sexta-feira, setembro 02, 2011

ASSIM É O NOSSO AMOR




Basta você e eu
Nós estamos no céu
Não é preciso testemunha
Nem juíz, nem papel
Ficarmos juntos, pra mim
Não é cadeia
Nosso amor pegou na veia
Nosso amor pegou na veia
Ficarmos juntos pra mim, é liberdade
Nós estamos rindo á toa
Nosso amor é de verdade
(refrão)
Assim é o nosso amor
Quem manda é a emoção
E a força que amarra a gente
Vem do coração
Assim é o nosso amor
E vai ser pra sempre assim
Eu vim ao mundo pra você
Você nasceu pra mim
                 
 Raça Negra

EIIIII ISABEL!! PARABÉNS!!


Livre, leve e solta!!!
Assim  é a Isabel Cristina, a Bel.
Uma incógnita a voar nas asas da liberdade.
As vezes mulher, outras vezes menina.
As vezes largada, outras vezes comedida e arrumadinha.
Virginana , detalhista, perfeccionista ao extremo.
Companheira, fiel, amiga e prestativa quando se trata das pessoas que ama de verdade.
Mesmo que de cara cause outra impressão...
Isabel tem no coração a generosidade sempre a mão.
E para quem conhece sabe que para ajudar um amigo (a) não faz objeção e nem impõem condição.
Sensata sabe lutar pelos objetivos e crer sempre na possibilidade de realização dos sonhos.
Mulher! Tem sentimentos nobres e no peito amor sincero, guardado a sete chaves,  como a proteger lembranças ímpares que  jamais  pretende esquecer.Talvez , quem sabe, ou pode ser que ela esteja apenas na platéia de um palco qualquer  de olhos  atentos ao picadeiro a espera de um certo palhaço que possa aparecer... Quem sabe?!
Acreditar, ter  fé e esperança nunca é demais. Então, deixa a vida te levar Bel ... 
O resto?  Deus proverá.


Feliz Aniversário!!

Um grande abraço

Com todo carinho da  Socorro Carvalho

COM GREVE DO SERVIÇO FUNERÁRIO, ENTERROS SÃO FEITOS À NOITE EM SP


Funcionários terceirizados trabalhavam no cemitério Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte, na manhã desta sexta-feira (Foto: Nelson Antoine/Agência Estado


Funcionários do Serviço Funerário de São Paulo continuam em greve nesta sexta-feira (2), apesar de ordem contrária do Tribunal de Justiça. Nos cemitérios, enterros atrasados já são feitos até à noite, iluminados por faróis de carros. Com a paralisação, algumas famílias demoram até 30 horas para enterrar seus parentes.
Na noite desta quinta (1º), pelo menos quatro enterros foram realizados depois do anoitecer no Cemitério da Vila Formosa, na Zona Leste. Na capital, os enterros normalmente só são feitos até as 17h. Funcionários da limpeza, terceirizados, faziam às vezes de coveiros. Os familiares dos mortos eram convidados a colocar seus carros o mais próximo possível de onde ficariam as sepulturas para iluminar o local.
Ninguém da administração apresentou justificativas. Os funcionários da limpeza disseram apenas que os enterros à noite foram uma forma de contornar "a fila" para sepultamentos. Como alguns casos já se estendiam havia dois dias, existia o risco de deterioração dos cadáveres. Em várias outras regiões da cidade, o cenário de atrasos era idêntico. Em alguns cemitérios, funcionários terceirizados chegaram a cavar covas em série para "adiantar o serviço".
Sindicato mantém greve
O sindicato que representa os servidores municipais da capital paulista disse que vai recorrer da decisão do Tribunal de Justiça de São Paulo que determinou a volta imediata dos funcionários do serviço funerário ao trabalho. Entretanto, nesta sexta-feira, a greve entrou no quarto dia – segundo o sindicato, 90% dos 1,3 mil trabalhadores da área permaneciam parados.

Fonte: G1

1945: CAPITULAÇÃO DO JAPÃO NA SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

Delegação japonesa a bordo do USS Missouri
Em 2 de setembro de 1945, o Japão assinou a declaração de capitulação da Segunda Guerra Mundial. Pouco antes, a Força Aérea dos Estados Unidos havia arrasado as cidades de Hiroshima e Nagasaki com bombas nucleares.

