sexta-feira, dezembro 02, 2011

UMA BOA PERGUNTA...


U

CARAJÁS E TAPAJÓS - Dividido em três, o Pará será mais rico e mais cobrado pela


Nas mãos dos eleitores do Pará, no domingo 11, o Brasil tem uma chance histórica para dar dois passos à frente. Cerca de 4,6 milhões de paraenses irão às urnas para votar no plebiscito que pode dividir sua atual área territorial em três, criando dentro dela os Estados de Carajás e Tapajós. À primeira vista, de pronto se enxerga mais políticos (dois governadores, seis senadores, dezenas de deputados federais e estaduais) e novas estruturas de poder (sedes governamentais, assembleias legislativas, etc.). Uma antevisão, infelizmente, forte o suficiente para embotar a razão, mas que precisa ser ultrapassada. Esses dois novos Estados, se aprovados, terão extrema importância para a economia não só do Pará, mas de todo o Brasil.

Tome-se, em benefício da análise, as mais recentes criações de Estados no Brasil. É consensual, hoje, que o corte do antigo Mato Grosso em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, efetuado em 1977, foi um acerto de duração permanente, mesmo tendo ocorrido em plena ditadura militar. A divisão daquela imensa área levou para municípios e populações antes desassistidas novos serviços públicos. Estes, por sua vez, aceleraram o desenvolvimento econômico e social regional, consolidando atualmente Mato Grosso do Sul como um dos maiores produtores de alimentos do País. Não houve, como contrapartida, qualquer esvaziamento da riqueza inerente a Mato Grosso. Mais ­recentemente, em 1988, nasceu, de um vértice de Goiás, o Estado do Tocantins. Imediatamente após sua criação, a nova capital, Palmas, tornou-se um grande polo de atração de indústrias e serviços.

Onde hoje há apenas o gigantesco Pará, com seu 1,24 milhão de km² (equivalente a quatro Itálias!) de conflitos sociais e péssimos indicadores de ­desenvolvimento humano, amanhã o quadro tem tudo para ser outro – caso os eleitores locais superem a desinformação inicial e abram passagem para o crescimento. Vítima do desmatamento, por meio do qual o banditismo impera e se produz um noticiário repleto de crimes políticos e chacinas, sabe-se, há muito, que a atual estrutura de governo do Pará é insuficiente para elucidar todas as suas complexas equações. Os fracassos administrativos se acumulam, governo após governo, à esquerda ou à direita. A verdade é que há, naqueles limites, um Estado cujo tamanho equivale ao de vários países europeus, mas apenas um único e singular governo.

Ao mesmo tempo, Carajás e Tapajós nasceriam sobre terras férteis para a agricultura, ricas para a mineração e amplas o suficiente para que nelas conviva o gado. Administrações mais próximas da população local seriam mais cobradas, melhor fiscalizadas e teriam, dessa forma, renovadas condições para preencher o atual vácuo administrativo.

O Brasil, cujo tamanho territorial é comparável ao dos Estados Unidos (8,5 milhões de km² contra 9,6 milhões de km²), chegou a um PIB de US$ 2,19 trilhões em 2010. O irmão do Norte, mesmo combalido, atingiu US$ 14,7 trilhões – mais de seis vezes maior. Aqui, são 27 Estados. Lá, 50. A relação entre produção de riquezas, território e organização administrativa, goste-se ou não, é direta.













Leonardo Attuch



                                                                                                                 Fonte: Isto é

I OFICINA EM TÉCNICAS DE ARTESANATO EM MADEIRA NO TERRITÓRIO BR-163



O IPAM realizará a I Oficina em Técnicas de Artesanato em Madeira noTerritório da BR-163 no período de 12 a 15 de dezembro, na vicinal dos Baianos, em Rurópolis, Pará.

A oficina dará início às atividades de capacitação em uso de práticas produtivas sustentáveis na região de influência da rodovia BR-163 (Cuiabá-Santarém), no estado do Pará. Estas ações estão prevista no contrato firmando entre IPAM e FAO no âmbito do componente II do Projeto BR 163: Floresta, Desenvolvimento e Participação.

