SONETO ROMÂNTICO


São infância este amor e seu poder:
na pedra que te vê olho uma rosa,
onde não pisas ouço a murmurosa
queixa dos sonhos que não podem ser;

vejo o teu gesto dar à noite o luar,
conformar vida e morte, e um só momento
dos teus lábios tornar célere ou lento
o caminho do tempo; lanças no ar

os olhos, e repete-se a criação;
do que desprezas faço a luz dos dias:
roubo do chão cacos dos teus espelhos...

E os habitantes do meu coração
vão navegando verdes geografias
nos bergantins dos teus sapatos velhos.

Abgar Renault (1901 - 1995)


* Poema enviado pelo poeta Jason Carneiro, na sessão Quarta é dia de  Poesia .
 Jason é , meu amigo virtual, poeta e autor do blog CAIS DO SILÊNCIO

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Frases picantes que homens gostam de ouvir na hora do sexo

UMA CARTA PARA MEU FILHO AMADO..

ENFIM... MEUS 18 ANOS DE IDADE!!!