"...o inimigo começou a empregar uma nova e especialmente cruel bomba, capaz de matar muitas pessoas inocentes e cujo poder de destruição é incalculável. Se continuássemos a lutar, isto significaria não apenas o colapso e a destruição da nação japonesa, como também levaria ao extermínio completo da civilização humana..."

Estas foram as palavras do imperador Hirohito, pronunciadas alguns dias após o lançamento das bombas atômicas sobre Hiroshima e Nagasaki. No dia 2 de setembro de 1945, o império japonês capitulou. "Nós ganhamos o jogo", comentou Harry S. Truman, então presidente norte-americano, o lançamento das bombas, logo após a assinatura da rendição japonesa, efetuada no navio de guerra USS Missouri.

Até então, o império japonês se impunha com uma estratégia agressiva: em 1937, tomara a China. Num ataque-surpresa, em 7 de dezembro de 1941, destruiu a esquadra norte-americana ancorada na base naval de Pearl Harbor, no Havaí.

Meio ano depois, o Japão ocupou o Sudeste da Ásia e a maior parte do Pacífico Ocidental, um enorme território que chegava até a fronteira da Índia e à Austrália. Tais façanhas foram possíveis graças ao acordo de 1939, que criou o "eixo" Alemanha-Itália-Japão, e ao pacto de não-agressão com a União Soviética.




Esta foto de Hiroshima, tomada em abril de 1946 mostra a dimensão dos estragos provocados pela bomba atômica lançada sobre a cidade em 6 de agosto de 1945


Fanatismo, apesar da derrota

A virada militar a favor dos Aliados ocorreu quando os americanos venceram as batalhas navais de Midway e do Mar de Coral, em 1942. O resultado foi a perda da supremacia aérea e marítima do Japão na região. Apesar da evidente derrota, os mais fanáticos teimavam em continuar resistindo, à medida que os aliados se aproximavam da ilha.


Esta foto de Hiroshima, tomada em abril de 1946 mostra a dimensão dos estragos provocados pela bomba atômica lançada sobre a cidade em 6 de agosto de 1945
O lançamento das bombas nucleares sobre Hiroshima e Nagasaki, em agosto de 1945, e a declaração de guerra da União Soviética contra o Japão levaram o imperador Hirohito a exigir de seu governo o fim incondicional da guerra, apesar da resistência de outros dirigentes políticos e militares.

Até hoje se questiona a real necessidade de empregar bombas atômicas já no final da guerra. Muitos norte-americanos ainda acreditam que seu lançamento foi necessário, para obrigar a rendição japonesa e evitar a morte de milhares de soldados de seu país.

Entretanto, o historiador e ex-funcionário do Departamento de Estado norte-americano Gar Alperovitz é de outra opinião: "Acho que o presidente conhecia outras possibilidades de acabar com a guerra até mais rapidamente. Na verdade, é preciso dizer: quando lançou a bomba, o presidente muito provavelmente sacrificou também a vida de americanos". Apesar da rendição, ainda levou um bom tempo até os japoneses se distanciarem de sua política expansionista.

Michael Marek (ms)


Fonte:   Site da   Deutsche Welle

MEU CUMPRIMENTO A VOCÊ


Passo por você e não te olho
Deixo você passar para depois te olhar..
Passo e não te cumprimento
Depois, sonho em ti cumprimentar..
Ao te ver esnobo sua imagem
E quando estou longe, sonho em te encontrar..
Quando tenho oportunidades, não o faço,
Quando não tenho, peço por mais uma..
Por trinta minutos te desejo e mais trinta a timidez destrói este pensamento..
Se te vejo, mudo de direção,
Depois, sonho em me perder com você..
Se ti vejo lá longe, peço com que venha para cá,
Se você vem, abaixo a cabeça..
Já pensei em esquecer você, mas a força do amor cobre isto,já pensei em jogar tudo para o alto e ficar com você, mas a coragem me falta,
Chegaria correndo até você...
e depois voltaria...
Se o fazer fosse tão fácil quanto o pensar e a coragem fosse tão grande quanto minha vontade,
a minha timidez seria pequena em relação ao amor que sinto...

Autor: Arnóbio silva

Postagens em destaque

VERSOS, PARA MEU NETO...

Um dia você chegou... Trouxe consigo o melhor verso. A brisa que acaricia, O vento que embala. Seu sorriso trouxe o alvorecer.   ...