segunda-feira, julho 13, 2009

SÓ UMA PAUSA....

“A vida necessita de pausas”, já dizia Drummond.
Vou
dar uma pausa em minha vida (cotidiana) pra tirar umas longas férias... de mim.
Ou, pelo menos, tentar...

Mas na verdade quero mesmo é me afastar um pouco daqui
desses meus momentos de inspiração...
É que...
Nos últimos dias o sol anda distante da minha janela,
O ar que ando respirando
já não tem o mesmo perfume que tanto me inspira...
O vento já não sopra a mesma melodia...
A rima foge, os versos se desfazem e a poética dá espaço aos devaneios...
as lembranças... e uma grande saudade...
Criei esse espaço com o objetivo de divagar nas loucuras da minha insensatez, nos labirintos da minha emoção através dos poemas, assim ancorar na imaginação e escrever.
Sem férias e sem pausas.
Por isso, em cada espaço disponível e num tempo livre lá estou aqui enchendo de escritos. Falando de um amor lindo que tenho no coração, deixando carinho pra quem gosto e até colocando textos interessantes para partilhar com as pessoas que, junto comigo, navegam nessa viagem de sonhos e inspirações. Viagem que adoro fazer todos os dias, em qualquer momento, em todas as estações.
Mas de vez em quando precisamos pausar para realimentar novas esperanças e quem sabe firmar os pés rumo a outras direções e etc. Por coincidência, do destino, nesse mês de julho ganhei umas férias do trabalho e que, não tenho dúvidas, chegaram na hora certa!
E vou dar um tempo pra mim...
Não irei abandonar meu blog, apenas curtirei uma “folga” ( tenho mil coisas a fazer).
De vez em quando virei aqui para postar alguma coisa, contar como andam as coisas, ou sonhar...porém, sem aquela disciplina de ter coisa nova todas as manhãs.
Esse mês não quero ter obrigação de escrever...mas sim, quero só tentar relaxar.
E gozar!! Minhas férias é claro!!!
Ou, pelo menos tentar...


LUA ADVERSA

Tenho fases, como a lua
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha
Fases que vão e que vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.
E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém
(tenho fases, como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...


Cecília Meireles

EI DUDU...PARABÉNS!!! DOLO VOCÊ, SABIA???

Parabéns pra você!!!
E tenha certeza de uma coisa:
Você é Especial em meu coração, todos os dias!!!
E o mais importante, tenho muito carinho, respeito e admiração pela grande pessoa que você é, sabia?
Deus ilumine seus passos, conduza sua vida e proteja sua existência SEMPRE!!
E tem mais...
Prefiro seu sorriso, viu!
A tristeza não combina com você.
Gosto da luz que você emana do seu sorriso que tanto gosto de ver.
Prefiro as suas gargalhadas que o silêncio triste que aprisiona, muitas vezes, sua alma.

Um beijo carinhoso e cheio de muitas saudades!!!

Com carinho da sua cunhada, cá de longe...

Socorro Carvalho

PARABÉNS ALVINHO!!!

Lindo!!!
Como um novo alvorecer
É seu sorriso.
Seu encanto é doce
Como néctar das flores que enfeitam nossas primaveras.
Sua inocência é singela
Como a mais suave poesia inspirada no por do sol.
Sua existência é majestosa, preciosa
Assim como o grande astro SOL
E num simples existir
Ilumina nossas vidas.



Parabés pra você, Álvaro Heleno!
Obrigada Deus pela Dádiva de me permitir
Ter sua presença, Alvinho, sempre perto de mim...
Aqui, bem dentro do meu coração
E no contexto da minha mais nobre oração...
Te Amo!!
Um beijo da dindinha pela alegria e celebração do seu aniversário!!!
Com carinho
Socorro Carvalho

A ESTRADA



A vida é como uma poesia,
Que fala das flores, do céu, do mar
Como uma can­ção que fala do mar, do suor
Da chuva lavando a terra seca
Levando pra longe o cheiro das paixões…

É como o perfume que embriaga a alma
E vai deixando em cada tempo um rastro de saudade,
Como o vento que espalha no ar o cheiro doce dos abacaxis de verão,
Trazendo o sabor das tortas da vovó

A vida é como as nuvens que vem e passam
As vezes trazendo a bonança
O colorido da primavera,
As vezes o cinza triste das manhãs de outono

E eu vejo os verões passando
Tudo se transformando sem ti,
Até a velha canção da infância soa diferentemente
Agora já não me parece falar realmente de amor...
Nem tudo que brilha é ouro,

E eu vou ficando sem ti na beira da estrada,
Perdida por aí,
Mas me encontrando no fundo do espelho,
Onde todos os segredos venho guardando,
Como um enorme tesouro a ser descoberto pela humanidade
Que não se importa com o que sinto

Mas assim é a vida,
Um imenso mistério,
Um caminho a ser traçado...
Cada um por si vivendo a própria história
Deixando marcas nas eternas poesias de amor,

Que deixa o peito dos leitores eternamente saudosos,
Que passam seus olhos sobre estas letras tortas,
Mas que só não pode parar de mar...





Rosi Sobotková
Praga, 11 de julho de 2009.


Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...