segunda-feira, julho 02, 2012

INSUFICIÊNCIAS CONCEITUAIS DA RIO+20


O que espanta é que o documento final e o rascunho não mostram nenhum sentido de autocrítica. Não se perguntam por que chegamos à atual situação, nem percebem, claramente, o caráter sistêmico da crise. Aqui reside a fraqueza teórica e a insuficiência conceitual deste e, em geral, de outros documentos oficiais da ONU.

Leonardo Boff


Não corresponde à realidade dizer que a Rio+20 foi um sucesso. Pois não se chegou a nenhuma medida vinculante nem se criaram fundos para a erradicação da pobreza nem mecanismos para o controle do aquecimento global. Não se tomaram decisões para a efetivação do propósito da Conferência que era criar as condições para o “futuro que queremos”. É da lógica dos governos não admitirem fracassos. Mas nem por isso deixam de sê-lo. Dada a degradação geral de todos os serviços ecossistêmicos, não progredir significa regredir.

No fundo, afirma-se: se a crise se encontra no crescimento, então a solução se dá com mais crescimento ainda. Isso concretamente significa: mais uso dos bens e serviços da natureza o que acelera sua exaustão e mais pressão sobre os ecossistemas, já nos seus limites. Dados dos próprios organismos da ONU dão conta que de desde a Rio 92 houve uma perda de 12% da biodiversidade, 3 milhões de metros quadrados de florestas foram desmatados, 40% mais gases de efeito estufa foram emitidos e cerca da metade das reservas de pesca mundiais foram exauridas.

O que espanta é que o documento final e o rascunho não mostram nenhum sentido de autocrítica. Não se perguntam por que chegamos à atual situação, nem percebem, claramente, o caráter sistêmico da crise. Aqui reside a fraqueza teórica e a insuficiência conceitual deste e, em geral, de outros documentos oficiais da ONU. Elenquemos alguns pontos críticos.

Os que decidem continuam dentro do velho software cultural e social que coloca o ser humano numa posição adâmica: sobre a natureza como o seu dominador e explorador, razão fundamental da atual crise ecológica. Não entendem o ser humano como parte da natureza e responsável pelo destino comum. Não incorporaram a visão da nova cosmologia que vê a Terra como viva e o ser humano como a porção consciente e inteligente da própria Terra com a missão de cuidar dela e garantir-lhe sustentabilidade. Ela é vista tamsomente como um reservatório de recursos, sem inteligência e propósito.

Acolheram a “grande transformação”(Polanyi) ao anular a ética, marginalizar a política e instaurar como único eixo estruturador de toda a sociedade a economia; de uma economia de mercado passou-se a uma sociedade de mercado, descolando a economia real da economia financeira especulativa, esta comandando aquela. Confundiram desenvolvimento com crescimento, aquele como o conjunto de valores e condições que permitem o desabrochar da existência humana e este como mera produção de bens a serem comercializados no mercado e consumidos.

Entendem a sustentabilidade como a maneira de garantir a continuidade e a reprodução do mesmo, das instituições, das empresas e de outras instâncias, sem mudar sua lógica interna e sem questionar os impactos que causam sobre todos os serviços ecossistêmicos. São reféns de uma concepção antropocêntrica, quer dizer: todos os demais seres somente ganham sentido na medida em que se ordenam ao ser humano, desconhecendo a comunidade de vida, também gerada, como nós, pela Mãe Terra. Mantém uma relação utilitarista com todos os seres, negando-lhes valor intrínseco e por isso como sujeitos de respeito e de direitos, especialmente o planeta Terra.

Por considerar tudo pela ótica do econômico que se rege pela competição e não pela cooperação, aboliram a ética e a dimensão espiritual na reflexão sobre o estilo de vida, de produção e de consumo das sociedades. Sem ética e espiritualidade, nos fizemos bárbaros, insensíveis à paixão de milhões de milhões de famintos e miseráveis. Por isso impera radical individualismo, cada país buscando o seu bem particular por em cima do bem comum global, o que impede, nas Conferências da ONU, consensos e convergências na diversidade. E asssim, hilariantes e alienados, rumamos ao encontro de um abismo, cavado por nossa falta de razão sensível, de sabedoria e de sentido transcendente da existência.

Com estas insuficiências conceituais, jamais sairemos bem das crises que nos assolam. Este era o clamor da Cúpula dos Povos que apresentava alternativas de esperança. Na pior das hipóteses, a Terra poderá continuar mas sem nós. Que Deus não o permita, porque é “o soberano amante da vida” como atestam as Escrituras judaico-cristãs.

Leonardo Boff é teólogo e escritor.
(*) Artigo publicado na página de Leonardo Boff

PARABÉNS, AGEÍSE E RODRIGO!!!!

Ageíse - na hora do Sim
Ageíse, com um olhar firme celebrastes teu SIM, diante de Deus.


Em teu olhar posso ver uma infinita felicidade, sonhada, buscada e encontrada no amor, que brotou em teu coração.


 A amizade, de outrora, que de tão grande se fez amor.



 Nasceu na alegria e se solidificou na dor e na adversidade, provando que era possível brotar o amor, amor de Verdade.

O tempo passou e de repente como um sonho de fadas você se prontifica a se fazer alma gêmea daquele que um dia  surgira em tua vida como um simples amigo.

