quarta-feira, abril 06, 2011

A BUSCA


"Trouxeste a chave?"Carlos Drummond de Andrade

Da casa onde não moro, nem do cofre,
do canto onde se cala o peito e sofre,
do teu ou meu sorrisos sem sorrir,
dos sonhos do mendigo ou do vizir,
dos fundos pensamentos, Zeus, Atena,
do fútil que por doce vale a pena,
daquela triste e leda madrugada,
as chaves não as tenho, não,
de nada.

Palavras rolarão, eu sei,
difíceis,
deixando-me o desprezo dos
seus mísseis
enquanto te procuro, ó Voz
que cinge
razão e sentimento. Acorda,
Esfinge.


(do livro Assim Nascem os Horizontes)

Foto: Município de Faro - pela lente do meu colega Nilton

ABERTAS INSCRIÇÕES PARA O 7º CONCURSO CAUSOS DO ECA



Na segunda – feira( 04/04) iniciaram  as inscrições para o 7º Concurso Causos do ECA, promovido pela Fundação Telefônica, através do Portal Pró-Menino.  O concurso, aberto a todos, pretende mostrar como a aplicação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) impactou positivamente a vida de crianças e adolescentes, gerando transformação social. As histórias podem ser inscritas até 6 de junho.

O concurso premiará “causos” em duas categorias no formato texto: “ECA como instrumento de Transformação”, voltada para a divulgação de experiências gerais em que a aplicação do ECA tenha transformado a vida de crianças e adolescentes;  e “ECA na Escola”, que prioriza a ação da instituição de ensino, e é destinada a promover histórias em que o estatuto tenha sido determinante para mudar uma situação na comunidade escolar. Os textos devem ter entre 2.800 e 6.000 caracteres e podem ter mais de um autor.

Nesta edição do concurso, foi criada uma categoria no formato vídeo: “ECA atrás das Câmeras”, voltada para organizações e produtoras que desenvolvem projetos com adolescentes e jovens para produção audiovisual. Os vídeos devem conter histórias de transformação social relacionadas à aplicação do ECA e ter, necessariamente, de 1 a 5 minutos de duração. Poderão ter a forma de documentário, animação, vídeo-arte etc.

A inscrição deverá ser feita pela organização ou produtora, mas os vídeos devem ser  produzidos pelos próprios adolescentes e jovens e/ou com a participação destes. A iniciativa tem como objetivo fortalecer o protagonismo juvenil e a divulgação destes produtores sociais engajados na defesa dos direitos de crianças e adolescentes. Os interessados podem inscrever quantas histórias quiserem.

Premiação

Serão premiados os três primeiros colocados de cada categoria. Assim, será concedido prêmio de R$ 15 mil para os primeiros colocados; de R$ 10 mil, para os segundos e de R$ 5 mil para os terceiros lugares. Também haverá a premiação por Júri Popular. O internauta poderá votar através do Portal Pró-Menino (www.promenino.org.br), sendo possível realizar dois votos: um para histórias em formato texto e um para histórias formato vídeo. Os vencedores receberão prêmio de R$ 10 mil, cada.

A escolha das 20 histórias finalistas no formato texto se dará por um Comitê de Avaliação formado por pessoas atuantes na área da infância e juventude, da Andi Comunicação e Direitos e da área de literatura. Entre os critérios adotados para a seleção, estão a relevância e a aplicação do ECA na história; o exemplo de cidadania; a transformação da realidade da criança ou do adolescente; e a criatividade de apresentação da história. Os 20 “causos” finalistas serão veiculados em uma publicação impressa e outra em meio digital.

Já o Comitê de Avaliação da categoria “ECA atrás das câmeras” será formado por um integrante do Canal Futura, um especialista da área da infância e juventude e um cineasta. Os cinco finalistas terão seus vídeos veiculados em uma publicação multimídia e na programação do Canal Futura.

A sexta edição do concurso, realizada em 2010, registrou um total de 1.196 histórias inscritas e participação de todos os Estados brasileiros. Os “causos” abordaram diversos temas, como abandono e negligência, atos infracionais, medidas socioeducativas, precariedade da situação familiar, inclusão escolar, violência doméstica e protagonismo juvenil. Desde sua primeira edição, o concurso já soma mais de 3.500 histórias.

Causos do ECA é uma iniciativa da Fundação Telefônica com a gestão executiva do Ceats (Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor), da FIA (Fundação Instituto de Administração) e é desenvolvido em parceria com a Andi e com o Canal Futura. O concurso conta com o apoio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

Mais informações:
Fundação Telefônica - Assessoria de imprensa
Marli Romanini
Fone: (11) 3035-1971
e.mail: marli.romanini@maquina.inf.br


Site: ANDI

FOFOCA PODE SER BENÉFICA PARA AMBIENTE DE TRABALHO, APONTA ESTUDO





Estudo realizado pelo professor Giuseppe Labianca em conjunto com alunos de doutorado da Universidade de Kentucky, Travis Grosser e Virginie Lopez-Kidwell, apontaram que a fofoca pode ser muito útil para o pessoal de uma empresa, sobretudo quando o fluxo de informações provenientes do alto é interrompido, como costuma ocorrer quando a companhia está em crise ou passando por mudanças.

Os pesquisadores procuraram examinar o comportamento social de 30 empregados de um departamento de uma mesma empresa norte-americana. Avaliaram suas redes sociais, com quem fofocavam e quanta influência cada um tinha.

Eles chegaram à conclusão de que quem fofoca mais tem maior compreensão do entorno social e influencia mais os colegas. "Se pouca gente sabe o que realmente está acontecendo, a fofoca se torna o meio de difundir essa informação a todo o resto. Além disso, estudos mostram que a fofoca reduz a ansiedade e ajuda as pessoas a lidar com a incerteza", afirma Labianca, em entrevista ao site da Harvard Business Review.

Opinião

Na avaliação do headhunter da De Bernt Entschev Human Capital, Rômulo Machado, o benefício da fofoca depende, quase que integralmente, do contexto em que ela é empregada. "Existem diferenças culturais entre o Brasil e os EUA. Os americanos, por exemplo, são mais objetivos, têm mais foco do que os brasileiros. Os estrangeiros são mais centrados, enquanto o profissional nacional é mais expansivo", diz.

No geral, contudo, a conversa paralela pode ser empregada para o melhor entendimento do trabalho e dos rumos da organização. Caso a motivação em fofocar exista exclusivamente para troca de informações, com o objetivo de tentar entender o contexto por qual passa a empresa, esse comportamento será positivo.

"Nessas situações, criam-se elos de confiança entre as pessoas que conversam. Movimentos assim podem fazer com que as pessoas ganhem engajamento e fortaleçam alianças entre si", descreve Machado.

Camadas

De uma maneira geral, o ser humano, independentemente de onde esteja, cria relacionamentos e faz os seus comentários. Os países latinos, por sua vez, são os mais passionais, nos quais existe uma necessidade maior dessa convivência.

O brasileiro, na definição do executivo da De Bernt, gosta de  “encontros informais”, o que faz com que ele crie vínculos mais fortes com os colegas. Tudo depende do tipo de informação passada: se a pessoa quer denegrir a imagem de um profissional, óbvio que os frutos colhidos, tanto por empresa, fofoqueiro e vítima, não serão dos melhores.


Fonte: Site

Fofoca é o ato de espalhar contar ao próximo fatos que não deveriam ser contados, ou então observações intima da vida dos outros


Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...