quarta-feira, abril 06, 2011

A BUSCA


"Trouxeste a chave?"Carlos Drummond de Andrade

Da casa onde não moro, nem do cofre,
do canto onde se cala o peito e sofre,
do teu ou meu sorrisos sem sorrir,
dos sonhos do mendigo ou do vizir,
dos fundos pensamentos, Zeus, Atena,
do fútil que por doce vale a pena,
daquela triste e leda madrugada,
as chaves não as tenho, não,
de nada.

Palavras rolarão, eu sei,
difíceis,
deixando-me o desprezo dos
seus mísseis
enquanto te procuro, ó Voz
que cinge
razão e sentimento. Acorda,
Esfinge.


(do livro Assim Nascem os Horizontes)

Foto: Município de Faro - pela lente do meu colega Nilton

ABERTAS INSCRIÇÕES PARA O 7º CONCURSO CAUSOS DO ECA



Na segunda – feira( 04/04) iniciaram  as inscrições para o 7º Concurso Causos do ECA, promovido pela Fundação Telefônica, através do Portal Pró-Menino.  O concurso, aberto a todos, pretende mostrar como a aplicação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) impactou positivamente a vida de crianças e adolescentes, gerando transformação social. As histórias podem ser inscritas até 6 de junho.

O concurso premiará “causos” em duas categorias no formato texto: “ECA como instrumento de Transformação”, voltada para a divulgação de experiências gerais em que a aplicação do ECA tenha transformado a vida de crianças e adolescentes;  e “ECA na Escola”, que prioriza a ação da instituição de ensino, e é destinada a promover histórias em que o estatuto tenha sido determinante para mudar uma situação na comunidade escolar. Os textos devem ter entre 2.800 e 6.000 caracteres e podem ter mais de um autor.

Nesta edição do concurso, foi criada uma categoria no formato vídeo: “ECA atrás das Câmeras”, voltada para organizações e produtoras que desenvolvem projetos com adolescentes e jovens para produção audiovisual. Os vídeos devem conter histórias de transformação social relacionadas à aplicação do ECA e ter, necessariamente, de 1 a 5 minutos de duração. Poderão ter a forma de documentário, animação, vídeo-arte etc.

A inscrição deverá ser feita pela organização ou produtora, mas os vídeos devem ser  produzidos pelos próprios adolescentes e jovens e/ou com a participação destes. A iniciativa tem como objetivo fortalecer o protagonismo juvenil e a divulgação destes produtores sociais engajados na defesa dos direitos de crianças e adolescentes. Os interessados podem inscrever quantas histórias quiserem.

Premiação

Serão premiados os três primeiros colocados de cada categoria. Assim, será concedido prêmio de R$ 15 mil para os primeiros colocados; de R$ 10 mil, para os segundos e de R$ 5 mil para os terceiros lugares. Também haverá a premiação por Júri Popular. O internauta poderá votar através do Portal Pró-Menino (www.promenino.org.br), sendo possível realizar dois votos: um para histórias em formato texto e um para histórias formato vídeo. Os vencedores receberão prêmio de R$ 10 mil, cada.

A escolha das 20 histórias finalistas no formato texto se dará por um Comitê de Avaliação formado por pessoas atuantes na área da infância e juventude, da Andi Comunicação e Direitos e da área de literatura. Entre os critérios adotados para a seleção, estão a relevância e a aplicação do ECA na história; o exemplo de cidadania; a transformação da realidade da criança ou do adolescente; e a criatividade de apresentação da história. Os 20 “causos” finalistas serão veiculados em uma publicação impressa e outra em meio digital.

Já o Comitê de Avaliação da categoria “ECA atrás das câmeras” será formado por um integrante do Canal Futura, um especialista da área da infância e juventude e um cineasta. Os cinco finalistas terão seus vídeos veiculados em uma publicação multimídia e na programação do Canal Futura.

