quarta-feira, julho 16, 2014

NO ARREBOL DO SEU PRAZER, MEU DESCANSO


 Felino sem tréguas  deságua o desejo
A calmaria do teu corpo é meu sossego
Sonetos murmurados, versos em segredo.
Agasalho-me em seu peito...
Nítidas batidas do meu coração,
Transborda alegria e contentamento.
Sua boca gostosa  eu degusto...
Na mais voraz inconsequência poética.
O encontro, nós dois,  o  desejo.
Junção perfeita do gozo, do êxtase...
No fulgor de nossos corpos nus.
No arrebol do seu prazer
Eu descanso inteira,  sobre você.


Socorro Carvalho


SONETO XLIX

É HOJE: todo ontem foi caindo
entre dedos de luz e olhos de sonhos,
amanhã chegará com passos verdes:
ninguém detém o rio da aurora.

Ninguém detém o rio de tuas mãos,
os olhos de teu sonho, bem-amada,
és tremor do tempo que trascorre
entre luz vertical e sol sombrio,

e o céu fecha sobre ti suas asas
levando-te e trazendo-te a meus braços
com pontual, misteriosa cortesia:

por isso canto ao dia e à lua,
ao mar, ao tempo, a todos os planetas,
a tua voz diurna e a tua pele noturna.


(Do livro Cem Sonetos de Amor) Pablo Neruda
* Ganhei-o de presente da Luciene Santos.
Sonetos!! Todos lindos!! Escolhi esse pra você...

Postagens em destaque

DANIELLE LIMA!! PARA VOCÊ, UMA CARTA DO MEU CORAÇÃO... FELIZ ANIVERSÁRIO!!!

Querida filha, Danielle Katrine Hoje, pensei em te fazer um poema!! Rimar versos para te falar do meu amor... Mas como poetizar,...