A oficina pretende contribuir para o aumento da capacidade dos produtores familiares na aplicação de técnicas de produção de artesanato através do aproveitamento de madeiras caídas.  Essa é uma abordagem que possibilita a construção de uma linha própria e diferenciada de produtos de madeira na região, de maneira que são também inseridas numa estratégia própria de comercialização. Além disso, a ação é uma forma de valorizar a floresta e o uso sustentável dos recursos florestais madeireiros e não-madeireiros no território da BR-163.

O processo de capacitação será desenvolvido a partir das seguintes temáticas: i) Abordagens sobre estratégias de confecção de produtos artesanais diferenciados;  ii) Análise acerca do uso de ferramentas alternativas na produção de artesanatos em madeira; iii) Técnicas de manutenção e fiação de ferramentas artesanais; iv) Desenvolvimento de técnicas para a produção de artesanatos em madeira; v) Aplicação prática dos conhecimentos adquiridos através de modelos de artesanatos desenvolvidos de forma participativa.

Como estratégia de sustentabilidade da ação na região, o IPAM deixará a estrutura necessária para dar continuidade na produção de artesanatos de madeira. Assim sendo, será viabilizada uma construção física que abrigará os artesões, equipamentos, ferramentas e as bancadas onde serão confeccionados os artesanatos em madeira. Todos os equipamentos e ferramentas adquiridos para realização da capacitação serão doados à comunidade da vicinal dos Baianos para uso da comunidade nos processos sequenciais a serem estabelecidos na produção de artesanatos.

Fonte: IPAM.


ALMOÇO NO RESTAURANTE POPULAR

Após dezenas de convites feitos pelo companheiro de trabalho  Cesar Sousa  para almoçar no Restaurante Popular  de Santarém , hoje, finalmente  resolvi ir conhecer o restaurante.

O cardápio? Feijoada. E, diga-se de passagem, deliciosa. Desde a entrada fui observando tudo com meu olhar  critico e sinceramente não percebi nada que me desagradasse.
Tudo bem limpinho e a comida deliciosa.

Até no banheiro entrei e também estava  bem higienizado. O piso, as  mesas, enfim tudo bem organizado. O detalhe mais interessante as pessoas que atendem no restaurante são educadas, recepcionam com  alegria, atenção e muita cordialidade.

A capacidade diária do restaurante é o fornecimento de até mil refeições. Cada bandeijão terá cerca de 1k de alimento e custará R$ 2. Ao todo, 17 pessoas trabalham no restaurante.

O Restaurante popular  de Santarém está  instalado no complexo do Mercadão 2000, na Avenida Tapajós.


De parabéns está a Prefeita Maria do Carmo pela concretização do espaço. Espaço esse fruto de iniciativa do Ministério do Desenvolvimento Social e Programa de Combate a Fome do   Governo do Presidente  Luiz Inácio Lula da Silva, O LULA ( meu Presidente, e daí?)rsrs

Quem quiser mudar a rotina e dar uma passadinha lá para conferir. Eu recomendo.Hoje quebrei a rotina, fiz algo diferente e não me arrependi.

Socorro Carvalho



GLOBO REPÓRTER VAI MOSTRAR IMPACTOS AMBIENTAIS CAUSADOS POR USINAS


O programa desta sexta-feira (2) viaja pela área onde vão ser construídas 16 novas usinas hidrelétricas e encontra preciosidades amazônicas.

A grande floresta que vai virar lago: o Globo Repórter desta sexta-feira (2) viaja pela área onde vão ser construídas 16 novas usinas hidrelétricas e encontra preciosidades amazônicas.
Como o menor passarinho do Brasil, o caçula, constrói seu ninho? Em encontro de arrepiar: uma onça surge diante da equipe de reportagem na Transamazônica.
Nossos repórteres voam ao lado da ararajuba, a mais brasileira de todas as aves, com uma impressionante plumagem verde-amarela que brilha como ouro. Encontram ainda araras azuis e vermelhas, macacos prego, bugios e cairaras.
Quantas vidas ameaçadas pela gigantesca inundação? Nos rios, há 400 espécies de peixes grandes, pequenos e desconhecidos. Quantos vão vencer o obstáculo criado pelas barragens?
Árvores gigantescas: morada de saguis e zogue-zogues. Macacos aranha: a mata destes bichos vai desaparecer completamente? Tartaruga da Amazônia: no caminho do progresso, uma sobrevivente da era dos dinossauros. E os brasileiros que vivem nesta imensa região: o que vai acontecer com eles?
Não perca. É nesta sexta (2), no Globo Repórter.

