terça-feira, dezembro 25, 2012

REFLEXÕES SOBRE O NATAL 1


Novamente é Natal. Em meio a tantos ruídos que agitam as festas de fim de ano, torna-se conveniente um momento de silêncio para refletirmos sobre o nascimento de Jesus e, assim, celebrarmos o acontecimento de maneira cristã.

O nascimento de Jesus é um fato histórico inconteste.Os evangelhos de Mateus e de Lucas apresentam concordância quanto aos dados históricos relativos ao nascimento e à infância de Jesus, já presentes nas comunidades judaico-cristãs desde os seus primórdios. A nenhum historiador é lícito, pois, ignorar esses dados, mesmo que impliquem uma postura de fé. Tanto Mateus quanto Lucas atestam que uma Virgem chamada Maria, comprometida em casamento com José, filho de Davi, foi destinatária de um anúncio do Anjo do Senhor, cujas palavras lhe asseguravam que, por obra do Espírito Santo, conceberia um filho, a quem imporia o nome de Jesus, que quer dizer "Deus salva".

Conforme o relato evangélico, Jesus nasceu em Belém de Judá, no tempo do rei Herodes, e viveu com seus pais em Nazaré (Mt 1,18-24s.; 2,1-8; 2,23; Lc 1,26-38; 2,4s.; 2,11; 2,39). A Igreja, desde os primeiros séculos, estabeleceu uma data para comemorar o nascimento d´Aquele que entrou em nossa vida para tornar-se companheiro de nossa caminhada, conduzir-nos à autêntica libertação e introduzir-nos no mistério da comunhão com Deus. No século V, já se celebrava em Roma, no dia 25 de dezembro, o nascimento de Jesus. Essa data foi escolhida, provavelmente, para substituir as festas pagãs do "natalis solis invictus"- o nascimento do sol invicto -, que ocorriam no solstício do inverno, quando se iniciava a diminuição da noite e o aumento do dia.

Era a vitória do sol sobre as trevas. Para os cristãos, Jesus Cristo é o verdadeiro sol que não conhece ocaso, o sol que ilumina todo homem (Jo 1,9). Portanto, nada mais natural que, em um processo de inculturação do evangelho, a Igreja, numa sociedade já cristianizada, tenha substituído as festas pagãs em homenagem ao astro-rei por uma homenagem ao verdadeiro Rei, pois nele foram criadas as coisas no céu e na terra, os seres visíveis e invisíveis (Col 1,16). No século XIII, Francisco de Assis, que, a exemplo de Jesus, renunciou às riquezas deste mundo para viver na pobreza e na simplicidade, introduziu o costume de encenar, no Natal, o nascimento de Jesus, para que o gesto do amor infinito de Deus para conosco jamais fosse olvidado.

Mais tarde, a representação cênica foi substituída pelo presépio, armado nas igrejas e nos lares, como ocorre até hoje. A árvore de Natal, de pinheiro, surgiu no século XVI, na Alemanha e nos países nórdicos. Ali, as árvores, no tempo do Natal, castigadas pelo rigor do inverno, se desnudam e parecem sem vida. O pinheiro é a única espécie que resiste ao frio do inverno. Tornou-se, por isso, símbolo do Natal, sinal da vida em plenitude que Jesus veio nos trazer. A coroa do Advento, feita também de ramos de cipreste e ornada com quatro velas, que nos lembram que Jesus é a vida e a luz do mundo, é outro símbolo do Natal.

Na sociedade de consumo de nossos dias, o Natal foi reduzido a uma celebração de caráter meramente social, usada pelo marketing para despertar a ânsia do consumo, estimulada por ceias e presentes, que servem para animar o comércio. Em tal contexto, geralmente se relega ao esquecimento o centro da celebração: o Deus menino que se fez um de nós para se oferecer como vítima agradável ao Pai e, com sua oferta, livrar-nos do mal, dar-nos a vida e fazer de todos nós irmãos, filhos do mesmo Pai.

