sábado, novembro 09, 2013

VIRTUALMENTE: DE SANTARÉM - MACAPÁ



É noite  de sábado. Estou em casa aproveitando-me da tecnologia para curtir uma das coisas que mais gosto, que é ouvir rádio. Estou aqui ouvindo meu caro e inesquecível amigo Celso Rabelo. Um cidadão que conheci  ainda nos tempos de Tv Ponta  Negra, onde firmamos uma grande e afetuosa amizade.  Hoje, ele está em Macapá, na Rádio Difusora. E neste momento rasgando o eco pelos ares da Amazônia com seu Botequim. Um estilo bem brega, mas a alegria de ouvir e saber que meu amigo está lá brilhando e fazendo muito bem o que tanto gosta,  RÁDIO. É maravilhoso!!

Não tem felicidade maior  do que essa que nos contagia pelo simples fato de ver outra pessoa feliz. E felicidade é o que estou sentindo neste momento. Uma felicidade cheia de orgulho de ouvir o Celso Rabelo. Com esse amigo já pude viver e presenciar muitas histórias, algumas tristes, outras felizes e muitas outras bem divertidas e engraçadas.  Coisas que não tem preço e nada nesse mundo apaga. 

Nos  encontros do projeto Nas Ondas do Rádio no regional,  em Belém e no nacional, em Brasília tivemos a alegria de nos encontrarmos e foi um momento muito legal. Sempre bom ver as pessoas que gostamos. E do Celso eu gosto bastante. Ele é muito companheiro e companheirismo não e todo dia que encontramos. Eu dou  graças a Deus pois tenho esse privilégio de ter grandes companheiros (as). Só tenho mesmo a agradecer a Deus por tudo isso, pelas pessoas e pela inteligência humana que criou a tecnologia que me possibilita vencer fronteiras e me aproximar lá de Macapá, via  rádio online!! Bom demais!! 

Ao Celso só desejo sucesso! É isso ai quem constrói bons alicerces baseados na humildade e na justiça, sem passar por cima das pessoas, só tem que ser abençoado mesmo. O Celso é um exemplo de que a bondade aliada a humildade gera frutos prestigiosos e que se reflete em sucesso de verdade. 
Continuo aqui curtindo o Botequim  hoje apresentado  fora dos estúdios da Difusora de Macapá dentro do projeto Caravana do Botequim... com Celso Rabelo o seu Menino !!!


Socorro Carvalho

A IMPONTUALIDADE DO AMOR



Você está sozinho.Você e a torcida do Flamengo. Em frente a tevê, devora dois pacotes de Doritos enquanto espera o telefone tocar. Bem que podia ser hoje, bem que podia ser agora, um amor novinho em folha. Trimmm! È sua mãe, quem mais poderia?

Amor nenhum faz chamadas por telepatia. Amor não atende com hora marcada. Ele pode chegar antes do esperado e encontrar você numa fase galinha, sem disposição para relacionamentos sérios. Ele passa batido e você nem aí. Ou pode chegar tarde demais e encontrar você desiludido da vida, desconfiado, cheio de olheiras. O amor dá meia volta, volver. Por que o amor nunca chega na hora certa? Agora por exemplo, que você está de banho tomado de camisa e jeans. Agora que você está empregado, lavou o carro e está com grana para um cinema. Agora que você pintou o apartamento, ganhou um porta-retratos e começou a gostar de jazz. Agora que você está com o coração às moscas e morrendo de frio. O amor aparece quando menos se espera e de onde menos se imagina.Você passa uma festa inteira hipnotizado por alguém, que nem te enxerga, e mal repara em outro alguém, que só tem olhos para você. Ou então fica arrasado porque não foi pra praia no final de semana. Toda a sua turma está lá, agarrando-se uns aos outros. Sentindo-se um ET perdido na cidade grande, você busca refúgio numa locadora de vídeo, sem prever que ali mesmo na locadora, irá encontrar a pessoa que dará sentido a sua vida.

O amor é que nem tesourinha de cortar unha, nunca está onde a gente pensa. O jeito é direcionar o radar para o norte, sul, leste e oeste. Seu amor pode estar no corredor de um supermercado, pode estar impaciente na fila de um banco, pode estar pechinchando numa livraria, pode estar cantarolando sozinho dentro de um carro. Pode estar aqui mesmo no computador, dando o maior mole. O amor está em todos os lugares, você que não procura direto.

