terça-feira, dezembro 03, 2013

AO FILHO DA AMIGA QUERIDA ... UMA CARTA DE AMOR



Querido Márlisson



Eu me lembro quando era muito jovem, ouvia os adultos comentarem: fulano partiu. Esta era a forma que eles achavam menos sofrida de falar que alguém havia morrido, principalmente quando estavam perto de crianças. Era um jeito delicado que eles tinham de citar a morte sem que ela parecesse tão chocante.



Cresci e comecei também a falar assim – fulano partiu – acabei achando menos dolorido, menos violento se referir à morte dessa maneira. Quando se diz que alguém morreu, dá a impressão que se acabou, desapareceu e imaginar que alguém que queremos bem acabou ou desapareceu pra sempre, é terrível. Dói mil vezes mais do que precisar enfrentar a sua própria ausência. 



Partiu já é diferente, dá uma sensação de que em algum ponto da vida nos reencontraremos com essa pessoa querida novamente. Fica mais fácil imaginar que ela viajou, uma viagem sem data pra voltar, mas com retorno garantido. Enfim, descobri recentemente, que existe outra categoria dentro desse universo. São aqueles que nunca morrem e, portanto, jamais partem. São aqueles que embora desapareçam de nossas vistas, eternamente se fazem presentes em nossa memória e nosso coração.



Os que nunca partem são as pessoas que nortearam nossos dias, colocaram um significado importante neles e deixaram uma marca tão profunda em nós que não importa onde estejam, porque ao nosso lado, de alguma forma, sempre estarão. Morrer, partir são coisas simples, coisas do dia-a-dia. Acontece toda hora, em todo lugar, com todas as pessoas. Os que nunca partem e os que nunca passam pela dor de assistir alguém querido partir são os felizardos dessa vida.


AH, ESSES SEUS OLHOS


Ah esses seus  olhos de ressaca ...
Tem canto e encanto.
Acaricia-me, sem tocar-me.
Fala-me sem palavras.

Ah, esses  seus olhos tão serenos.
Tem  mel  a me fitar.
Metáfora e sabor no olhar.
Malícia boa no ar.


Ah, esses  seus olhos infinitos.
Tem um mar de amplidão.
Maresia  que me faz flutuar
Vento arejando meu  chão.

Ah, esses seus olhos tão meus...
Como posso esquecê-los?


Socorro Carvalho 

CASAMENTO DA LUCIANA COM O DIEGO

 No dia 23 de novembro foi a festa de casamento da Luciana com o Diego!! Agradeço imensamente o convite para ir lá prestigiar e celebrar esse momento junto do casal e familiares. Foi uma festa maravilhosa. O encontro com colegas do Gepes da turma de Letras 2011 foi muito divertido. Ao casal agradeço o convite ao mesmo  tempo que desejo –lhes muita harmonia e felicidades, sempre. Que o Deus da vida os abençoe com sabedoria  os encaminhem sempre com  amor.

Felicidades!!

Confira algumas fotos:
































Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...