terça-feira, outubro 17, 2006

LOUCURA E DESEJO



A ânsia de tocar teu corpo
Agora se esvazia
Diante das caricias leves de minhas mãos a delinear teu corpo.


O toque leve do meu carinho
Faz acender a chama que a todo custo você tenta apagar.
Sem palavras,
Falo em teu ouvido
A linguagem una do amor.


Escuto teu respirar forte, ofegante.
Como resposta absoluta do grito que nem deixei vir à tona
Meu tato continua a estimular teu querer
E como louco você se enche de vontades...


Sussurra, suplica, respira fundo
Os sinais visíveis do teu corpo
Instiga minha sedução
E saio a brincar com teu desejo,
A alucinar tua vasta imaginação.


Enquanto você, indefeso, bobo...
Comprime-se entre as dores do teu delírio e do teu prazer
Na ousadia quente da minha fantasia.


Te proíbo de tocar meu corpo
Você meio louco, parece querer extravasar teus limites.
Sem nada poder fazer, sem nada poder tocar.
Castigo perfeito para alucinar teu tesão...


Maluco tenta me seduzir
Tudo em vão
Não deixo...
E aguço ainda mais tuas idéias loucas...


Beijo tua boca com doçura
E em teu ouvido digo baixinho
Hoje meu corpo não será teu abrigo
E com jeitinho deixo você ir

Impregnado de loucura e desejo...
Louco de saudade.

Socorro Carvalho
* Sensação boa!
Que alucina...Saudadessss!!!
Que pôrra de vida!!!

DESFALECIDA DE AMOR

Hoje o palco da minha vida está triste.
Não há platéia, aplausos... Não há nada
A cortina se fechou e o ato se desfez
No camarim da existência
Apenas eu,
A única atriz,
Triste e solitária.

Entre truques de maquiagens.
Procuro disfarçar meu olhar triste.
O último ato do teatro
Da minha vida,
Foi ilusão, desilusão, solidão.


Despida de sonhos
Fui realidade fria e absoluta.
O encanto de outrora se perdeu.

A felicidade
Deu lugar a indiferença.
Meu olhar, então,
Se fez pranto de amor.

Inconsolável
Procurei o aconchego
Em corpos
Que jamais
Me deram calor.
Procurei sabor
Em beijos insípidos.
Loucura...
Tortura sem fim.

Mesmo em teu abraço
Sinto a distância.
Mesmo em teu amor
Sinto a inconstância me revirar.
Tudo em mim está dilacerado
Perdido...Sofrido.

Tudo está machucado...
Quase sem vida.
A inspiração dos versos tão belos.
Hoje é vazio e solidão
A poesia se calou.
A música perdeu a canção.
A lembrança
Deu lugar ao sofrer.

Olho meu rosto no espelho
Vejo traços tristes de angústia.
Vejo meu olhar cheio de lágrimas,
Opaco, tristonho...
Meu peito em dor
Sofre o suplicio do amor sem razão
Sem explicação.

Em meus pensamentos
Apenas tua saudade vem em silêncio
Meu coração atormentado
Grita insistente pelo teu nome
Não consigo te esquecer.
Minha poesia é saudade...

A música ficou fúnebre,
Fundo musical do meu sofrer.
Atordoada pela tua ausência,
Nada consigo fazer.
Nem mesmo encenar, imaginar...
Tua volta.

A tristeza me consome...
Meu corpo está frio
Acho que estou morrendo
E no camarim esquecida...
Apenas um corpo desfalecido
De amor.

Socorro Carvalho

Postagens em destaque

Em entrevista, o Poeta e Compositor santareno Renisson Luis Vasconcelos fala de sua arte e do amor que tem por Nossa Senhora da Conceição

Estamos na semana que antecede o Círio 2017 de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Santarém.  Uma semana intensa de preparativos ...