terça-feira, outubro 26, 2010

A CHUVA


A chuva cai de surpresa...
Vem surpreender-me.
Em cada pingo
Um tempo que me transporta
Transporta pra junto de ti.
A chuva continua a cair
Enquanto continuo aqui
Sentada
Pensando em ti...
Quanta saudade
Enche-me o peito
A chuva se faz nostalgia
Nessa distancia estranha que te leva de mim...
A chuva continua molhando o chão
Enquanto,
Eu cá distante
Mergulho nas lembranças
Desse amor que não passa.
A chuva cai forte
Faz-se enxurrada...
Na força da água que desce
Queria poder jogar
Esse descontentamento
Para deixar se perder
A dor que nesta hora
Assola triste meu peito...
É impossível.
A chuva continua a cair...
Mesmo longe continuo aqui
Perdida em meus devaneios
Guardando você, em segredo, dentro do meu peito.
A chuva.
Saudade, poesia.



Socorro Carvalho

PRAIA DE CAJUTUBA - BELTERRA PARÁ









Com as imagens lindas da praia de Cajutuba, essa praia maravilhosa!!
Dá pra imaginar o quanto é linda nossa região!!!
As fotos emprestei do orkut do professor Gecinaldo, esse ai, que está na foto.
Emprestei para partilhar com cada um e cada uma de vocês a beleza desse lugar que precisamos cuidar e preservar.
Por isso, precisamos pensar, repensar e não aceitar a construção de Hidroelétricas no Alto Tapajós.
Se isso ocorrer com certeza toda essa beleza vai se perder.
Outra coisa que podemos fazer é cuidar para que Cajutuba não se transforme em um lixeiro
com um rio morto e poluído.
Esse cuidado não cabe somente aos goverantens mas sim cabe a todos e todas nós.
Portanto, comecemos desde cedo a educar nossos filhos(as) sobre esses cuidados básicos com o meio ambiente.
Cidade limpa é sinal de povo educado.
Mas infelismente não é isso que vemos, em nossa cidade e em muitos outros lugares desse Brasil.
Respirar o cheiro do rio, sentindo a brisa do Tapajós tocando nossa face... não tem coisa melhor!!!
Para o poeta é rima de versos, para o cantor refrão do violão e para os enamorados um recanto de paz e amor...
Venha experimentar como é maravilhosa nossa região!!!

RIOS DA AMAZÔNIA DEVEM VOLTAR A SUBIR ATÉ NOVEMBRO, AVALIA ANA


A vazante (seca) nos rios da Amazônia deve ser revertida até o próximo mês, seguindo o ciclo hidrológico da região. Segundo o superintendente de Usos Múltiplos da Agência Nacional de Águas (ANA), Joaquim Gondim, nos pontos de observação em Tabatinga e São Gabriel da Cachoeira já é possível perceber aumento no volume dos rios Solimões e Negro. Os dois rios, que sofreram este ano a maior seca desde 1902, formam o Rio Amazonas, o maior em volume de água de toda a Terra.

Segundo o superintendente, a seca nos rios foi causada pela diminuição das chuvas nas áreas de nascente na Colômbia e na Venezuela (Rio Negro) e na Cordilheira dos Andes no Equador e no Peru – o que diminuiu o degelo na região onde surge o Rio Solimões.

Na opinião de Marcos Ximenes Pontes, um dos coordenadores do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam), “episódios extremos [grandes secas e grandes cheias do rio] estão ficando cada vez mais frequente e mais agudos”. Para ele, esses fenômenos confirmam as hipóteses de que as mudanças climáticas estão ocorrendo. Entretanto, ele acredita que é preciso fazer “estudos mais aprofundados para avaliar se é um momento de exceção ou tem a ver com a mudança climática”.

Joaquim Gondim afirma que a vazante dos rios “faz parte na variação natural do clima” e corresponde à “janela hidrológica anual”. Para ele, só um estudo de longo prazo que confirmasse a repetição das secas poderia alimentar alguma hipótese relacionada à mudança climática.

Os dois especialistas salientaram que a seca dos igarapés dos rios que formam o Amazonas tem isolado as populações que não podem circular de barco. Segundo eles, os ribeirinhos sofrem com a falta de abastecimento de alimentos e água potável; e muitas crianças param de ir a escola por causa da falta de transporte.

Na última semana, o Ministério da Integração Nacional anunciou a transferência de R$ 23 milhões para o governo do estado do Amazonas para ações de socorro e assistência aos municípios atingidos pela seca. O dinheiro deve ser gasto com aquisição de cestas básicas, filtros purificadores, moto-bomba, equipamentos para fornecimento de água potável e barracas. Vinte e sete municípios amazonenses solicitaram reconhecimento da situação de emergência por causa da estiagem.

O Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) prevê para os próximos dias nebulosidade variável e possibilidade de pancada de chuva em algumas áreas da Região Norte. (Fonte: Gilberto Costa/ Agência Brasil)

Foto:Vista do porto de Santarém e o Rio Tapajós por  Deborah Icamiaba.

ESTIAGEM REVELA LIXO E POLUIÇÃO NA PRAIA DA PONTA NEGRA

O lixo na praia é formado por latas e garrafas de cerveja e refrigerante. Cacos de vidro e barras de ferro também estão presentes, misturados à camada de lama na beira.


Manaus - Enquanto a primeira etapa da reforma na Praia da Ponta Negra, zona oeste de Manaus, avança lentamente, a areia da maior praia pública da capital amazonense sofre com a lama e o acumulo de lixo. A poluição no solo do rio Negro só foi revelada devido a vazante histórica no Amazonas. Turistas e frequentadores lamentam o atual cenário de um dos maiores cartões postais de Manaus.

O lixo na praia é formado principalmente por latas e garrafas de cerveja e refrigerante. Cacos de vidro e barras de ferro também estão presentes, misturados à camada de lama na beira da praia, o que oferece risco à saúde dos visitantes.

O pedagogo Joel Gomes, 29, passeava pela Ponta Negra na tarde deste sábado (23). Ele reclama da sujeira no local e pede atividades urgentes dos órgãos municipais, tanto na questão da limpeza e manutenção quanto ações educativas para que a população evite jogar lixo no rio.

"O rio Negro é conhecido no Brasil inteiro pela beleza. Quando ele está mais seco aparece toda essa sujeira e eu fico triste porque são as próprias pessoas que sujam", conta.

David Rodrigues, 28, é consultor comercial e aproveitava o sábado para visitar a praia acompanhado de amigos turistas. David também critica a quantidade de lixo deixado na área. Para ele, a Prefeitura deveria redobrar a limpeza na Ponta Negra enquanto realiza as obras de revitalização do espaço.

"Estou com pessoas de outros estados aqui. Elas vieram achando que iam ver muita limpeza e muito verde, infelizmente, não é isso que está acontecendo", destaca.

Mutirões de limpeza

David Rodrigues aponta uma opção simples para tornar a Ponta Negra mais limpa. Ele diz que Prefeitura e população poderiam se reunir para promover mutirões de limpeza, assim como o promovido pela administração municipal na Bacia do Tarumã-açu, zona oeste de Manaus, e no bairro Puraquequara, zona leste. Na ocasião, 800 pessoas, entre funcionários municipais e voluntários, recolheram lixo da orla, além de realizarem atividades de educação ambiental e atendimento médico.


Fonte: D24am

Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...