quinta-feira, junho 28, 2012

LEMBRAR DE AMAR




Detalhes tão pequenos de nós dois
Me faz lembrar que um dia
A tempestade veio pra nós dois
Assim ela nos fez pensar
Se tudo é passageiro pra nós dois
Menos o amor que é de nós dois...
Lembrar de amar... faz bem pra sua mente
Lembrar de amar... faz bem pro mundo inteiro
Conversas traiçoieras de nós dois
Nos fazem decidir em vão
Mergulhamos em erros, acertos e enterros
De mágoas
Somente aquela chuva gelada
Que toca e regenera
O sonho adolescente de nós dois
Que passa mas volta...
Lembrar de amar... faz bem pro seu cabelo
Lembrar de amar... faz bem pra sua pele
Lembrar de amar... faz bem pra sua mente
Lembrar de amar....faz bem pro mundo inteiro
Se eu saio de cena
Você me atormenta
Diz que é pra eu cuidar
Pra não abrir a concorrência
Diz que é pra eu aguar
A flor que existe em você
Porque então me chatear?
Se eu vou sempre lembrar de nós dois
De nós dois...
Lembrar de amar... faz bem pro seu cabelo
Lembrar de amar... faz bem pra sua pele
Lembrar de amar... faz bem pra sua mente
Lembrar de amar... faz bem pro mundo inteiro
Hoje tá um frio e lá fora tá chovendo
Mas por mim tá tudo bem
Aqui só dá nós dois
E quando no verão é todo dia toda hora
Lá na terra do sol
Só vai dá nós dois...
Lembrar de amar... faz bem pra sua mente
Lembrar de amar... amar o mundo inteiro
Manitu

ACOMPANHE O ENCONTRO DOS BISPOS DA AMAZÔNIA



De 02 a 06 de julho, Santarém será a sede do do 10º Encontro dos Bispos da Amazônia. Para ajudar nas informações foi criado  o blog: ENCONTRO DOS BISPOS DA AMAZÔNIA

Durante todo o  evento, a Rádio Rural de Santarém, emissora da Diocese de Santarém, vai fazer a cobertura completa, por meio da equipe do setor de jornalismo da emissora. 

Para a realização do evento, os organizadores estão tralhando bastante, para que tudo esteja pronto para receber e acolher os religiosos que participarão do encontro.  

Acompanhe toda a programação do 10º Encontro dos Bispos da Amazônia, pelas ondas da Rádio Rural  dentro da programação normal e dos três jornais da emissora.

Qualquer dúvida, entrem em contato.
Com  Ercio Santos - Pascom/Diocese de Santarém
(93) 9121-1200/ (93) 3522- 1175


Socorro Carvalho

MINHAS INSPIRAÇÕES E O CARINHO DA RÔ E ANTÓNIO...


Longos dias sem fim
São aqueles que passo sem este blog ver
Tão longos que cai em mim
Uma vontade enorme da net sempre a ter

Todas as vezes que sentires o vento
Todas as vezes que vires o pó a levantar
São as vezes que estes teus amigos em Portugal
Estão,deliciosamente, suas palavras a beijar


Rô e António

O TEMPO




Um raio passou e num instante despedaçou meu coração,
Muitos acontecimentos ao longo dos anos me deixaram como o vento que sopra,
Sem destino,
Estrelas continuam pendentes neste céu de ilusão,
Que foi tudo que restou,

Derepente um novo mundo se apresentou,
E num piscar de olhos vi a própria dor, tão nítida como a face da lua triste,
Como um anjo eu só quis dar todo meu amor,
Tudo em vão!
Talvez eu tenha insistido demais e assim...

