sexta-feira, outubro 19, 2007

SÓ UM DESEJO... APENAS


Hoje queria me despir dos conceitos...
Deixar falar minha imaginação.
Caminhar sem destino
Sentar no banco de uma praça
Comer jujuba, pipoca com maionese me lambuzar
Sem medo, sem temores...
Queria descer, a noite, na praia
De pés descalços pisar na areia
Contemplar a lua, respirar o cheiro do rio...
Queria deitar num canto quietinha
Ouvir o murmúrio do vento...
Sem me preocupar com o tempo
Queria rascunhar poemas
Falar da ternura da noite
Da calmaria do meu coração.
Queria navegar nas águas da solidão
Sem me impregnar de saudade.
Mas com o prazer gostoso de me reencontrar.
E no silêncio da noite
Achar uma forma de me libertar...
Libertar meus pensamentos,
Livrar-me da saudade que me traz você...
Mas o tempo corre apressado
Não posso parar
Preciso acompanhar...
Então sigo
O desejo é esquecido.
A praia deserta é ilusão.
Não me adianta fugir...
A vida real é aqui...
E você está contido
Aqui dentro de mim...



Socorro Carvalho

* Foto : Vanderlei Colares (Cair da noite em Alter do Chão - Santarém/Pa)

O POETA DA NOITE


No silêncio da noite o poeta escreve
Linha a linha, letra a letra
Vai preenchendo a branca folha de papel
Mais uma quadra
Mais uma rima
Doce como o mel
O poeta sente na noite fria
A inspiração
Que não sente durante o dia
Olhando as estrelas
Espreitando a lua
Abre o coração
Imagina paixões
Que de emoções estão repletas
E por isso diz
Que a noite
É amante dos poetas.

Autoria Desconhecida


* Foto: Rosilda Almada ( Pôr do sol sobre o Rio Tapajós - Santarém/Pa)

SE EU FOSSE POETA


Se eu fosse poeta...
te falaria da beleza do mar...
do seu azul infinito...
do seu verde...
dos seus mistérios profundos.


Se eu fosse poeta...
te falaria da beleza do céu...
da dança rítmica das nuvens...
do seu bailado maravilhoso.


Se eu fosse poeta...
te falaria da noite...
da luz da lua a brilhar...
a nos iluminar...
e a nos inspirar.


Se eu fosse poeta...
te falaria das estrelas...
estrelas cadentes, luzentes...
como pequenos diamantes...
raros, belos, intocáveis...
insondáveis e misteriososa piscar e a brilhar.


Ah! mas como eu não sou poeta...
sou apenas um ser vivente
que vive triste e carente
querendo ter o teu amor
e o meu amor te dar
não tenho o mistério do mar,
nem a beleza do céu
e não tenho o brilho da lua,
eu sou apenas uma mulher
que quer te fazer feliz
e que tem muito,
muitoamor pra te dar.

Sandra Mamede

*Foto: Vanderlei Colares ( Rio Tapajós Santarém /Pa)

Postagens em destaque

POEMA CABOCLO

Meu amor... Tem cor de alvorecer. Carícia de brisa das manhãs. Cor de pôr do sol. Aroma de cupuaçu... Sabor do bombom de muruc...