quinta-feira, novembro 25, 2010

MAGIA DAS CORES É O BLOG DA RÔ ALMADA


Leitora assídua do meu blog

Rô Almada torna-se a partir de agora a mais nova blogueira.

Com arte e delicadeza mostra todo o talento que recebeu de Deus.

A você, Rô!!
 
Todo meu carinho e votos de sucesso e entretenimento

nesse mundo fascinante da Blogosfera.



Um grande beijo





Help




http:/cor-da-magia.blogs.sapo.pt

LEMBRE-SE QUE...

" Há homens que lutam um dia e são bons,

Há outros que lutam um ano e são melhores,

Há aqueles que lutam muitos anos e são muito bons.

Porém, há os que lutam toda a vida.

Estes são os imprescindíveis"

(Bertold Brecht)


FESTA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO - OUTRAS PROGRAMAÇÕES DENTRO DAS FESTIVIDADES 2010

Romaria da Feliz Idade

Na sexta-feira 3 de dezembro será realizada a 3ª Romaria da Feliz Idade. Será às 18h com saída da igreja de N. Sra. das Graças e chegada na catedral de N. Sra. da Conceição. Todos os idosos de Santarém podem participar. A romaria faz parte das homenagens à padroeira da Diocese de Santarém.

16ª Caminha de Fé com Maria

Nos dias 04 e 05 de dezembro, vai acontecer a 16ª Caminhada de Fé com Maria, com saída da igreja de Santo Antonio em Mojui dos Campos, às 20h do dia 04 e chegada pela manhã do dia 5 na praça da Matriz, num percurso de 37km. São aguardados aproximadamente 50 mil caminhantes.


Show da cantora Joana

Como parte da programação cultural da festa de N. Sra. da Conceição, terça-feira dia 7 de dezembro, acontece o show da cantora Joana. Será na praça da matriz com início às 22h. Em seu repertório, a cantora irá apresentar canções em homenagem à Nossa Senhora.


Informações: Ercio Santos - Coordenador da Pastoral de Comunicação da Diocese de Santarém
Foto; Arquivo pessoal

SANTARÉM VIVE CLIMA DO 92º CÍRIO

Tudo pronto para a realização do 92º Círio em homenagem à Nossa Senhora da Imaculada Conceição, padroeira da Diocese de Santarém. Neste sábado dia 27/11, acontece a transladação da imagem com saída da Catedral para a igreja de São Sebastião, às 19h, em procissão luminosa. Foram confeccionados 1.500 castiçais que serão usados na procissão. Os objetos foram produzidos pelas mães das crianças que participam do Projeto de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI.

Durante o trajeto Nossa Senhora receberá homenagens de fiéis e devotos. Na chegada, acontece a celebração Eucarística presidida pelo bispo da Diocese, Dom Esmeraldo Farias.

No domingo,28, dia do Círio, às 06h será realizada uma celebração com a presença dos cordeiros (pessoas que caminham na corda). Às 07h Começa a caminhada: saída da igreja de São Sebastião percorre a Av. São Sebastião, Av. Cuiabá, Av. Tapajós até à praça da Matriz, num percurso de 7 km. Na chegada, continua a celebração Eucarística, presidida pelo bispo, Dom Esmeraldo.

A corda deste ano (azul em nylon) será a mesma que foi usada por 10 anos nos círios anteriores. É uma homenagem da Comissão do Círio e Berlinda ao senhor Edenmar da Costa Machado, o “Machadinho”, quando foi coordenador da Comissão por 30 anos.

De acordo com a coordenação da festa, a previsão de chegada da imagem à praça da Matriz é por volta das 11h15min.

Durante o percurso, estão confirmadas 18 homenagens, incluindo a do Sindicato dos Estivadores de Santarém que é uma das mais aguardadas e tradicionais.

A festa destaca o tema: “Maria, Mãe Missionária”. Está em sintonia com a missão de evangelização que a Diocese de Santarém está preparando para 2011. A misão será realizada em Monte Alegre, Almeirim, Prainha, Belterra, Aveiro, Mojui dos Campos e Santarém, municípios formam a Diocese.

A festa prossegue até o dia 08 de dezembro, Dia da Imaculada Conceição e Dia Nacional da Família.

