segunda-feira, maio 08, 2017

ERA UMA SEXTA – FEIRA - COM UM FIM DE TARDE DE MÚSICA E ENCANTAMENTO...


Era sexta-feira, final de tarde, fui até a velha casa de Cultura de Santarém encontrar uma colega. Por ter chegado bem antes do horário combinado, sentei na escadaria da Biblioteca (já fechada) e fiquei lá esperando minha colega sair do ensaio.

Enquanto sentia um vento leve batendo em minha face,  observava tudo ao meu redor.  Os carros e pessoas que passavam na avenida Borges Leal, o entra e sai de meninos e meninas com seus instrumentos musicais, o colorido das flores, gramado limpo, verdinho a se recompor etc...


Porém, em meio a tudo isso, algo muito mais grandioso chamou minha atenção. Embaixo de um dos coqueiros que compõem a paisagem, estava sentado um grupo de jovens   formado por meninos e meninas, na sua faixa etária de seus 15 a 17 anos de idade, no máximo. Até ai,   nada de tão esplendido. Natural um grupo de jovens, você deve estar pensando. Mas o legal é que o grupo estava cantando e tocando violão, assim  de um jeito tão bonito. Ali, entregues a arte do canto e da suavidade do violão.


Junto com eles, sabe quem? Quinzinho, músico santareno, pagodeiro dos bons e funcionário público lotado na Biblioteca da Casa de Cultura. Claro, que o Quinzinho já passou da faixa etária citada, mas dentro do grupo ele estava a fazer toda a diferença com sua vasta experiencia musical, tocando e cantando junto com a turma. Por lá, ouvi de tudo, Adoniran Barbosa com seu trem das Onze, Elis Regina , Cássia Eller, dentre outros.


Um repertório ótimo de se ouvir num fim de tarde, música boa, de qualidade. Diga -se de passagem, antes que esqueça,   teve até Marilia Mendonça. Uma das mocinhas pediu  para cantar e o Quinzinho acompanhar. Ela é dona de uma voz linda, mas o Quinzinho se enrolou um pouquinho para achar o tom, mas achou e tocou.  Por coincidência, a mesma música cantada pela garotinha do texto do residencial Salvação. rsrs


Enfim, só um simples detalhe para contrastar meu relato. Pois o que mais quero ressaltar é a beleza da juventude. O encantamento que existia nos olhos de cada um jovem, despidos de qualquer maldade ali sentados a cantar a vida, viver os momentos.


Não me contive e logo pedi autorização para fotografar e após dei a todos os parabéns pela beleza e grandeza daquele encontro. Falei que aquele momento era lindo e que tinha ficado feliz de ver eles e elas envolvidos com a música, uma arte que é capaz de transformar vidas e a sociedade.


Dei meus parabéns ao velho músico Quinzinho, que permaneceu com a turma durante todos os minutinhos que o separavam de outro compromisso, que era tocar nos festejos do aniversário de Belterra. Indagado o motivo de ficar ali tocando e cantando. Ele justificou,  sempre que pode, após o expediente da biblioteca, atende o pedido dos jovens que é de sentar e tocar com eles. Achei massa!! Égua!!!


Um relato simples, que para muita gente pode parecer sem nexo,  mas em meu olhar é de um encantamento inimaginável!! Mais um momento bonito e de inspiração para o meu coração, minha vida. Confesso que sai de lá muito mais rejuvenescida e com mais alegria em desfrutar da vida, (ao meu modo) , mas desfrutando de tudo que a poesia me permite.


Encerro deixando meu abraço e carinho aquela turma mais que linda, da sexta – feira, na casa de cultura!!  Acreditar e potencializar a juventude esse é o ritmo certo para se fazer de cada jovem a letra mais bela de uma música, a VIDA!!!

Socorro Carvalho

Confira as fotos...



O músico e pagodeiro santareno  Quinzinho






Postagens em destaque

DANIELLE LIMA!! PARA VOCÊ, UMA CARTA DO MEU CORAÇÃO... FELIZ ANIVERSÁRIO!!!

Querida filha, Danielle Katrine Hoje, pensei em te fazer um poema!! Rimar versos para te falar do meu amor... Mas como poetizar,...