terça-feira, novembro 08, 2011

CANCIONATA


  Esse rio é uma ida sem volta 
Se  espalha e se solta me deixa na beira,
Água cheia de fatalidade
Navegar mesmo contra  vontade
Queira Deus ou não queira
E nas águas vou eu
Líquen feito a correr
E não tem outro jeito
Na terra do verde Brasil
O azul sinuoso passeia
É a mansa corrente de um rio
Que eu trago correndo nas veias
Caminho de ondas serenas
Meu canto profundo nativo
Eu sei que tu és apenas
Rio Tapajós meu motivo
A vida fosse um rio
E eu uma pequena canoa
Deixava que as águas seguissem
Sair navegando  a toa...

Canto de Várzea



 Uma das músicas do Canto de Várzea que gosto muito. De alguma forma ela me faz navegar no rio profundo da minha imaginação... e assim, tento esquecer esse momento de tanta solidão.Um dia desses , por acaso, no auditório da Ufopa João Otaviano cantava-a .... Viajei!! Meu Deus!! O que faço?!! ( Socorro Carvalho)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

Chuva que rega saudade...

O dia amanheceu chovendo. Passou nublado. A tarde chegou com um tímido  sol .  Ao meu redor,  vejo rastros de saudade a penetrar me...