terça-feira, novembro 07, 2006

A MORTE


A morte é surpreendente
Vem indiscreta e nos leva...
O Coração deixa as emoções
Tudo fica esquecido!
O rosto rosado, empalidece, fica frio
Os sonhos se disperçam
A vaidade já não vale nada.


As marcas, etiquetas...
Já não vestem mais a ilusão
A morte é real
Caminho aberto peã outra dimensão...
O espírito viaja, vai além,
Atrás de Salvação.
O corpo gelado, endurecido
Já não tem estética definida.

Academia, regime, dieta, todos os esforços
Agora são esquecidos.
Entre o aconchego das paredes estreitas
De uma caixa fria
Apenas um corpo inerte ali detido.
Alvo de olhares entristecidos
Molhados por lagrimas de despedida.

De toda a ambição
Nada mais restou
Só um corpo desfalecido
Enquanto ao redor
A platéia chora perplexa
Diante do corpo sem vida.

Na cabeceira
Duas velas acessas
Enfeitam os candelabros da solidão.
Despedida!
É hora de partida!

Fecha-se o caixão...
Desce na cova da agonia!
A terra fica aos poucos
Vai sepultando lentamente...
Todo o orgulho, toda provocação, toda ignorância.
Já não somos nada...
Só a morte é soberana.
Socorro Carvalho



*Poesia inspirada, no dia de finados.
Quando estava ao lado do túmulo de meu querido pai, no cemitério São joão Batista.
Fiquei a observar quantas pessoas estão ali sepultadas.
Então, cheguei a conclusão que não somos nada nesta terra.
E que a morte é soberana diante de tantas pessoas que se julgam superiores as outras.

ORAÇÃO DO RADIALISTA

Senhor,
Faça deste microfone um condutor da verdade.
Mantenha-me firme e sereno
Para equilibrar o meu senso de justiça.
Direcione o meu conhecimento
Para produzir faíscas de esperança.
Não permita que me perca
Pelos caminhos distantes da razão.
Jamais deixe algum sentimento distorcer
A essência do que precisa ser dito.


Senhor,
Ilumine as minhas palavras para que elas carreguem alento.
Conceda-me sabedoria para falar
E bastante paciência para saber ouvir.
Inspira-me com bons pensamentos
E que eu defenda apenas o que acredito.


Senhor,
Mantenha-me seguro todos os dias
Na sinuosa pista da humildade.
Que a minha voz se faça ouvir
Sem frieza nem sensacionalismo.
Livra-me da arrogância,
Do medo, da vaidade e da indiferença.
Evite que usem indevidamente a minha voz
Para prejudicar alguém.
Faça de mim porta voz da cidadania,
Da credibilidade e da isenção.


Senhor,
Impeça que eu induza os pré-julgamentos ou a condenações.
Corrija o meu excesso de individualidade
E me torne mais flexível.
Dá-me firmeza
Para eu não escorregar nas armadilhas da palavra.
Senhor proteja minhas cordas vocais, ferramenta do meu ganha pão.
Proteja Senhor,
A todos os meus ouvintes, razão do meu trabalho.
Amém!
*Homenagem a todos nós radialistas!!
Sem grana, sem sálario apetitoso!
Aos trampos e barrancos...porém...FELIZES!!!!

Postagens em destaque

Em entrevista, o Poeta e Compositor santareno Renisson Luis Vasconcelos fala de sua arte e do amor que tem por Nossa Senhora da Conceição

Estamos na semana que antecede o Círio 2017 de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Santarém.  Uma semana intensa de preparativos ...