...MEU NOVO LAR, MEU NOVO AMOR...

Nessa tarde de clima manso, senti o meu corpo pensando em nós dois. Ele suspirava teu cheiro e se encontrava num belo conflito de interrogações: “estar na ‘tua casa’ é ‘estar em casa’? Sentir-se desafiado a não tomar atitudes que outrora tomava e me embriagava seria uma nova bebida mais saudável?” Por que, no momento, minha razão é quase como uma embriaguez – um momento no qual não se vê claramente o que se tem a frente, a não ser uma coisa: o caminho de volta, de casa, aquele que sempre acolhe e está pronto a receber... Mas voltar, para você, é não querer encarar o futuro presente, é não dar asas ao sonho de voar acompanhado. Um pensamento que é também compartilhado por mim, e que me tem treinado o exercício de definir os rumos, o futuro, nós dois, a possibilidade de sonhar acordado com alguém fazendo cafuné...

Lembro do dia em que me disse que o lar é o local onde você se encontra, acompanhado. Hoje, partilho do mesmo pensamento, com uma conclusão inevitável: nunca tinha me sentido em um lar “fora de casa”, e ao me deparar com essa realidade, meu corpo encontra, enfim, a resposta ao seu conflito: – estou em um novo lar, não somente em uma nova casa, estou nos braços de uma grande mulher, e mulher única...

Então, percebo o limite (ou seria angústia?) do meu novo querer ser: ele tem espaços pré-definidos, ele quer, já sabendo e experimentado o que deseja, ele encontrou subitamente o que esperava encontrar com mais tempo de estrada. Feito descoberta de um aventureiro, vive intensamente o que tem descoberto. E você é a descoberta! Uma vez lhe disse, amada: “você veio do futuro, encontrou-me primeiro do que eu. Antes que eu chegasse até você, chegaste até mim. Fui conquistado antes que eu pudesse fazer essa conquista...”


O amor me veio como advento, antes mesmo que eu chegasse a ele, sem dá tempo para me preparar, e ao mesmo tempo, me ajudando a encarar o agora mais decisivo dilema da vida: está em um novo lar, no qual o ‘eu’ é construtor com total consciência disso, vivendo e sentindo cada estágio da construção. E assim estou, construindo, edificando a obra, ao teu lado. E de vez em quando sinto um peso de “200 quilos” dessa nova realidade, o que para você é motivo de risos...

Ainda sinto vontade de visitar e passar uns dias em meu primeiro lar, no terreno das minhas lembranças. Essa é uma parte da história que o tempo permite, porque não há vida sem passado, sem memória. Diria que a lembrança é uma parte da história que a memória nos permite, e não necessariamente uma volta ao passado. Mas por ora, estou amando o meu presente, filmando-me em meu futuro.


F. Cesar Sousa


Feliz Aniversário, meu Amor!!!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Frases picantes que homens gostam de ouvir na hora do sexo

UMA CARTA PARA MEU FILHO AMADO..

ENFIM... MEUS 18 ANOS DE IDADE!!!