quarta-feira, janeiro 31, 2007

NÃO SEI...


Não sei por que te ignoro, às vezes,

Se tudo que mais quero é ficar em teus braços...

Não sei por que fico em silêncio, às vezes,


Se tudo o que quero é dizer que Te Amo...

Não sei por que reclamo a sua ausência...

Se às vezes esqueço sua presença...

Não sei por quê?! Não diga nada...

Só escute...

EU PRECISO DE VOCÊ!

Apenas sei que Te Adoro


E sem você...

Já não sei mais viver...

Beijos!!

Socorro Carvalho

SÓ UM QUERER...

Meu corpo está carente dos teus beijos
Meu ouvido carente da tua voz
Meu abraço está frio sem teu calor


Meu corpo sem aconchego
Treme o frio do abandono..Solidão
Minha audição sem o som gostoso da sua voz
Parece mórbida sem vida
Meus braços sem o calor ardente de ti
Está em abandono... Absoluto..

Estou carente
Perdida.
Em meio os atropelos da vida
Quero...
Só um querer.

Socorro Carvalho

LOUCO AMOR












O amor bateu em minha porta
Foi entrando, entrando...
Tomou conta de mim.


Sinto desejo
Formação das flores, nova estação
É primavera, paixão.


Abrisa toca no rosto,
O amor navega nos risos,
Corre estradas,
Corre perigo
Provoca loucuras,
Tantas curvas...
Acaricia.


A pele suave recebe os toques das mãos;
A macia aspereza da língua toca o lado esquerdo,
O direito com a suavidade da melhor sinfonia.
Campo florido,
Rola-se no chão, os espinhos já não ferem.
As flores,
Acariciam.


Outros beijos, desejo.
Outras loucuras...
O amor bateu em minha porta,
Foi entrando, entrando,...
E se perdeu.




Neucivaldo Moreira
Do livro Seleta e Outros Poemas - 2005

MENINA...


Na brisa que chega suave nas manhãs
Sua presença vem suavizar a saudade de tua voz
No rio Tapajós que corre majestoso
Sua presença vem enfeitar lembranças

No sonho bonito em meio a alegria que fecunda em cada olhar
Sua presença vem no riso bonito que embeleza tua face entre recordações
Na poesia de amor, de saudade, de amizade
Sua presença vem em meio aos versos na inpiração do reencontro

Menina...
Longe se faz doce entre versos de saudade
Embala-se ao som maravilhoso do amor que nina seu poema
Traz em sua poética a ternura infinda de uma grande Mulher!
No coração que chora e canta a paixão em essência
No contraste perfeito da sua magia e sedução.
Socorro Carvalho
*Rose!
Escrevi esta poesia como forma de lhe prestar uma singela e carinhosa homenagem.
Pela passagem de seu aniversário!!Desejo a você muita Paz, Amor, Saúde e FELICIDADES!!!

PARA ONDE CAMINHA A HUMANIDADE?

Se o planeta vai esquentar entre três, cinco, oito graus;
Se as calotas polares vão derreter;
Se o mar vai subir;
Se as cidades baixas vão desaparecer;
Se um bilhão de pessoas vai migrar;
Se vai haver secas, chuvas torrenciais, furacões;
Se em quarenta anos o Pantanal não vai existir;
Se em cinqüenta anos a Amazônia será uma savana;
Se em quarenta anos o nordeste será inabitável;
Se em cinqüenta anos o São Francisco vai correr apenas em época de chuva;
Se milhões de espécies irão desaparecer;
Se bilhões de pessoas irão morrer;
Se o único lugar habitável do planeta será onde hoje estão os continentes gelados;
Que rumo tem nossa velocidade?
Nossa competitividade?
Nossas tecnologias?
Que adianta saber se o aquecimento global é o óbito do mercado?
Que adianta essa pressão para um desenvolvimento se ele nos leva ao abismo?
Que adianta saber se os sobreviventes cuspirão em nossos túmulos?
Já estaremos mortos e nem o inferno poderá punir essa geração predadora.
Penso em nossos filhos, filhas, netos...
Penso nos que vão morrer a mingua, de fome, sede, calor...
Com um pouco de misericórdia penso na humanidade...
Um pouco mais e penso em todos os seres vivos...
Recuso-me conceder ao capital o poder de exterminar a vida.
Seria sua suprema honra, sua suprema glória.
Creio ainda que Deus existe, age na história e sempre tem uma carta na manga...
Creio que Ele se revela nos pequeninos e nas pessoas magnânimas,
Em quem aprendeu a cultivar os solos,
A captar a água de chuva,
A preparar e repartir seu próprio pão,
A viver uma vida simples,
Em quem faz ciência, arte, política e economia a serviço da humanidade,
Quem não desperdiça e nem agride as pessoas e a natureza.
Em todas as épocas Ele suscitou pessoas à altura de seu tempo.
Não vai nos faltar agora,
Quando a humanidade mais Dele precisa.

Roberto Malvezzi (Gogó)
Poesia enviada por Pe. Auricélio Paulino.

Postagens em destaque

UM POEMA PARA ÁMON

Há dez meses... Você chegou!!! Trouxe no riso o estro. No calor O mais lindo poema de amor. Tão pequeno, tão meigo. Porém, forte e...