 Fonte: G1

PE.EDILBERTO SENA VISITA COMUNIDADE CATÓLICA AVEIRENSE

Lúcio Costa, Pe.  Odirley Maia   e Pe. Edilberto Sena


Assim como o povo católico festeja e homenageia a Padroeira  Nossa Senhora da Conceição em Santarém e Almeirim. O povo católico aveirense passa pelas mesmas alegrias dos festejos da Mãe de Jesus.É  com essa festa de alegria que o vigário da Igreja local Pe. Odirley Maia recebeu na tarde e noite de ontem o Pe. Edilberto Sena, diretor da Rádio Rural de Santarém.


Pe. Ediberto Sena aproveitou o ensejo e visitou a Rádio Comunitária Tropical-FM 87,9 MHZ,  onde conversou com Diretor Presidente da emissora local e dessa conversa juntamente com Pe. Ordiley Maia, pudemos fazer acertos de parceria entre as duas emissoras e também o Pe. Ediberto Sena pôde matar a saudade dos laços que prende o vigário à cidade de Aveiro, pois aqui a sua avó foi sepultada.


 Na mesma ocasião o Pe. Edilberto Sena, após visitar as instalações da Rádio Comunitária, viu e sentiu de perto as dificuldades da administração de uma emissora sem fins lucrativos a onde não existe apoio do poder público e também saber que uma emissora comunitária não trabalha com o comercial propriamente dito, e sim com apoios culturais que não passam de valores simbólicos a penas para manter a emissora no ar pagando as despesas internas.


 O Diretor da Rádio Rural fez um convite ao repórter Lúcio Costa, para voltar a ser novamente o repórter correspondente da Rádio da Rural de Santarém em Aveiro. Após longos anos tenho o prazer de integrar a equipe de Jornalismo da Rádio Rural, os quais têm uma equipe conceituada dentro do jornalismo paraense e estarei pronto para dar igualdade de expressão à população carente do município de Aveiro, levando a informação verdadeira aos ouvintes da Rádio Rural.


Á noite o Pe.Ediberto Sena, celebrou a missa no salão paroquial da Igreja de Nossa Senhora da Conceição, já que está sendo construído um novo templo.Pe.  Edilberto foi aplaudido pela comunidade católica presente, que tinha a responsabilidade  da Comunidade de Daniel de Carvalho.


Por Lúcio Nunes


O VALOR DA AMIZADE



Conta uma lenda árabe que dois amigos viajavam frequentemente pelo deserto e certa vez discutiram, brigaram e um esbofeteou o outro. O que apanhou sem nada dizer escreveu na areia "Hoje, meu melhor amigo me bateu no rosto".

Mais tarde fizeram as pazes e seguiram viagem. Chegaram num oásis resolveram tomar banho. O que havia sido esbofeteado começou a afogar-se, sendo salvo por seu amigo. Quando se recuperou escreveu numa pedra "Hoje meu melhor amigo salvou minha vida".

Intrigado, o outro perguntou:“- diga-me; por que depois que bati em você escreveu na areia, agora que te salvei a vida escreveu na pedra?” Sorrindo, o outro respondeu:“- Quando um grande amigo nos ofende, deveremos escrever na areia, onde o vento do esquecimento e do perdão se encarregam de apagar. Mas quando nos faz algo grandioso, deveremos gravar na pedra da memória do coração, onde nenhum vento do mundo poderá apagar!”

Desconheço a autoria


Postagens em destaque

DANIELLE LIMA!! PARA VOCÊ, UMA CARTA DO MEU CORAÇÃO... FELIZ ANIVERSÁRIO!!!

Querida filha, Danielle Katrine Hoje, pensei em te fazer um poema!! Rimar versos para te falar do meu amor... Mas como poetizar,...