O Sim de Rodrigo

Com o passar do tempo, se você  se dar conta,  algo foi se modificando dentro de você  e do Rodrigo também, e com um empurrãozinho do destino, selaram o Amor e o solidificaram  no dia 02 de junho de  2012.

Data essa que selou para sempre a união e, que segundo Deus, deverá ser até a eternidade.

Hoje um mês já se passou e neste momento, junto-me  a essa alegria para desejar muito mais felicidades, a você e Rodrigo.
Que a  cada novo dia haja sempre tempo para a renovação das  promessas de amor e que esse amor se manifeste em cada pequeno gesto vindo de cada um de vocês, mesmo em meio ao cansaço de mais um dia de luta e trabalho.

Ageíse e Rodrigo - mesa do bolo




Que o amor seja sempre partilhando com sinceridade em cada instante e que o encantamento permaneça vivo no olhar em cada novo alvorecer.
E que Deus os abençoe com muita compreensão, paz e muito amor, junto da Bia.







Para celebrar esse primeiro mês de União dedico a vocês  essa  canção... 




Felicidades, Ageíse e Rodrigo!

PARABÉNSSS!! Pelo primeiro mês de casamento.

Carinhosamente

Socorro Carvalh

PARABÉNS, ROSÂNGELA!!

Rosângela Vicente

Um anjo para você...

Para iluminar seu caminho,
para colocar ordem na sua vida,
para você ter sempre a certeza,
de que ele está ao seu lado,
em todos os momentos.

Em qualquer situação,
na sua tristeza e na sua alegria.

E mesmo que você se esqueça dele as vezes,
ele estará sempre do seu lado,
lhe ajudando, lhe dando conselhos,
lhe conduzindo na sua estrada,
as vezes triste, as vezes alegre.

Ele sempre vai dar o melhor de si,
para lhe ajudar, e em troca disso,
ele só quer que você saiba dele,
que acredite nele.

Não precisa saber o nome do seu anjo,
basta lembrar dele como uma luz,
a iluminar o seu caminho.

E você pode ter certeza de que ele é assim,
uma imensa luz, que não se apaga nunca,
que não fica fraca,
que jamais perde sua força e seu brilho.

Um lindo anjo para você...
Que você possa contar com ele,
Sempre....sempre...



Rosângela,

Obrigada pelo carinho que tem pela minha irmã e meus sobrinhos, mesmo de longe, observo tudo e sei o quanto você e sua família são legais, para com ela e as crianças.Isso já é o bastante para que eu possa ter muito apreço e carinho por vocês. Neste dia especial, te desejo tudo de bom e acima de tudo, muita Saúde, para continuares sempre essa mulher forte e guerreira. 

Felicidades!!

Um grande abraço com todo meu carinho e da tua turminha de sobrinhos (a): Emerson, Eduardo e Eduarda.

RÁDIO RURAL - COBERTURA ENCONTRO DOS BISPOS EM SANTARÉM

Janaína Sousa

A Rádio Rural de Santarém  está empenhada nos trabalhos que antecedem a abertura  oficial do Encontro do Bispos da Amazônia, que se dará hoje, á noite, na Igreja  Catedral de Nossa Senhora da Conceição.

Para que tudo ocorra com sucesso, toda a equipe de transmissão já está mobilizada, trabalhando  na instalação e checagem dos  equipamentos de  todo o sistema,  no Seminário São Pio X , local do Encontro.  

A RNA – Rede de Notícias da Amazônia também está mobilizada e para isso trouxe a Santarém a jornalista de Boa Vista  Janaína Souza, da Rádio FM Monte Monte Roraima.

Janaína  está na responsabilidade de  repassar as informações sobre o Encontro  à todas as demais emissoras que integram a RNA.

Além, de toda essa responsabilidade a jornalista vai  gravar participações  para o jornal da manhã e da tarde da Rádio FM Monte Roraima e RCR  com a colaboração e apoio da equipe de jornalismo da Rádio Rural.


O quarto encontro da Igreja na Amazônia, realizado em Santarém, em maio de 1972, reuniu 22 bispos e três padres. O fruto daqueles sete dias de intensas reflexões foi a aprovação de duas diretrizes básicas: Encarnação na realidade e Evangelização libertadora. E quatro linhas prioritárias: Formação de agentes de pastoral; Comunidade cristã de base; Pastoral indígena e Estradas e outras frentes pioneiras, reunidas no chamado “Documento de Santarém”.

40 anos depois, o Documento vai ser base do 10º encontro, que tem entre outros objetivos: apresentar sugestões para uma Evangelização Encarnada, Missionária e Profética na Amazônia para os próximos cinco anos.

O 10º encontro vai acontecer no seminário São Pio Décimo, até o dia seis de julho. A abertura será no dia 02 de julho, com uma celebração eucarística às 18 horas, na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição. Logo após os bispos seguem para o Seminário, onde acontece a acolhida aos participantes pela Comissão Episcopal da Amazônia, apresentação dos objetivos do evento e orientações para o dia seguinte. Em seguida, oração da noite. 



Socorro Carvalho
( Com algumas informações da Pascom) 

Postagens em destaque

UM POEMA PARA ÁMON

Há dez meses... Você chegou!!! Trouxe no riso o estro. No calor O mais lindo poema de amor. Tão pequeno, tão meigo. Porém, forte e...