sábado, outubro 05, 2013

QUIMERA NO FIM DE TARDE...

No cair da tarde...
Pensamentos se perdem na imensidão.
As ruas “ desertas”,
Numa sexta feira agitada.
O silêncio,
Em meio aos ruídos...
Já não tenho o eco dos teus passos.
O tempo está deserto...
Entre murmúrios de vozes,
Calo-me nessa saudade arredia.
A tarde se finda.
Guardo a poesia.
Emudeço os versos...
Abro os olhos,
E sinto-te chegando.
Tudo está deserto...
Quimera no fim da tarde



Socorro Carvalho

Postagens em destaque

POEMA CABOCLO

Meu amor... Tem cor de alvorecer. Carícia de brisa das manhãs. Cor de pôr do sol. Aroma de cupuaçu... Sabor do bombom de muruc...