quarta-feira, abril 06, 2011

A BUSCA


"Trouxeste a chave?"Carlos Drummond de Andrade

Da casa onde não moro, nem do cofre,
do canto onde se cala o peito e sofre,
do teu ou meu sorrisos sem sorrir,
dos sonhos do mendigo ou do vizir,
dos fundos pensamentos, Zeus, Atena,
do fútil que por doce vale a pena,
daquela triste e leda madrugada,
as chaves não as tenho, não,
de nada.

Palavras rolarão, eu sei,
difíceis,
deixando-me o desprezo dos
seus mísseis
enquanto te procuro, ó Voz
que cinge
razão e sentimento. Acorda,
Esfinge.


(do livro Assim Nascem os Horizontes)

Foto: Município de Faro - pela lente do meu colega Nilton

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

DANIELLE LIMA!! PARA VOCÊ, UMA CARTA DO MEU CORAÇÃO... FELIZ ANIVERSÁRIO!!!

Querida filha, Danielle Katrine Hoje, pensei em te fazer um poema!! Rimar versos para te falar do meu amor... Mas como poetizar,...