terça-feira, dezembro 27, 2011

RASCUNHOS VÃOS

Já não há mais tempo para espera.
A distancia consumiu a esperança.
O vento já não traz meu aroma preferido...
A saudade se faz companheira do poema solitário.
Minhas mãos são procuras vãs.
Lacunas e lacunas se atropelam.
Tudo está vazio dentro  do espaço, agora infinito.
Devaneios  bobos dedilham   suaves canções.
Procura infinda ...
Finda a inspiração.  


Socorro Carvalho







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

Chuva que rega saudade...

O dia amanheceu chovendo. Passou nublado. A tarde chegou com um tímido  sol .  Ao meu redor,  vejo rastros de saudade a penetrar me...