Numa manhã chuvosa se pode descobrir todo o mundo,
Mas a loucura pode estar muito mais perto do que pensamos,
Um refúgio a dias sombrios sozinha sob as cobertas saboreio o silêncio total,
Vazia mas íntegra pela minha pessoa embora,
Crises aconteçam…

E eu vou me transformando com o tempo que não pára, seguindo…
Gravada em cada página  desta vida,
Não querendo  apressar o mundo…
Indo somente respirando um dia após o outro, lentamente,
E  feliz consigo mesma.
                                                                                  Rosi Sobotková
                                                                                  Praga, 26.05.2012

XUXA NUA E CENAS DE SEXO COM MENOR CONTINUAM DISPONÍVEIS NO GOOGLE

Xuxa, nua, em cena sensual com menor de idade

O site de buscas Google foi liberado da obrigação de restringir suas pesquisas referentes à apresentadora de TV Xuxa Meneghel associada ao termo “pedófila”. A decisão foi dada de forma unânime pela Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), em ação movida pela apresentadora contra a empresa de serviços on-line. A Turma acompanhou integralmente o voto da relatora do processo, ministra Nancy Andrighi.

A apresentadora entrou na Justiça contra o Google pedindo que o site fosse impedido de disponibilizar resultados de pesquisas feitas com a expressão “Xuxa pedófila” ou qualquer outra que a associasse a algum termo correlato. Muitos dos sites encontrados nessas pesquisas referem-se ao filme “Amor Estranho Amor”, de 1982, dirigido por Walter Hugo Khouri, no qual a apresentadora (então atriz e modelo) contracena em situação erótica com um menino.

Ao julgar pedido de antecipação de tutela, o juiz de primeira instância determinou que a Google Brasil Internet Ltda. não disponibilizasse resultados de pesquisas e imagens associando a apresentadora à expressão “pedófila”. A proibição se estendia também a qualquer resultado de pesquisas pelos nomes “Xuxa” e “Xuxa Meneghel”, ou expressões com grafia parecida.

O juiz fixou multa de R$ 20 mil para cada resultado apresentado nas pesquisas. Após recurso da empresa, o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ) determinou que apenas determinadas imagens fossem restringidas, permitindo a exibição dos links, e manteve a multa.

Já no STJ, a empresa alegou que se aplicaria ao caso o artigo 248 do Código Civil, que determina que obrigações impostas judicialmente, quando impossíveis de serem cumpridas, devem ser consideradas como resolvidas. Alegou que não há tecnologia disponível para censurar expressões e imagens de forma tão específica. Além disso, o site da Google não é de notícias ou fofocas e sim um organizador de informações da internet. O advogado da empresa comparou a ação a um ataque contra o índice de uma biblioteca por se discordar do conteúdo dos livros. Ele apontou que o índice poderia ser suprimido, mas os livros iriam continuar lá.

Conteúdo online

A ministra Nancy Andrighi destacou que é a primeira vez que o tema de conteúdo on-line ofensivo, em relação a sites de busca, é tratado no STJ. Ela apontou, inicialmente, que há relação de consumo entre o usuário e os buscadores da internet, mesmo sendo o serviço oferecido gratuitamente. Entretanto, prosseguiu, não se pode considerar defeituoso (nos termos do Código de Defesa do Consumidor) o site de busca que não tem um controle prévio sobre o resultado de suas pesquisas. Seria, portanto, fundamental determinar o limite de responsabilidade da empresa que presta esse tipo de serviço on-line.

Essa responsabilidade, asseverou a relatora, deve ser restrita à natureza das atividades desenvolvidas pela empresa. Ela observou que o provedor de pesquisa “não inclui, hospeda, organiza ou de qualquer outra forma gerencia as páginas virtuais indicadas nos resultados disponibilizados, limitando-se a indicar links onde podem ser encontrados os termos de busca fornecidos pelo próprio usuário”.

“No que tange à filtragem do conteúdo das pesquisas feitas por cada usuário, não se trata de atividade intrínseca ao serviço prestado”, esclareceu. Além disso, há a questão da impossibilidade técnica do pedido. Ela apontou que, pela própria subjetividade do dano moral, seria impossível determinar parâmetros que pudessem ser utilizados por máquinas para filtrar a pesquisa.

