quarta-feira, novembro 30, 2011

FILOSOFICAMENTE


Seu ceticismo dizia: não.
Seu hedonismo: com prazer.
Estava armada a confusão.
E agora, o que fazer?

A quem recorrer?
Epicuro? Sartre? Zenão? Aristóteles...
Como saber?
Talvez Aquino. Quiçá... Sócrates...

Tanta filosofia...
Tudo o que queria
Era a alma intrínseca
Sem pensar em Sêneca.

Sem mentira, na verdade,
Sem nenhuma antítese
Apenas a integridade
De sua própria tese.

Formulou hipóteses
Dogmas penetrou
Enfrentou as crises
E muito encontrou.


E esse muito se foi fazendo pouco... pouco...pouco...

Lilian Russo



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

DANIELLE LIMA!! PARA VOCÊ, UMA CARTA DO MEU CORAÇÃO... FELIZ ANIVERSÁRIO!!!

Querida filha, Danielle Katrine Hoje, pensei em te fazer um poema!! Rimar versos para te falar do meu amor... Mas como poetizar,...