terça-feira, abril 09, 2019

ELEGIA PARA O CANTOR MACHADINHO


Vicente José Malheiros da Fonseca - Magistrado, Professor e Compositor

O cantor Edenmar da Costa Machado, conhecido como “Machadinho”, nasceu em 14 de abril de 1928, em Aveiro (PA) e faleceu hoje, 09 de abril de 2019, em Santarém (PA), com 90 anos de idade.

Era membro vitalício da Academia de Letras e Artes de Santarém (Cadeira nº 21 – Patrono: Joaquim Toscano de Vasconcelos).

Uma das mais belas vozes da Pérola do Tapajós, Machadinho notabilizou-se como seresteiro muito apreciado e seu repertório musical era extenso, tal como Joaquim Toscano e Expedito Toscano, famosos tenores de nossa terra.

Machadinho atuou no 1º Festival de Música Popular do Baixo-Amazonas, como integrante da Comissão Executiva do evento e da Comissão Julgamento do certame, da qual também participei, cuja etapa final foi realizada no Cinema Olímpia, de Santarém, com enorme sucesso e com a participação de numeroso público que lotou literalmente as dependências daquela casa, em dezembro de 1970.

O notável cantor santareno brilhou na extraordinária “Semana de Santarém”, realizada em outubro de 1972, no Theatro da Paz, em Belém (PA), idealizada pelo maestro Waldemar Henrique, sob os auspícios do Governo do Estado do Pará (Fernando Guilhon) e da Universidade Federal do Pará.

Parte das músicas apresentadas nessa Semana estão gravadas no LP “Santarém do Meu Coração”, inclusive o fox “Perfume”, de Wilson Fonseca. Sobre o evento há importante registro, inclusive com as programações respectivas e o noticiário da imprensa, no livro Meu Baú Mocorongo (p. 343-357, volume 1, 2006), de Wilson Fonseca.

Em 1973, um grupo de artistas santarenos – Wilson Fonseca (maestro, compositor, poeta e pianista), Emir Bemerguy (poeta), Edenmar da Costa Machado (Machadinho, cantor e violonista), Antônio Waughan (cantor), Vicente Fonseca (compositor e pianista), Laudelino Silva (compositor e cavaquinista), Moacir Santos (compositor e violonista) e Alfonso Gimenez (fotógrafo) – foi convidado pela VARIG para apresentar-se em Porto Alegre (RS), em 8 de dezembro de 1973, durante a 30ª Assembleia-Geral Ordinária da Fundação "Rubem Berta", quando foram executadas “músicas santarenas”, com enorme sucesso. O concerto virou uma festa. Todos dançaram empolgados com o ritmo contagiante do carimbó paraense. Era 8 de dezembro, dia da Festa de N. S. da Conceição, Padroeira de Santarém e também de Porto Alegre.

Foi realmente um momento de glória para a música santarena, brilhando no extremo sul do país.

Em 1974, o pranteado cantor fez parte de um grupo de artistas santarenos que se apresentou para o Presidente da República Emílio Garrastazu Médici, no Hotel Tropical, em Santarém.

A dupla Machadinho (canto e violão) e Laudelino Silva (cavaquinho) marcou época na história musical de Santarém, em saudosas serenatas e diversos outros eventos culturais, não raro com a participação do talentoso violonista Moacir Santos, notadamente em programas de auditório dirigidos e apresentados por Ércio Bemerguy e Edinaldo Mota; e em memoráveis programas radiofônicos (Rádio Clube de Santarém ou Rádio Rural), apresentados pelo radialista Osmar Loureiro Simões ou pelo poeta Emir Bemerguy.

Machadinho coordenou, por muitos anos, a Comissão do Círio de N. S. da Conceição, Padroeira de Santarém.

Extraio alguns tópicos do Capítulo “Breves Comentários sobre 23 músicas de Wilson Fonseca”, do livro “A Vida e a Obra de Wilson Fonseca (Maestro Isoca)”, de minha autoria, impresso na Gráfica do Banco do Brasil, Rio de Janeiro (2012), em homenagem ao centenário de nascimento de meu genitor, para concluir esta singela homenagem ao amigo Machadinho, com destaque para o fox “Perfume”, uma das músicas da qual ele mais gostava de cantar:
O fox “Perfume” (Wilson Fonseca) foi presente de noivado que meu pai dedicou a minha mãe (Rosilda), em 1939.

A música foi incluída no LP “Santarém do Meu Coração” (Semana de Santarém) – 1972/1973, gravação ao vivo, no Theatro da Paz (Belém-Pará), em outubro de 1972 (...). Intérpretes: Edenmar Machado – Machadinho (canto) e Wilson Fonseca (piano).

O cantor Ray Brito também gravou a música, incluída no LP “Terra Querida” (1977) e no CD “Luar de Santarém” (2000), com acompanhamento do Conjunto Musical “Os Hippies” (arranjo: José Agostinho da Fonseca Neto).

Em 2009, eu fiz um arranjo para Coro a 3 vozes mistas e Piano para esse belo fox; e em 2017, escrevi um arranjo para Quarteto de Cordas.

PERFUME
(Fox)
Letra e música: Wilson Fonseca 
(Santarém-PA, 1939)

Ao beijar as tuas rubras faces em flor,
Senti, meu amor,
De rosas o olor...
E depois, com o coração a palpitar,
Eu fitei a luz do teu olhar,
Onde descobri que eras toda emoção
E tinhas, então,
Por mim afeição!
Guardarei nos lábios meus
O sabor dos beijos teus,
Que conforta e enleva o coração!
...

Nos meus arquivos guardo uma gravação histórica do fox “Perfume” (Wilson Fonseca), interpretado pelo cantor Machadinho (violão), acompanhado, ao cavaquinho, pelo excelente músico Laudelino Silva, que, nestas horas devem estar participando de uma maravilhosa seresta lá no Paraíso. A gravação foi registrada pelo poeta Emir Bemerguy.
Ouça a música:
Descanse em paz, caro amigo e confrade Machadinho!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

ARTE SANTARENA NO CÉU

No dia do aniversário de Santarém!! Turma lá de cima se uniu para fazer essa tela aí!! Dedo de Elias do Rosário, seu Lili!! Sob a ...