quarta-feira, dezembro 07, 2011

GRAMÁTICO APAIXONADO



Enrolo a língua e fico à míngua
Não faço uma frase.
Quero de fato fazer desse hiato
De novo uma crase.
Meus versos são feitos em forma de oração
Sem subordinação.
Eu sou sujeito e você minha predicação.


Não leve a mal se eu sou radical nessa minha ideia.
Se você vai embora
O orvalho que chora
É uma prosopopeia.
Não meta fora a mim desse nosso assunto
Nós somos conjunto.
Eu quero ser o seu núcleo
E não adjunto.


De qualquer jeito
Eu quero um tempo perfeito de concordância
Com você a dizer:
"Vem cá, meu amor, que hoje é imperativo
Se concretizar esse substantivo
Artigo que me definiu,
Sem você eu não vivo"


Estou com a Norma
Mas isto não é forma de viver feliz.
A Norma é culta
Mas vê se me escuta
Estou por um triz.
Se você fizer questão
Eu lhe peço clemência
Com a máxima urgência.
Dentro do meu coração
Você faz a regência.

De André Conforte e Walace Cestari 
Fonte: CD "Pare, Olhe, Escute", do grupo Passagem de Nível (independente, 2008)





ESTADO DO TAPAJÓS



Ao contrário do que se apregoa como separatismo, interesse político e oportunismo, a criação do Novo Estado só trará benefícios, pois servirá para solidificar a vigilância e a soberania sobre as riquezas, proporcionando o desenvolvimento harmonioso do Brasil, gerando renda e empregos também para o povo do interior. Assim, devido à distância que separa a Região do Baixo Amazonas da capital do Pará, o futuro Novo Estado, na prática, já se constitui uma unidade com vida própria desde o Brasil Imperial.

Embora essa falta de presença do poder público em espaços distantes da capital (Belém) seja evidente em relação às áreas ribeirinhas do interior do Pará e venha impedindo há décadas o desenvolvimento econômico regional, muitos desconhecem e evitam conhecer que estados gigantescos como Pará e o Amazonas, são inviáveis do ponto de vista sócio-econômico e administrativo. Por essa razão, considero a criação do Novo Estado na região do Oeste do Pará, mais do que um projeto político, um projeto de inclusão sócio-econômico e de desenvolvimento estratégico de segurança nacional, no Norte do Brasil. 


Do artigo: Estado do Tapajós de autoria de  Djalmira de Sá Almeida.
Leia o  artigo completo AQUI




CONHEÇA A TV BELO MONTE



Acessem a TV Belo Monte e recomendem a seus amigos e familiares, por meio das redes sociais nas quais participem. Discutam o tema.


Já está na internet a TV Belo Monte (www.tvbelomonte.com.br), um canal criado pela Norte Energia S.A. para informar a sociedade sobre a Usina Hidrelétrica Belo Monte. A obra, que suscita polêmica, grande parte em virtude da falta de informação, está sendo traduzida em vídeos sobre diversos temas, tais como desenvolvimento da região, impactos sobre as comunidades indígenas, área alagada e audiências públicas que precederam o projeto. Tudo com o objetivo de esclarecer à sociedade e estabelecer a verdade dos fatos.

A TV Belo Monte vai ajudar na disseminação de conhecimento sobre a construção de Belo Monte e seus reais impactos, além de esclarecer alguns mitos que ainda permeiam o senso comum. A proposta é criar um "canal em construção", com uma programação que, filme a filme, colabore positivamente com o debate sobre o desenvolvimento sustentável do Pará e da Amazônia.

A TV Belo Monte vai apresentar a série de audiovisuais, com qualidade cinematográfica, que está em produção pela Norte Energia; vai responder questões pontuais, na voz de especialistas do setor elétrico e da Norte Energia. Este novo canal vai abrir um espaço para interação com quem busca informação qualificada sobre o projeto.
Acessem a TV Belo Monte e recomendem a seus amigos e familiares, por meio das redes sociais nas quais participem. O diálogo é fundamental.

A partir desta semana, chamadas para a TV Belo Monte serão inseridas nos principais portais da internet brasileira.


Postagens em destaque

POEMA CABOCLO

Meu amor... Tem cor de alvorecer. Carícia de brisa das manhãs. Cor de pôr do sol. Aroma de cupuaçu... Sabor do bombom de muruc...