quarta-feira, dezembro 26, 2012

I CORÍNTIOS 13


1 Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine.
 2 E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
 3 E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
 4 O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece,
 5 não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal;
 6 não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade;
 7 tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
 8 O amor jamais acaba; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
 9 porque, em parte conhecemos, e em parte profetizamos;
 10 mas, quando vier o que é perfeito, então o que é em parte será aniquilado.
 11 Quando eu era menino, pensava como menino; mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
 12 Porque agora vemos como por espelho, em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, como também sou plenamente conhecido.
 13 Agora, pois, permanecem a fé, a esperança, o amor, estes três; mas o maior destes é o amor.

Apóstolo Paulo

HÁ POETAS QUE SÃO ARTISTAS


 E há poetas que são artistas
 E trabalham nos seus versos
 Como um carpinteiro nas tábuas!…
 E há poetas que são artistas
 E trabalham nos seus versos
 Como um carpinteiro nas tábuas!…

Que triste não saber florir!
 Ter que pôr verso sobre verso, como quem constrói um muro
 E ver se está bem, e tirar se não está!…
 Quando a única casa artística é a Terra toda
 Que varia e está sempre bem e é sempre a mesma.

Penso nisto, não como quem pensa, mas como quem respira,
 E olho para as flores e sorrio…
 Não sei se elas me compreendem
 Nem sei eu as compreendo a elas,
 Mas sei que a verdade está nelas e em mim
 E na nossa comum divindade
 De nos deixarmos ir e viver pela Terra
 E levar ao solo pelas Estações contentes
 E deixar que o vento cante para adormecermos
 E não termos sonhos no nosso sono.


  Alberto Caeiro
Foto: António Maia

A VIDA NÃO ME DESAPONTOU


Não, a vida não me desapontou! Pelo contrário, todos os anos a acho melhor, mais desejável, mais misteriosa... desde o dia em que vejo a mim a grande libertadora, a ideia de que a vida podia ser experiência para aqueles que procuram saber, e não dever, fatalidade, duplicidade!... Quanto ao próprio conhecimento, seja ele para outros aquilo que quiser, um leito de repouso, ou o caminho para um leito de repouso, ou distracção ou vagabundagem, para mim é um mundo de perigos, é um universo de vitórias onde os sentimentos heróicos têm a sua sala de baile. «A vida é um meio de conhecimento»; quando se tem este princípio no coração, pode viver-se não somente corajoso mas feliz, pode-se rir alegremente! E quem, de resto, se ouvirá, portanto, a bem rir e a bem viver se não for primeiramente capaz de vencer e de guerrear?

Friedrich Nietzsche, in "A Gaia Ciência"









Querido Amigo César Sousa!!
 Parabéns por mais esse ano de vida!!
Desejo-te saúde, paz, amor, felicidades e muito sucesso!!
Que o Deus da vida multiplique bençãos e mais bençãos sobre você e sua família.
No momento, não tenho nenhum presente para te dar, mas no início de minha homenagem deixei  um texto de Friedrich Nietzsche para você se deliciar,  pois sei que ele  é um de seus autores preferidos....

Um beijo em seu coração



Com todo carinho da sua amiga 


Socorro Carvalho

CRESCER DÁ TRABALHO, MAS VALE A PENA!


]

Crescer significa deixar o conforto para ousar uma nova dimensão da vida
Se você quer que seus resultados mudem, antes de tudo você precisa mudar.
Para o homem de muita coragem, arriscar perder o que conquistou não representa um problema, pois ele sabe que a conquista não foi obra do acaso e sim resultado da própria capacidade.
No entanto, saber que a própria capacidade determina o tamanho das conquistas faz com que ele sempre procure crescer antes de iniciar uma nova empreitada.
O campeão sente fascínio por novas conquistas, não para receber novos aplausos, mas para conhecer e aprimorar sua força.
Estar vivo é estar em crescimento permanente. Por isso se diz que uma pessoa ou está crescendo ou está morrendo. A acomodação é o último estágio antes da morte psicológica!
Mas crescer realmente dá trabalho. Por certo, por esse motivo muitos preferem a mediocridade. Como disse o teatrólogo francês Jean Giraudoux: “Somente os medíocres estão sempre em seu máximo”.
Crescer significa deixar o conforto, para ousar uma nova dimensão de vida — e a maioria das pessoas tem medo de perder a comodidade. São muito apegadas aos hábitos, mesmo em situações angustiantes.
Crescer significa lançar-se ao desconhecido. Às vezes, isso quer dizer mudar todo o negócio para que sua empresa possa dar um salto qualitativo.
Crescer não é para covardes!
Crescer significa aprender a escutar. Quando um amigo, chefe, subalterno ou cliente nos faz uma crítica, é fundamental oferecer também o outro ouvido: “O que mais você tem a me dizer?”.

Crie condições para as pessoas manifestarem opiniões a seu respeito, mesmo que elas sejam duras.
Quando fizer uma pergunta, ouça a resposta. O importante não é quem fala, mas quem escuta e o uso que faz do que escutou.
Quando alguém ouve uma crítica e reage de maneira agressiva, ou tenta se justificar como se nada pudesse macular sua imagem de perfeição, perde a oportunidade de crescer.
Um campeão cresce sempre, não importa que situação enfrente ou o trabalho que isso dê.
Veja o seguinte episódio:
Um sacristão analfabeto viveu muitos anos ajudando um padre, que acabou morrendo de velhice.
Quando o substituto do padre apareceu, pediu ao sacristão que escrevesse um relatório de suas atividades. Então, o sacristão disse:

— Não sei ler nem escrever.
O novo padre não teve dúvidas ao dizer:
— Não posso ter um analfabeto como auxiliar. O senhor está demitido.
Chateado, o pobre homem saiu da igreja muito triste, querendo fumar um cigarro, mas não conseguiu porque não tinha dinheiro para comprar um maço inteiro. Foi então que lhe veio a ideia de passar a vender cigarros por unidade, em um bairro pobre. Assim pensou, assim fez. A partir daí, surgiu um pequeno negócio, que foi crescendo, e cresceu tanto que o antigo sacristão passou a valorizar as próprias ideias, investiu em novos projetos que imaginou e se tornou um rico empresário.
Um dia, ao fechar um contrato com um banco, o gerente pediu a ele que verificasse se as cláusulas estavam corretas. Ele admitiu que não sabia ler, e o gerente se espantou:
— Mesmo sem saber ler, o senhor é um empresário competente, um autêntico vencedor. Imagine aonde teria chegado se soubesse ler!
A resposta foi imediata:
— Eu não teria passado de um simples sacristão.
Crescer também significa aceitar que, muitas vezes, perder faz parte do jogo. O campeão sempre aproveita as derrotas como estímulo para evoluir.

Roberto Shinyashiki



Para brindar  Janaína , pelo seu aniversário, deixo-lhe acima um texto
de Roberto Shinyashiki, seu autor preferido.

E de presente, neste dia especial,  te desejo saúde e muita paz!


 Feliz aniversário!!

Beijos

Socorro Carvalho

ENTREVISTA COM O PREFEITO ELEITO DE ALENQUER - FLÁVIO MARREIRO



Entrevista para a TV Blog do Jeso com o prefeito eleito de Alenquer, Flávio Marreiro (PSC). Nela, ele lista os dois problemas que pretende atacar assim que for empossado.

Fonte: Blog do Jeso

Postagens em destaque

UM POEMA PARA ÁMON

Há dez meses... Você chegou!!! Trouxe no riso o estro. No calor O mais lindo poema de amor. Tão pequeno, tão meigo. Porém, forte e...