sexta-feira, novembro 11, 2011

SILÊNCIO


Poemas navegam em agonia
Rimas se afogam no remanso da magia
O vento sopra frio
O sol não tem calor, os raios não tem brilho, nem cor.
A paisagem está em preto e  branco.
Manhã noturna, paisagem escura.
Tudo é silencio.
O peito é nostalgia.
Flores sem cores, fragrância vazia.
Poética adormecida, melancolia.
Fim de tarde...
Silêncio sem poesia.
Enquanto o amor continua a ser rims...
Nas entrelinhas da poética.


Socorro Carvalho



Um comentário:

  1. Anônimo8:08 AM

    Fale, Help!!!!
    Mulher encantadora, poemas deslumbrantes!!! sr
    Boa semana!!
    Rô...

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

Chuva que rega saudade...

O dia amanheceu chovendo. Passou nublado. A tarde chegou com um tímido  sol .  Ao meu redor,  vejo rastros de saudade a penetrar me...