A primeira lição está dada: o amor é onipresente. Agora a segunda: mas é imprevisível. Jamais espere ouvir "eu te amo" num jantar à luz de velas, no dia dos namorados. Ou receber flores logo após a primeira transa. O amor odeia clichês. Você vai ouvir "eu te amo" numa terça-feira, às quatro da tarde, depois de uma discussão, e as flores vão chegar no dia que você tirar a carteira de motorista, depois de aprovado no teste de baliza.

Idealizar é sofrer, Amar é surpreender.


Desconheço a autoria verdadeira

LINDO TEXTO,VALE A PENA LER....

Praia de Pindobal - Belterra/Pa - Nilson Magalhães

Um casal de jovens recém  casados, era muito pobre e vivia de favores num sítio do interior. Um dia o marido fez uma proposta à esposa:

- Querida eu vou sair de casa e vou viajar para bem distante, arrumar um emprego e trabalhar até que eu tenha condições de voltar e dar a você uma vida mais digna e confortável. Não sei quanto tempo vou ficar longe de casa, só peço uma coisa: que você me espere e, enquanto eu estiver fora, seja fiel a mim que eu serei fiel a você.

Assim sendo o jovem saiu. Andou muitos dias a pé, até que encontrou um fazendeiro que estava precisando de alguém para ajudar em sua fazenda. Ele se ofereceu para trabalhar, e foi aceito. Sendo assim, ele propôs um pacto ao patrão:

- Patrão eu peço só uma coisa para o Senhor. Deixe-me trabalhar pelo tempo que eu quiser e quando eu achar que eu devo ir embora o Senhor me dispensa das minhas obrigações. Não quero receber o meu salário. Quero que o Senhor o coloque na poupança até o dia que eu sair daqui. No dia em que eu sair o Senhor me dá o dinheiro e eu sigo o meu caminho.

AMOR


            Seria o amor, tudo que as pessoas realmente pensam que é? Um sentimento puro, angelical, que nunca se acaba, nem diminui? Uma forma de gostar tão forte, que ultrapassa qualquer obstáculo?           

            A meu ver, o amor, é instável, relativo e tem prazo de validade o “pra sempre” não existe. No entanto, quando ele está lá, instalado no coração, quando ele é sentido de uma forma avassaladora, ninguém duvida de que ele exista.

            Mas perceba, as pessoas até podem ficar até o fim da vida juntos, mas por apego, comodismo, afeto, por não querer destruir o “lar”, arriscando assim sua própria felicidade. Afinal, o amor aquele que se diz forte e intenso acaba. Contudo, isso não quer dizer que o Amor não exista, de forma alguma! Eu acredito que o amor verdadeiro, esteja nas relações familiares, nas amizades. E quando duvido da sua forma angelical, digo isso; pois o amor se dá na convivência diária, na cumplicidade, e de certa forma no dever que as pessoas tem umas para com as outras.

            Tal como mostram as estatísticas, as pessoas cada vez menos acreditam no amor puro, divino, comum nas novelas e contos de fada, e isso pode ser percebido até mesmo ao nosso lado. O ‘pra sempre’ já se foi, e acredito que com ele o amor também.


(Luiza Telexa Espinosa)


GOSTOSO QUERER...



Ele chegou majestoso,
Tocou minhas mãos levemente.
A suavidade do carinho
Manso, remanso a envolver.
A carícia dos dedos,
Tateia  frestas, segredos.
O carinho tímido, o cheiro.
O sabor do beijo.
Brejeiro menino, faceiro.
Delírio,
Desejo.
Vontade fluindo dos poros,
O corpo é chama que queima e lateja.
Acende-se  o cio.
Pele nua...
Sussurros,
Êxtase,
Gostoso   querer .




Socorro Carvalho

Postagens em destaque

Em entrevista, o Poeta e Compositor santareno Renisson Luis Vasconcelos fala de sua arte e do amor que tem por Nossa Senhora da Conceição

Estamos na semana que antecede o Círio 2017 de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Santarém.  Uma semana intensa de preparativos ...