quinta-feira, janeiro 10, 2013

SONETO ROMÂNTICO


São infância este amor e seu poder:
na pedra que te vê olho uma rosa,
onde não pisas ouço a murmurosa
queixa dos sonhos que não podem ser;

vejo o teu gesto dar à noite o luar,
conformar vida e morte, e um só momento
dos teus lábios tornar célere ou lento
o caminho do tempo; lanças no ar

os olhos, e repete-se a criação;
do que desprezas faço a luz dos dias:
roubo do chão cacos dos teus espelhos...

E os habitantes do meu coração
vão navegando verdes geografias
nos bergantins dos teus sapatos velhos.

Abgar Renault (1901 - 1995)


* Poema enviado pelo poeta Jason Carneiro, na sessão Quarta é dia de  Poesia .
 Jason é , meu amigo virtual, poeta e autor do blog CAIS DO SILÊNCIO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

Chuva que rega saudade...

O dia amanheceu chovendo. Passou nublado. A tarde chegou com um tímido  sol .  Ao meu redor,  vejo rastros de saudade a penetrar me...