quinta-feira, julho 19, 2012

RARA E FEDORENTA FLOR-CADÁVER ATRAI MILHARES DE CURIOSOS NA ALEMANHA


Breve período de floração da maior flor do mundo atrai milhares de visitantes ao jardim botânico de Bonn. Com altura que pode chegar a 3 metros, planta libera odor de carne putrefata para atrair insetos.
A flor-cadáver ou titan arum, planta tropical que tem a maior flor do mundo, pode ser vista de diversas maneiras. Uma monstruosidade cujo mau cheiro é tão terrível quanto as suas proporções são esmagadoras. Quase uma obra de arte, um buquê estonteante com um chifre de unicórnio no centro. Ou um totem primitivo, um pilar de um deus desconhecido.
Com um ciclo de vida errático, que inclui breves períodos de floração e longos períodos de dormência, a planta atrai milhares de visitantes ao jardim botânico de Bonn, na Alemanha, sempre que floresce. A planta começa a murchar depois de apenas dois dias e, então, gradativamente entra num período de dormência de no mínimo nove meses.
"É algo que talvez eu só veja uma vez a cada cinco anos", diz o visitante Johannes Bergmann. "Realmente vale a pena." O estudante de biologia dirigiu cerca de uma hora e meia desde a cidade de Zülpich no último domingo (15/07) para ver o primeiro dia de florescência do exemplar de tamanho recorde de Bonn.
Bergmann chegou horas antes da planta mostrar sua espata, uma espécie de pétala que engloba a flor. Ele estava entre as dezenas de visitantes que formaram uma longa fila para entrar na estufa úmida que abriga a planta. "É algo que não se pode ver em qualquer lugar do mundo. É realmente extraordinário", diz.
Add caAntes de florescer, a planta
permanece nesse estado por muitos diasption

Grande expectativa
Antes de florescer, a planta permanece nesse estado por muitos dias
A espécie em questão, uma das cerca de 40 do jardim botânico da Universidade de Bonn, alcançou o recorde de altura da flor-cadáver em 2003, chegando a cerca de 2,7 metros. O recorde foi quebrado depois disso, mas a antiga glória da planta ainda parecia envolver a multidão que a veio ver.
Um garoto impaciente cutucou a planta ainda fechada com seu guarda-chuva, mas logo desistiu. Até que, finalmente, a maçante espata foi abandonando sua posição inicial ao redor de uma alta estrutura marrom chamada espádice. À noite, ela exibia sua vistosa flor lilás. Quase ao mesmo tempo, um cheiro pútrido invadiu a estufa.
"Ela acabou de começar a soltar um cheiro muito forte de carniça", disse Michael Neumann, o principal cuidador das plantas da flor-cadáver em Bonn. "Acho que é uma mistura de cheiros. É muito difícil descrever, mas não muito agradável."
A planta exala o cheiro de carne putrefata para atrair insetos como moscas e besouros para a polinização. Neumann descreve a flor-cadáver como um sistema sofisticado em que, durante a floração, a espata libera um odor único, o espádice se aquece a cerca de 37°C, e esse calor espalha o aroma ao longo da flor.
Neumann acrescenta que nas florestas nativas da planta, na Sumatra Ocidental, na Indonésia, onde há pouco vento, o cheiro penetra facilmente nas copas das árvores e atrai insetos de longe. "Funciona como uma chaminé, que empurra o cheiro até o topo do dossel da floresta", diz

O jardim botânico ficou aberto até tarde no domingo, mas fechou quando a planta exalou seu odor mais forte


Paraíso floral
O jardim botânico da Universidade de Bonn é um dos centros mais bem sucedidos na criação da flor-cadáver. Neumann diz que a instituição adquiriu seus primeiros exemplares da Sumatra Ocidental na década de 1930 e teve sucesso em seu cultivo até que o jardim botânico ser destruído, durante a Segunda Guerra Mundial.
O especialista acrescenta que os botânicos de Bonn haviam esquecido esse legado até que um colega chamado Manfred Könen se deparou com alguns arquivos antigos. Könen decidiu visitar a Sumatra Ocidental e trouxe consigo dois novos exemplares da planta em 1986.

O jardim botânico de Bonn
é líder no cultivo da flor-cadáver
   O jardim botânico de Bonn é líder no cultivo da flor-cadáver
Um deles morreu, e o outro é o mesmo que floresceu neste domingo. É a 13ª floração da planta, que, com 2,81 metros de altura, superou seu antigo recorde, mas ficou um pouco abaixo do atual recorde mundial de 3,1 metros – atingido nos Estados Unidos.
"Eu amei a planta", disse o morador de Bonn Mino Ko. "Acho que ela é especialmente interessante por ser rara e a energia dinâmica liberada por ela é muito especial." Bergmann, o estudante de biologia, complementa dizendo que a flor-cadáver é o símbolo oficial do jardim botânico de Bonn. E o especialista Neumann não sabe prever exatamente quando ela florescerá novamente.
Autor: Shant Shahrigian (lpf)
Revisão: Augusto Valente

Fonte: Site DW

Postagens em destaque

Em entrevista, o Poeta e Compositor santareno Renisson Luis Vasconcelos fala de sua arte e do amor que tem por Nossa Senhora da Conceição

Estamos na semana que antecede o Círio 2017 de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Santarém.  Uma semana intensa de preparativos ...