quinta-feira, março 28, 2013

A HISTÓRIA DA PÁSCOA


--



Feliz Páscoa

SOMENTE... FRASES



A verdade dói, a mentira mata, mas a dúvida tortura.

Bob Marley



Você pode até dizer que não entendeu o que eu disse.

 Mas jamais poderá dizer que não entendeu como eu te olhei.

Padre Fábio de Melo



Aquilo que está escrito no coração não necessita de agendas porque a gente não esquece.

 O que a memória ama fica eterno.

Rubem Alves




Nenhuma luta haverá jamais de me embrutecer, nenhum cotidiano será tão pesado a ponto de me esmagar, nenhuma carga me fará baixar a cabeça. Quero ser diferente. Eu sou.  E se não for, me farei.

Caio Fernando Abreu


Abra os olhos. Há encantos escondidos por toda parte. Presta atenção. São miúdos, mas constantes.
                                             
Padre Fábio de Melo

Eu não preciso de ti. Tu não precisas de mim. Mas, se tu me cativares, e se eu te cativar... ambos precisaremos, um do outro.

Antoine de Saint-Exupéry






PALAVRAS TÊM VIDA SE TRANSMITEM SENTIMENTOS...


- Não é justo, as minhas próprias palavras me fazendo chorar! Por que quando leio alguns textos meus, eu me emociono a ponto de chorar? É incoerência chorar com o que escrevi, não é normal!

- Hei, alto lá! Suas palavras, uma vírgula! Depois que saímos de você, da sua mente com ajuda dos ágeis dedinhos, nós pertecemos ao Universo, minha cara escritora...

- Ah, enlouqueci de vez! Minhas escritas estão vivas manifestando pensamentos!

- Alôoo! Puxa vida... Não imaginávamos que alguém de mente tão aberta e cristalina quanto você fosse capaz de dizer uma asneira dessas! Palavra é vida, ela é viva! Respira, transpira e transmite sentimentos. E tem cor e sabor, não sabia disto? Vejo que você tem luz é só no nome mesmo...rs

- Não... Eu não me fiz entender... É que parece tudo tão confuso! Primeiro me fazem chorar, agora me surpreendem com pensamentos tão sabidos... Vocês têm razão, palavras minhas... Não tenho brilho, vocês é que me emprestam as suas luzes. São elas que clareiam meus pensamentos, enchendo-me de ideias, sem vocês, nada sou, sou opaca...

- Ah, não se entristeça... Desculpe-nos as palavras ríspidas, não tínhamos a intenção de magoá-la... Nós amamos você! E... Escuta... Vamos falar a verdade! Sem você, sem suas ideias, somos palavras mortas, sem sentido, sem sentimentos. Somos um aglomerado de palavras inúteis que não conseguem fazer rir ou chorar, alegrar ou emocionar ninguém. Só você, escritora querida, que tem o dom de nos transformar em palavras-sentimentos para deixarmos de ser, tão somente, palavras frias e sem préstimos. Que seria de nós sem a moldura que você nos coloca para enfeitar!

- Agora que me transformo num oceano de choro emocionado...

- Então, deságua em poesia, poemas, prosas, crônicas, contos... O que você faz de melhor!

- Se hoje sou melhor é tudo graças a vocês, palavras para todos os sentimentos e horas! Sigamos sempre unidas e façamos um trato. Empresto meus sentimentos com a garantia de que sejam autênticas e levam para o leitor somente verdades!

- Trato feito, aceito e sacramentado! E, não se envergonhe de chorar quando lê suas próprias palavras... A escritora precisa provar daquilo que oferece e se tocou a criadora é que há mais sentimentos nas letras que seu próprio coração ousa conhecer...

- Tem razão, palavras queridas, só quando os sentimentos se ajeitam em forma de palavras é que consigo me ver melhor por dentro... Obrigada palavras, obrigada por me permitir esvaziar em carinho através das letras e poder levar esse amor além de mim para os olhos do leitor...

Djanira Luz

SENTIMENTOS


O sentimento que somos, acolhe o tempo, perpetua o sempre, distrai o imaginário, guia o espírito e sorri. Enquanto houver sentimento, haverá inovações, renovações, versos, muitos versos, para com eles nos decifrarmos.

Há sentimentos que morrem com a aurora, há sentimentos que perduram por noites inglórias, há aqueles que nos fazem perder a hora, o trabalho, a escola...Há sentimentos plausíveis, há sentimentos resgatáveis, mas há aqueles também perdidos no passado, sem futuro, em luto, embriagados.

A alma nos traz sentimentos, e com eles elaboramos o pensar: o momento de acordar depende da cor do dia. Sentimentos são mutáveis mas não são mensuráveis, nem tampouco dispensáveis. E o viés de um sentimento pode variar cem por cento, conforme aquilo que o instante irradia.

Assim, sentir é pensar duas vezes, pensar os fatos, a realidade, e pensar cá conosco, com nossos botões, aquilo que fica entre nós e as paredes. Para ficar mais claro: sentir é como arremessar uma rede, pesca de todos os tamanhos. O primeiro pensamento é pujança, peixe para alimentar as crianças, a senhora, por semanas. O pensamento seguinte é o ato em si. Jogar fora a raia miúda, aqueles fora de época, os pequenos, os filhotes, os sem sorte, aqueles que aguardam apenas a morte...e por aí vai...

Sentir , afinal, é colorir um pouco a visão, perder um pouco o domínio do chão e fluir, rumo às lonjuras do porvir...
Marcos André Carvalho Lins · Recife, PE
Fonte: Overmundo

EVITAR O SOFRIMENTO



"Privamo-nos para mantermos a nossa integridade, poupamos a nossa saúde, a nossa capacidade de gozar a vida, as nossas emoções, guardamo-nos para alguma coisa sem sequer sabermos o que essa coisa é. E este hábito de reprimirmos constantemente as nossas pulsões naturais é o que faz de nós seres tão refinados. Porque é que não nos embriagamos? Porque a vergonha e os transtornos das dores de cabeça fazem nascer um desprazer mais importante que o prazer da embriaguez. Porque é que não nos apaixonamos todos os meses de novo? Porque, por altura de cada separação, uma parte dos nossos corações fica desfeita. Assim, esforçamo-nos mais por evitar o sofrimento do que na busca do prazer."

Sigmund Freud, "As Palavras de Freud"
Foto: Adrio Denner

Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...