Informações: Ercio Santos -Coordenador da Pastoral da Comunicação da Diocese de Santarém

MULHERES SÃO DESTAQUE NO V FÓRUM SOCIAL PAN AMAZÔNICO


“As mulheres são como as águas... crescem quando se encontram.”

O famoso encontro das águas em Santarém, reunindo os Rios Amazonas e Tapajós, deu o mote para o movimento de mulheres da Amazônia brasileira marcar sua participação na abertura do V FSPA. Um grande cortejo cultural, que deverá terminar na orla do Rio Tapajós, no centro da cidade estará sendo preparado e estima-se a presença de mais de cinco mil pessoas, vindas principalmente dos oito países que compõe atualmente a Pan-Amazônia.

Como o dia 25 de novembro é também o Dia Internacional contra a Violência à Mulher, lideranças feministas preparam uma bela manifestação para o evento de abertura. “Vamos mostrar a aliança das entidades femininas indígenas e africanas na defesa das águas”, explica Nilde Sousa, do MAMA (Movimento Articulado de Mulheres da Amazônia). Representando figuras conhecidas de nossa cultura popular, como Iara, Iemanjá, a cabocla Nanã, as mulheres pretendem convocar um grande abraço significando a aliança dos povos, e a defesa da floresta e da terra, além das águas. “O processo de organização do Fórum aqui é diferenciado”, fala Nilde, “pois trabalhamos várias linguagens, já que o povo amazônico expressa-se muito pela música, pelos tambores”.

Casa Feminista

De acordo com as lideranças, as mulheres se organizam para ter incidência em todos os eixos, embora tenham programado debates específicos, como um Diálogo entre feministas e Indígenas sobre o conceito do “bem viver” e o Tribunal “Impactos Ambientais na vida das Mulheres”, que acontecerá no primeiro período de debates, no dia 26, na Câmara Municipal de Santarém. Nilde destaca a diversidade de mulheres da Amazônia que estarão representadas neste FSPA, como as extrativistas, as quilombolas, as camponesas e as “icambiabas”, que são as mulheres guerreiras, conhecidas como amazonas.

Elas estão empenhadas na organização da “Casa Feminista” em uma das escolas que estão sendo preparadas para receber os participantes. Lídia Costa, da Articulação de Mulheres do Amapá, uma das mais entusiasmadas, explica o necessário rodízio a ser feito entre as mulheres, para dar conta das várias tarefas de manutenção da casa, do plantão diário à limpeza, cozinha, primeiros socorros. A “Casa Feminista”- que já tem mais de uma centena de mulheres inscritas - funcionará na Escola Rubens Ludwig, próxima ao Parque da Cidade, principal território do Fórum. Atividades culturais rolarão todas as noites.

Quilombolas

Fortes presenças da organização feminista local vêm do Grupo de Mulheres Quilombolas de Santarém, com lideranças dos quilombos de planalto (em terra firme) e de várzea, como Maicá, Saracura e Arapemã. Além dos indígenas, a população negra é muito forte nos movimentos sociais do Pará, onde existem muitos quilombos. São dez as comunidades em processo de titulação coletiva, como informa Águida Vasconcelos, da Coordenação de educação étnico racial do municipal de Santarém. “Existem 1050 alunos matriculados nas escolas quilombolas”, conta Águida. “O movimento negro é muito organizado”, diz a educadora. “Toda segunda-feira, as lideranças se reúnem na FOQS (Federação dos Quilombos de Santarém), para tratar de suas questões de educação, saúde, território, cultura, etc”. Resultado da diáspora africana para nosso país, e da luta pela liberdade, as quilombolas sabem da sua importância na construção de outra Amazônia possível.

Atualmente a Pan-Amazônia é uma região que se espalha pelo território nacional de oito países ( Suriname, República Cooperativa da Guiana, Venezuela, Colômbia, Equador,Peru, Bolívia e Brasil) e um Departamento da França (Guiana Francesa). Com exceção do Suriname, República de Guiana e Guiana Francesa, todos os demais são países tem o seu poder político e econômico centralizado em outras regiões. Assim, a maioria de suas populações tem sido excluída das principais decisões sobre a Amazônia, território cobiçado internacionalmente, e delegações de todos esses países se farão presentes. São quatro os eixos deste V FSPA: Em defesa da mãe terra e dos territórios; Poder para os povos pan-amazônicos; Direitos Humanos e Cultura, Comunicação e Educação Popular.


