terça-feira, agosto 17, 2010

CRIANÇA

Sempre conversa sozinha

Com bichos, árvores, nuvens

Lá, do alto do muro faz travessuras...

Ri de tudo até quando apavorada correndo de pombos.



Carretel de linha na mão

Criança, solta a imaginação!

Viaja pra longe nas cores das pipas

Misturadas ao azul e branco do céu.



Criança...

Adora sentir o cheiro da brisa,

Correr pelada assustada pra pular

Na lagoa... Totalmente nua!



Criança...

Conta estrelas sem apontá-las

Isso pode dar verrugas...

Sabia?

Vê filme na cama comendo pipoca

E quando o sono vem,

Reza pra não perder a mãezinha!



Criança...

Dança e corre na chuva

Numa enxurrada de alegria,

Criança é poesia!



Pede para o avião

Trazer um bebê que quase sempre

É entregue na casa errada.



Criança...

Tem cara melada e louças da cozinha

Para guardar. Faz cara feia frente ao espelho.

Ah! Isso é mais que natural.



Criança...

Guarda chiclete na geladeira é mole?

Leva pito sem entender nada,

Come casquinha de sorvete,

Tem medo do escuro, toma sopa

Chupa pirulito fazendo maior barulho...



Criança não ta nem aí!



Criança se emociona fácil, sente

Fácil e guarda tudo na memória

Criança... Faz a história!



Esta criança existe?

Não duvide, ela existe!

E pode ver bruxas e fadas

Mula sem cabeça e saci-pererê

Pela estrada da imaginação.



E só deixa de ser criança

Quando se depara com a maledicência,

A limitação do sonhar... A impossibilidade

De voar... Das pessoas grandes.





Autoria: PCoelho

MUDE



Mude.

Mas comece devagar,

porque a direção é mais importante que a velocidade.

Sente-se em outra cadeira, no outro lado da mesa.

Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.

Depois, mude de caminho, ande por outras ruas,

calmamente,

observando com atenção os lugares por onde você

passa.

Tome outros ônibus.

Mude por uns tempos o estilo das roupas.

Dê os teus sapatos velhos. Procure andar descalço

alguns dias.

Tire uma tarde inteira pra passear livremente na

praia, ou no parque,

e ouvir o canto dos passarinhos.

Veja o mundo de outras perspectivas.

Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.

Durma do outro lado da cama...

depois, procure dormir em outras camas.

Assista a outros programas de TV, compre outros

jornais... leia outros livros.

Viva outros romances.

Não faça do hábito um estilo de vida.

Ame a novidade.

Durma mais tarde. Durma mais cedo.

Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.

Corrija a postura.

Coma um pouco menos, escolha comidas diferentes,

novos temperos, novas cores, novas delícias.

Tente o novo todo dia,

o novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo

jeito, o novo prazer, o novo amor, a nova vida.

Tente.

Busque novos amigos.

Tente novos amores.

Faça novas relações.

Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes,

tome outro tipo de bebida, compre pão em outra

padaria.

Almoce mais cedo, jante mais tarde ou vice-versa.

Escolha outro mercado... outra marca de sabonete,

outro creme dental...

tome banho em novos horários.

Use canetas de outras cores

Vá passear em outros lugares.

Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.

Troque de bolsa, de carteira, de malas,

troque de carro, compre novos óculos, escrevas outras

poesias.

Jogue fora os velhos relógios,

quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.

Abra conta em outro banco.

Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros, outros

teatros, visite novos museus.

Mude.

Lembre-se que a vida é uma só.

E pense seriamente em arrumar um novo emprego,

uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais

prazeroso,

mais digno, mais humano.

Se você não encontrar razões para ser livre,

invente-as.

Seja criativo.

E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,

longa,

se possível sem destino.

Experimente coisas novas.

Troque novamente.

Mude, de novo.

Experimente outra vez.

Você certamente conhecerá coisas melhores

e coisas piores do que as já conhecidas.

Mas não é isso o que importa.

O mais importante é a mudança, o movimento, o

dinamismo, a energia.

Só o que está morto não muda!


Pedro Bial
Composição: Edson Marques

A BELEZA VERDADEIRA

A beleza verdadeira está
 no olhar simples,
no toque  suave,
no sorriso  natural.


A beleza verdadeira está
 na essência que vem da alma em forma de fragrância
e perfuma todo o universo .


A beleza verdadeira está
 na magia e poesia
que a vida nos inspira em cada novo dia.

Socorro Carvalho

QUE CENÁRIO!!

Minha prima Ana Isabel numa das paisagens lindas
que enfeita o cartão postal da cidade de Aveiro.
Paisagem natural, linda, maravilhosa!
Esse olhar  natural e deslumbrante é que inspira versos e poesias...
Ai que vontade de estar, neste momento, apreciando esse cenário mágico.
Linda foto Bel!!
Amei.

Beijos

Socorro Carvalho

Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...