Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro 11, 2014

AMOR, POIS QUE É PALAVRA ESSENCIAL...

Imagem
Amor, pois que é palavra essencial
Amor - pois que é palavra essencial comece esta canção e toda a envolva. Amor guie o meu verso, e enquanto o guia, reúna alma e desejo, membro e vulva.
Quem ousará dizer que ele é só alma? Quem não sente no corpo a alma expandir-se até desabrochar em puro grito de orgasmo, num instante de infinito?
O corpo noutro corpo entrelaçado, fundido, dissolvido, volta à origem dos seres, que Platão viu completados: é um, perfeito em dois; são dois em um.
Integração na cama ou já no cosmo? Onde termina o quarto e chega aos astros? Que força em nossos flancos nos transporta a essa extrema região, etérea, eterna?
Ao delicioso toque do clitóris, já tudo se transforma, num relâmpago. Em pequenino ponto desse corpo, a fonte, o fogo, o mel se concentraram.
Vai a penetração rompendo nuvens e devassando sóis tão fulgurantes que nunca a vista humana os suportara, mas, varado de luz, o coito segue.
E prossegue e se espraia de tal sorte que, além de nós, além da prórpia …

PABLO NERUDA - V

Imagem
Não te quero senão porque te quero, e de querer-te a não te querer chego, e de esperar-te quando não te espero, passa o meu coração do frio ao fogo. Quero-te só porque a ti te quero, Odeio-te sem fim e odiando te rogo, e a medida do meu amor viajante, é não te ver e amar-te, como um cego.
Tal vez consumirá a luz de Janeiro, seu raio cruel meu coração inteiro, roubando-me a chave do sossego, nesta história só eu me morro, e morrerei de amor porque te quero, porque te quero amor, a sangue e fogo.

Pablo Neruda

MINHAS INSPIRAÇÕES: VALEU SANTIAGO ANDRADE!!

Imagem
"Admiro quase todas as profissões. Mas, uma em especial: a dos repórteres cinematográficos. Gente que nasce com a arte da fotografia no sangue e que enxerga tudo melhor do que os outros mortais. Já trabalhei com uns, sou amiga de alguns especiais. E uma coisa eu garanto: quem é bom nesse ofício fica para trás, o mundo da fotografia é para os ótimos. Quando um deles é mandado para um protesto, para uma guerra, para um momento de tensão é que ele deixou ser bom faz tempo. Gosto do jeito que eles veem o mundo, as pessoas, os momentos. Gosto como eles imaginam os textos que sairão de suas imagens e como eles geram textos lindos sem escrever uma linha. E quando alguém fecha os olhos de um repórter cinematográfico eu sinto de verdade, porque a gente perde uma chance de ver o mundo diferente pelos olhos de outra pessoa que vê além do que está ali".
                                                               ( Rúbia Corrêa - redatora, repórter e professora santarena)