Por: Terezinha Vicente Fonte: Ciranda.net



FÓRUM SOCIAL PAN-AMAZÔNICO. ANTECEDENTES HISTÓRICOS


I – O que é o Fórum Social Pan-Amazônico - Antecedentes históricos

1 - O I Fórum Social Pan-Amazônico foi o primeiro Fórum Regional criado dentro da grande articulação do Fórum Social Mundial. Sua 1ª edição foi realizada em 2002, na cidade de Belém e deu fôlego para que os movimentos sociais da Amazônia se articulassem, ampliassem e conhecessem as bandeiras e lutas das organizações da Pan-Amazônia. Foram aproximadamente 1.000 participantes, vindos da Bolívia, Equador, Venezuela, Guiana Francesa, Colômbia e Brasil, além de delegações da Itália, França, Catalunha, Palestina, Canadá.

2 - Após esse processo inicial foram realizados o II (Belém), III (Ciudad Guayana - Venezuela) e IV FSPA (Manaus), ampliando cada vez mais a participação das organizações e agregando atos, marchas, atividades culturais, encontros, caravanas e todos os tipos de manifestação e movimentos que carregam a bandeira do FSPA. Porém, após o IV FSPA, o Conselho Pan-amazônico teve dificuldade de se re-articular, não conseguindo realizar o V FSPA, em 2006 e o processo ficou congelado por um período.

3 - Com a decisão do Conselho Internacional do FSM de realizar o 9º Fórum Social Mundial, na Amazônia, região que é hoje um dos centros da atenção mundial, levando em consideração as mudanças climáticas, o problema dos recursos hídricos, a necessidade da preservação da floresta e das culturas dos povos que aqui habitam, além das transformações políticas experimentadas pelo Brasil e outros países da América Latina justificaram plenamente a indicação da Amazônia e dentro dela, a cidade de Belém do Pará, uma das maiores cidades da Pan-Amazônia, como sede do FSM.

4 - Em 2008/2009 na preparação e durante as atividades do FSM, em Belém, o movimento Pan-amazônico se fortaleceu. Um dos frutos do FSM/2009 foi a realização da Assembléia da Pan-Amazônia, que contou com mais de 400 participantes de organizações e movimentos sociais amazônidas da Guiana Francesa, Peru, Bolívia, Venezuela, Colômbia e Estados da Amazônia brasileira.

5 – Retroalimentados pelo sucesso do FSM e da assembléia da Pan-Amazônia realizou-se em julho de 2009, um encontro geral com 96 organizações e movimentos sociais da Pan-Amazônia, no qual foi revitalizado o Conselho Internacional do Fórum Social Pan-amazônico, cuja primeira ação foi a de preparar o V FSPA, que terá como território, a cidade de Santarém (PA), Amazônia brasileira, uma cidade cujo povo tem a cara e a hospitalidade da Amazônia.


II – Objetivos do V FSPA

• Potencializar o FSM em movimento, garantindo a especificidade das vozes da Pan-Amazônia, dando visibilidade às questões específicas dos povos que aqui vivem, trabalham e lutam;

• Promover a integração entre os processos locais e regionais em curso na Pan-Amazônia, na sua interlocução com outros processos do resto do mundo, corroborando para a autonomia e desenvolvimento da região a partir da promoção, defesa e garantia dos direitos dos povos amazônicos e da justiça socioambiental;

• Possibilitar o protagonismo dos povos da Amazônia: indígenas, quilombolas, ribeirinhos, trabalhadores rurais; viabilizando o debate e a articulação entre as lutas e experiências vividas por eles, fazendo uma reflexão local com o global e mantendo o vínculo entre os temas mundiais e os temas amazônicos.

Fonte: IHU

Postagens em destaque

Maria Maria

Maria, Da lua Herdastes brilho e serenidade. Do sol Juntastes calor e esperança. Doce Maria! De encanto, de amor. Suave como a b...