Celebremos o Natal no louvor e gratidão a Deus, que tanto nos amou, "a tal ponto que nos deu o seu Filho único, para que todo o que n´Ele crer não morra, mas tenha vida eterna (Jo 3,16).Assumamos, pois, o compromisso de defender e promover a vida de nossos semelhantes, elevada por Jesus Cristo a uma dignidade infinita, mas infelizmente tão banalizada em nosso país, tristemente marcado pelo selo da violência e da desigualdade social.

Por: Dom Raymundo Damasceno Assis
BispoAuxiliar de Brasília (DF)



Site : Amai-vos 

MEUS SINCEROS AGRADECIMENTOS

Cidelvan, eu e Nicolle
Hoje, das 07h00 às 08h00 da amanhã foi veiculado na Rádio Rural de Santarém o Programa Especial de Natal do Para Ouvir e Aprender do Projeto Rádio pela Educação.  
A apresentação do programa foi feita por  Nicolle Ferreira e Cidelvan Duarte  com a participação do Núcleo de Leitores e equipe técnica do Projeto.
Agradeço imensamente a  cada um e cada uma que contribuiu com  sua participação para a concretização do Programa Especial.

Lucineide Pinheiro - Inauguração da escola de Tempo Integral Irma Dorthy
Em nome de todas as crianças e adolescentes, que atendemos neste ano,  agradecemos a professora Lucineide Pinheiro, ex Secretária de Educação de Santarém por todo respeito  e carinho que teve  com nosso trabalho em 2012, trabalho esse  de levar a educação por meio do rádio até as escolas  do Município  de Santarém.  Dessa forma contribuindo na construção de uma Educação de qualidade para as nossas crianças e adolescentes da Amazônia.

Agradeço a Deus por mais essa etapa vencida neste ano que se finda.
Obrigado meu Deus por ter dado paciência e coragem para lutar e enfrentar as dificuldades, por ter me nutrido de forças para continuar, quando muitas vezes, senti vontade de abandonar tudo.
 Só tenho a agradecer por tantas coisas boas e superações em 2012.
E já na torcida de que  em 2013 possamos continuar juntos.
Caso isso não seja possível jamais esquecerei os momentos vividos dentro desse espaço lindo!!
Um abraço!!

Socorro Carvalho
Coordenadora de Produção do Projeto  Rádio pela Educação


MENSAGEM DO ROMÁRIO E FAMÍLIA


Queridos amigos,

Que possamos viver o verdadeiro espírito do Natal e os ensinamentos de amor deixados por Jesus se disseminem por todos os lares do Brasil!

Um 2013 repleto de paz, felicidade e saúde!

Esses são os votos da Família Faria:

Romário, Mônica,
Romarinho, Danielle, Raphael, Isabella e Ivy.

DESEJOS DE NATAL


Eu queria ser um artista para perpetuar sua imagem numa obra de arte.
 Retratar todas as linhas do seu corpo, todos os traços de seu lindo rosto, e depois lhe oferecer como presente de Natal. 

Meu amor, eu queria ser um músico para compor a mais linda melodia,
que falasse da sua beleza, e do nosso amor, e depois, cantar para você, como presente de natal...
Meu amor, eu queria ser um ator, para viver ao seu lado, todos os papeis, todas as vidas numa porção de estreias, e oferecê-las como presente de Natal.

Meu amor, eu queria ser até malabarista de circo, virar-me do avesso,
para mostrar-lhe o meu amor. E oferecê-lo para você como presente de Natal...

Mas não sou nada disso! Sou apenas um mortal, que morre de amor por você, e só quer estar ao seu lado neste Natal. 

O presente será tudo aquilo que eu adoro te dar... 
Beijos, abraços, carinho e muito amor.
O presente serei eu mesmo, meu corpo e minha alma, meu coração e minha vida.

Meu amor, eu só queria ser o seu Natal, Te amo.

EU


   *  Linda mensagem!!

Eu... também Te amo... meu anjo azul!!
                          Você não precisa de nenhum tipo de arte  ...
Você é a  essência pura da minha  inspiração.
Seu sorriso é minha  rima de todos os dias...

Postagens em destaque

Em entrevista, o Poeta e Compositor santareno Renisson Luis Vasconcelos fala de sua arte e do amor que tem por Nossa Senhora da Conceição

Estamos na semana que antecede o Círio 2017 de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Santarém.  Uma semana intensa de preparativos ...