peso de um olhar.
Pesa como pesa uma ausência.
E a lágrima que não se chorou.
Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros."

Clarice Lispector

A FORMIGA E O MUNDO CORPORATIVO

Todos os dias, a formiga chegava cedinho ao escritório e pegava duro no trabalho.
Era produtiva e feliz.

O gerente marimbondo estranhou a formiga trabalhar sem supervisão. Se ela era produtiva sem supervisão, seria ainda mais se fosse supervisionada.


E colocou uma barata, que preparava belíssimos relatórios e tinha muita experiência, como supervisora.

A primeira preocupação da barata foi a de padronizar o horário de entrada e saída da formiga. Logo, a barata precisou de uma secretária para ajudar a preparar os relatórios e contratou também uma aranha para organizar os arquivos e controlar as ligações telefônicas.


O marimbondo ficou encantado com os relatórios da barata e pediu também gráficos com indicadores e análise das tendências que eram mostradas em reuniões.


A barata, então, contratou uma mosca, e comprou um computador com impressora colorida.
Logo, a formiga produtiva e feliz, começou a se lamentar de toda aquela movimentação de papéis e reuniões!


O marimbondo concluiu que era o momento de criar a função de gestor para a área onde a formiga produtiva e feliz, trabalhava.


O cargo foi dado a uma cigarra, que mandou colocar carpete no seu escritório e comprar uma cadeira especial. A nova gestora cigarra logo precisou de um computador e de uma assistente (sua assistente na empresa anterior) para ajudá-la a preparar um plano estratégico de melhorias e um controle do orçamento para a área onde trabalhava a formiga, que já não cantarolava mais e cada dia se tornava mais chateada.


A cigarra, então, convenceu o gerente marimbondo, que era preciso fazer um estudo de clima. Mas, o marimbondo, ao rever as cifras, se deu conta de que a unidade na qual a formiga trabalhava já não rendia como antes e contratou a coruja, uma prestigiada consultora, muito famosa, para que fizesse um diagnóstico da situação.


A coruja permaneceu três meses nos escritórios e emitiu um volumoso relatório, com vários volumes que concluía: "há muita gente nesta empresa".

E adivinha quem o marimbondo mandou demitir? A formiga, claro, porque ela andava muito desmotivada e aborrecida.

Tenho certeza que você está pensando: "já vi esse filme em algum lugar!"


Fonte: Autor Desconhecido


Postagens em destaque

VERSOS, PARA MEU NETO...

Um dia você chegou... Trouxe consigo o melhor verso. A brisa que acaricia, O vento que embala. Seu sorriso trouxe o alvorecer.   ...