quinta-feira, março 15, 2012

BRASIL PERDE RENOMADO CIENTISTA

César Ades era um dos maiores especialistas do Brasil em comportamento animal
(Foto: Reprodução/CNPq)


O professor da Universidade de São Paulo, César Ades, morreu na noite desta quarta-feira (14), vítima de um atropelamento na semana passada, informou a assessoria de imprensa da USP. Ades tinha 69 anos e era considerado um dos maiores especialistas do Brasil em etologia, disciplina que estuda o comportamento animal.

O velório será realizado das 9h às 13h desta quinta (15), na Biblioteca Dante Moreira Leite, no Instituto de Psicologia da USP (IP) – Avenida Prof. Mello Moraes, 1721, Cidade Universitária, em São Paulo. O sepultamento será no Cemitério Israelita do Embu, às 15h – Estrada Keiichi Mtsumoto, 21, Embu (SP). Em luto, o IP suspendeu suas aulas e atividades nesta quinta.

Nascido no Egito e naturalizado brasileiro, Ades se formou em Psicologia em 1965 e era livre-docente pela USP desde 1991.

Foi diretor do IP e do Instituto de Estudos Avançados da universidade, fundador da Sociedade Brasileira de Etologia (Sbet) e membro do Conselho Internacional de Etologia. Ades também fundou a brasileira Revista de Etologia e era membro da Academia Paulista de Psicologia.

“É um nome fundamental no desenvolvimento da etologia do Brasil não só pelo seu trabalho, mas também pelo seu entusiasmo, pela sua generosidade e pela grande contribuição que deu na formação de novos grupos de pesquisa”, afirmou Elisabeth Spinelli de Oliveira, da USP de Ribeirão Preto e atual presidente da Sbet.


“Era uma pessoa de muita importância, muita alegria, de convivência muito fácil, é uma perda irreparável”, completou a pesquisadora.

“Não dá para falar em etologia no Brasil sem falar no nome dele”, concordou Gilson Genaro, professor do Centro Universitário Barão de Mauá, em Ribeirão Preto, que trabalhou com ele na Sbet. “Ele é o principal nome da etologia do Brasil, por sua competência e por sua dedicação”.

De aranhas a macacos

Ades trabalhava com várias linhas de pesquisa e diferentes animais, de aranhas a macacos. Suas principais contribuições à ciência foram na área da comunicação animal.
Segundo Genaro, se destaca na bibliografia de Ades um estudo que descreve uma dança de acasalamento feita pelo porquinho-da-índia. Outra pesquisa importante foi a que descreveu o comportamento do muriqui, o maior macaco brasileiro.

O Globo Repórter de 14 de maio de 2010 destacou um estudo que o professor conduziu com cachorros. No programa, ele afirmou que tem certeza que os cães são capazes de se comunicar com os humanos.
“Toda hora, a gente descobre coisas. Sempre tem alguma coisa nova, que te ensina que corrige as concepções que você já fez. É de uma riqueza impressionante”, afirmou o psicólogo à reportagem do programa.

A atuação de Ades também foi de destaque fora dos laboratórios. “Não só foi um pesquisador brilhante, como foi também um administrador brilhante”, disse Gilson Genaro, destacando os institutos que o psicólogo dirigiu durante a carreira.

“Ele não tinha se retirado da ciência. Queria continuar atuando na formação de pesquisadores e na edição da Revista de Etologia”, apontou Elisabeth Spinelli de Oliveira.


Fonte: G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

Chuva que rega saudade...

O dia amanheceu chovendo. Passou nublado. A tarde chegou com um tímido  sol .  Ao meu redor,  vejo rastros de saudade a penetrar me...