A sexta edição do concurso, realizada em 2010, registrou um total de 1.196 histórias inscritas e participação de todos os Estados brasileiros. Os “causos” abordaram diversos temas, como abandono e negligência, atos infracionais, medidas socioeducativas, precariedade da situação familiar, inclusão escolar, violência doméstica e protagonismo juvenil. Desde sua primeira edição, o concurso já soma mais de 3.500 histórias.

Causos do ECA é uma iniciativa da Fundação Telefônica com a gestão executiva do Ceats (Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor), da FIA (Fundação Instituto de Administração) e é desenvolvido em parceria com a Andi e com o Canal Futura. O concurso conta com o apoio da Lei Rouanet de Incentivo à Cultura.

Mais informações:
Fundação Telefônica - Assessoria de imprensa
Marli Romanini
Fone: (11) 3035-1971
e.mail: marli.romanini@maquina.inf.br


Site: ANDI

FOFOCA PODE SER BENÉFICA PARA AMBIENTE DE TRABALHO, APONTA ESTUDO





Estudo realizado pelo professor Giuseppe Labianca em conjunto com alunos de doutorado da Universidade de Kentucky, Travis Grosser e Virginie Lopez-Kidwell, apontaram que a fofoca pode ser muito útil para o pessoal de uma empresa, sobretudo quando o fluxo de informações provenientes do alto é interrompido, como costuma ocorrer quando a companhia está em crise ou passando por mudanças.

Os pesquisadores procuraram examinar o comportamento social de 30 empregados de um departamento de uma mesma empresa norte-americana. Avaliaram suas redes sociais, com quem fofocavam e quanta influência cada um tinha.

Eles chegaram à conclusão de que quem fofoca mais tem maior compreensão do entorno social e influencia mais os colegas. "Se pouca gente sabe o que realmente está acontecendo, a fofoca se torna o meio de difundir essa informação a todo o resto. Além disso, estudos mostram que a fofoca reduz a ansiedade e ajuda as pessoas a lidar com a incerteza", afirma Labianca, em entrevista ao site da Harvard Business Review.

Opinião

Na avaliação do headhunter da De Bernt Entschev Human Capital, Rômulo Machado, o benefício da fofoca depende, quase que integralmente, do contexto em que ela é empregada. "Existem diferenças culturais entre o Brasil e os EUA. Os americanos, por exemplo, são mais objetivos, têm mais foco do que os brasileiros. Os estrangeiros são mais centrados, enquanto o profissional nacional é mais expansivo", diz.

No geral, contudo, a conversa paralela pode ser empregada para o melhor entendimento do trabalho e dos rumos da organização. Caso a motivação em fofocar exista exclusivamente para troca de informações, com o objetivo de tentar entender o contexto por qual passa a empresa, esse comportamento será positivo.

"Nessas situações, criam-se elos de confiança entre as pessoas que conversam. Movimentos assim podem fazer com que as pessoas ganhem engajamento e fortaleçam alianças entre si", descreve Machado.

Camadas

De uma maneira geral, o ser humano, independentemente de onde esteja, cria relacionamentos e faz os seus comentários. Os países latinos, por sua vez, são os mais passionais, nos quais existe uma necessidade maior dessa convivência.

O brasileiro, na definição do executivo da De Bernt, gosta de  “encontros informais”, o que faz com que ele crie vínculos mais fortes com os colegas. Tudo depende do tipo de informação passada: se a pessoa quer denegrir a imagem de um profissional, óbvio que os frutos colhidos, tanto por empresa, fofoqueiro e vítima, não serão dos melhores.


Fonte: Site

Fofoca é o ato de espalhar contar ao próximo fatos que não deveriam ser contados, ou então observações intima da vida dos outros


Postagens em destaque

DANIELLE LIMA!! PARA VOCÊ, UMA CARTA DO MEU CORAÇÃO... FELIZ ANIVERSÁRIO!!!

Querida filha, Danielle Katrine Hoje, pensei em te fazer um poema!! Rimar versos para te falar do meu amor... Mas como poetizar,...