A ministra destacou que os outros casos tratados no STJ se referiam a páginas que têm controle sobre o próprio conteúdo, como as de rede social. Para a ministra, exigir uma censura prévia dos sites de pesquisa seria restringir uma das mais importantes características da internet, ou seja, a possibilidade de disponibilizar dados on-line em tempo real. Acrescentou que os sites de busca pesquisam no universo virtual, em que o acesso é público e irrestrito, e onde estão disponíveis até mesmo dados ilícitos.

A ministra reconheceu a dificuldade de acionar cada uma das páginas que tenham conteúdo inadequado, mas afirmou que, identificado o endereço eletrônico da página, não há razão para que se acione na Justiça o site de pesquisa que apenas facilita o acesso ao material disponibilizado publicamente na internet. Ela ponderou também que uma restrição tão severa à pesquisa, da forma como fora determinada pelo juiz, poderia dificultar a divulgação do próprio trabalho da apresentadora.

Nancy Andrighi disse ainda que, a pretexto de impedir a propagação de conteúdo ilícito ou ofensivo, “não se pode reprimir o direito da coletividade à informação”. Segundo ela, entre o direito social à informação e o direito à intimidade de um indivíduo, deve prevalecer o primeiro. “Não é uma solução perfeita, mas é a possível no momento”, concluiu.


CAMPO DE FLORES


Deus me deu um amor no tempo de madureza,
quando os frutos ou não são colhidos ou sabem a verme.
Deus - ou foi talvez o Diabo - deu-me este amor maduro,
e a um e outro agradeço, pois que tenho um amor.

Pois que tenho um amor, volto aos mitos pretéritos
e outros acrescento aos que amor já criou.
Eis que eu mesmo me torno o mito mais radioso
e talhado em penumbra sou e não sou, mas sou.

Mas sou cada vez mais, eu que não me sabia
e cansado de mim julgava que era o mundo
um vácuo atormentado, um sistema de erros.
Amanhecem de novo as antigas manhãs
que não vivi jamais, pois jamais me sorriram.

Mas me sorriam sempre atrás de tua sombra
imensa e contraída como letra no muro
e só hoje presente.
Deus me deu um amor porque o mereci.
De tantos que já tive ou tiveram em mim,
o sumo se espremeu para fazer vinho
ou foi sangue, talvez, que se armou em coágulo.

E o tempo que levou uma rosa indecisa
a tirar sua cor dessas chamas extintas
era o tempo mais justo. Era tempo de terra.
Onde não há jardim, as flores nascem de um
secreto investimento em formas improváveis.

Hoje tenho um amor e me faço espaçoso
para arrecadar as alfaias de muitos
amantes desgovernados, no mundo, ou triunfantes,
e ao vê-los amorosos e transidos em torno,
o sagrado terror converto em jubilação.

Seu grão de angústia amor já me oferece
na mão esquerda. Enquanto a outra acaricia
os cabelos e a voz e o passo e a arquitetura
e o mistério que além faz os seres preciosos
à visão extasiada.

Mas, porque me tocou um amor crepuscular,
há que amar diferente. De uma grave paciência
ladrilhar minhas mãos. E talvez a ironia
tenha dilacerado a melhor doação.
Há que amar e calar.
Para fora do tempo arrasto meus despojos
e estou vivo na luz que baixa e me confunde.


Drummond (1902-1987)

Foto: Antonio Maia



Drummond ganhou de presente um amor no tempo da madureza, como ele diz. Um amor, penso eu, quando ele estava finalmente pronto, pronto para amar diferente. Angústia ou carícia, pronto para receber as duas. Pronto para estar em paz, para que finalmente não seja necessário ferir, nem tolerar.

Essa paz e esse Amor eu vos desejo.

Grandes abraços, e boa semana,

Jason
Cais do Silêncio


Postagens em destaque

Em entrevista, o Poeta e Compositor santareno Renisson Luis Vasconcelos fala de sua arte e do amor que tem por Nossa Senhora da Conceição

Estamos na semana que antecede o Círio 2017 de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Santarém.  Uma semana intensa de preparativos ...