quarta-feira, abril 14, 2010

ACONCHEGO DA POESIA

Na nudez fugaz do tempo
Sinto-me acariciada pela saudade...
As lembranças boas
Feito pétalas macias
Vagam soltas e suaves dentro de mim.
Os espinhos da distância
Ferem-me os versos...
E na solidão da poesia
Adormeço aquecida pelo som da melancolia


Socorro Carvalho

ATITUDE...


Minha esperança perdeu seu nome...
Fechei meu sonho, para chamá-la.
A tristeza transfigurou-me
como o luar que entra numa sala.

O último passo do destino
parará sem forma funesta,
e a noite oscilará como um dourado sino
derramando flores de festa.

Meus olhos estarão sobre espelhos, pensando
nos caminhos que existem dentro das coisas transparentes.

E um campo de estrelas irá brotando
atrás das lembranças ardentes.



Cecília Meireles

CONTEMPLAÇÃO

Olhar fixo no infinito...
Óh, Manoel!
O que de tão belo contemplas com esse olhar?
O por do sol?
Desenhos de nuvens no céu?
Ou apenas silencias tentando ouvir a sinfonia das ondas do mar?
Quem sabe estejas a pensar
Na poesia de Camões, Drummond e etc...
Certamenta, entre versos e poemas estais a flutuar
Na imensidão misteriosa desse extenso mar.
No reflexo do verso...
Vejo teu rosto, tua experiência, contrastes perfeitos dessa beleza singular.


 

Socorro Carvalho

Foto: Armandina Pereira
Na foto: seu Manoel ou Manelito (como é carinhosamente conhecido em Faro) é pai da minha linda comadre Armandina. Seu Manelito é um grande pai, um excelente ser humano e de quebra meu amigo e  um dos grandes admiradores da minha poesia.
A ele dedico esse poema com todo meu carinho!!!

Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...