domingo, janeiro 06, 2013

O SILÊNCIO DA DOR



E tive coragem de me expor...
Ser mais eu, talvez, mais atrevida,
Livre das máscaras, que fazem de mim a mulher que esperam ver e, sem esconder o que queria

Alma desnuda...
Ousei...
Deixei que de mim... Em mim explodisse o desejo,
Soltei o nó que me apertava
Curei a dor que me espremia o peito
E me entreguei...

E pelo olhar, tentei dizer o que queria...
Usei palavras, usei gestos .
E tentei me desfazer da imagem da mulher
Que sempre soube esperar sem lutas e assim,
Fui me afogando em palavras,
Sentimentos de quem ali...
Não estava disposto a me amar.

Mas não era isso mesmo que eu queria?
Não era isso que eu estava a buscar?
Tentei lutar mas não fui compreendida.

Quem sabe sim mas...
Então fui me fechando,
E sem ter a quem, oferecer o meu carinho
Começa a fazer parte da rotina
O chorar baixinho, antes de dormir,
Porque nessa hora, todo esse silêncio

Traz muita saudade do que grita em mim
Uma dor aguda, pelo abandono,
Um desejo enorme de te ter aqui!!!
Não saberá nunca, quanto me machuca.

Não te quero aqui por ser meu desejo
Eu quero que venha por querer também...
Quem sabe um dia eu possa entender o silêncio teu.

Por enquanto não,
Fico eu no escuro, recordando o encanto
De ter sido tua,
Cheia de saudade,
Chorando baixinho este pranto meu!!!


 Rosalva Rela

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

Chuva que rega saudade...

O dia amanheceu chovendo. Passou nublado. A tarde chegou com um tímido  sol .  Ao meu redor,  vejo rastros de saudade a penetrar me...