terça-feira, outubro 10, 2006

SOLIDÃO ABSOLUTA



O pranto impetuoso
Molha todo meu rosto
A saudade dura
Maltrata meu coração
A tristeza incontrolável
Embaça meus olhos
Nada consigo ver
Tudo está nublado, escuro...
Estou naufragada
Em lágrimas de amor.

A solidão
Castiga meu peito
Estou só...
Apenas teu cheiro
Parece estar presente
A perfumar o ar
A provocar meu querer
A atormentar meu sofrer.

Quisera eu
Poder morrer...Agora
Sem me deixar invadir
Nem me afogar
Pelo pranto de amor
Que insiste em cair...

A morte
Talvez seja a cura perfeita
Deste amor
Que de mim se apoderou
E hoje
Nem eu mesmo sei
Quem sou.


Socorro Carvalho

ESPELHO















Onde está minha imagem, ó espelho?
O que fazer com o sonho que ora é desespero?
O que fazer?


Há tempos que a luz se esconde e você espelho,
Onde estou?
Como posso esconder-me atrás dos olhares
Desconfiados?


Sempre reflete-se amor!
É preciso que me retornes.
Assim, quem sabe posso sentir o antigo elo:
Tormento e emoção.
Sinto que o pensamento me distrai ou traí,
Não sei, sei que navega, flui nessa vaidade de prazer.


O espelho que não responde!
A solidão sinto-a como grande companheira.
Difícil é lutar com medo, e , a alma
Fria nem sempre esquenta noite.
Talvez o espelho tenha perdido-na,
Assim como a paixão, a fascinação.
Mas como esquecer se meu desejo é fogo ardente?
Comoção.


Não o espelho nem sempre somos a vergonha.
Há, de repente, um pouco de ódio.
Mas como fugir dessa estranha e distante presença?
Tenho que implorar...
Onde está minha imagem, ó espelho?
O que fazer com o sonho que ora é desespero?


O que fazer?
Isto é persistência, impaciência?
Meu erro.
Desespero.
Próprio meu.
Quisera que espelho, fosse reflexão, paixão.
Quem sabe perdão!
Ser invisível não é tão fácil,
Ó espelho
ESPEDAÇA

Neucivaldo Moreira

CAMINHOS


Não somos perfeitos
A natureza não nos fez
Perfeitos
Viver...Amar...Querer...Sofrer...
Faz parte
De nossas vidas
É um aprendizado
Nos faz crescer
Torna-nos fortes.


A vida tem muitos caminhos
Alguns escolhemos
Caminhar
Outros caminhamos
Sem pensar.

Às vezes o pouco
É muito
Às vezes o muito
É nada
São sentimentos
Sem sentido
E nem sempre
Escolhidos.

Célia Raquel

QUE AMOR É ESTE?




AMOR BANDIDO
Que vem e me devora
E tem o domínio da minha emoção.



AMOR PROIBIDO
Que vem fora de hora
E sem nada dizer invade minhas virtudes.



AMOR CAFAJESTE
Que me aborrece, ao mesmo tempo, me enlouquece
E traquino traz a paz do meu universo.



AMOR VAGABUNDO
Que vem moleque brincar com minha raiva
E arranca de mim meu melhor sorriso.



AMOR CRETINO
Que cínico vem provocar meu instinto
E entre carinhos
Me faz acalmar a solidão.



AMOR SACANA
Que patife me faz escrava dos teus delírios
E gostoso deixa em mim a doce recompensa de satisfação.



AMOR SAFADO
Que descarado vem desnudar meus pudores
E perdida em teus encantos me consome e apaixona.



AMOR MARGINAL
Que vem astuto roubar minha paciência
E entre loucuras me leva ao ápice da insensatez pura.



AMOR CASUAL
Que vez ou outra vem para os meus braços
E num instante, É o infinito mais louco e bonito da minha razão.



Que amor é este?



Como eu queria entender
A magia perfeita que faz vocêSe eternizar dentro de mim...



Socorro Carvalho

Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...