quarta-feira, janeiro 26, 2011

O TEMPO...

O tempo é o maior tesouro de que um homem pode dispor; embora inconsumível, o tempo é o nosso melhor alimento; sem medida que o conheça, o tempo é contudo nosso bem de maior grandeza: não tem começo, não tem fim; o tempo está em tudo.

Rico só é o homem que aprendeu, piedoso e humilde, a conviver com o tempo, aproximando-se dele com ternura, não contrariando suas disposições, não se rebelando contra seu curso, não irritando sua corrente, estando atento para o seu fluxo, brindando-o antes com sabedoria para receber dele os favores e não a sua ira; o equilíbrio da vida depende essencialmente deste bem supremo, e quem souber com acerto a quantidade de vagar, ou a de espera, que se deve pôr nas coisas, não corre nunca o risco, ao buscar por elas, de defrontar-se com o que não é; pois só a justa medida do tempo dá a justa natureza das coisas, não bebendo do vinho quem esvazia num só gole a taça cheia; mas fica a salvo do malogro e livre da decepção quem alcançar aquele equilíbrio, é no manejo mágico de uma balança que está guardada toda a matemática dos sábios, num dos pratos a massa tosca, modelável, no outro, a quantidade de tempo a exigir de cada um o requinte do cálculo, o olhar pronto, a intervenção ágil ao mais sutil desnível.

O tempo sabe ser bom, o tempo é largo, o tempo é grande, o tempo é generoso, o tempo é farto é sempre abundante em suas entregas: amaina nossas aflições, dilui a tensão dos preocupados, suspende a dor aos torturados, traz a luz aos que vivem nas trevas, o ânimo aos indiferentes, o conforto aos que se lamentam, a alegria aos homens tristes, o consolo aos desamparados, o relaxamento aos que se contorcem, a serenidade aos inquietos, o repouso aos sem sossego, a paz aos intranqüilos, a umidade às almas secas; satisfaz os apetites moderados, sacia a sede aos sedentos, a fome aos famintos, dá a seiva aos que necessitam dela, é capaz ainda de distrair a todos com seus brinquedos; em tudo ele nos atende, mas as dores da nossa vontade só chegarão ao santo alívio seguindo esta lei inexorável: a obediência absoluta à soberania incontestável do tempo, não se erguendo jamais o gesto neste culto raro; é através da paciência que nos purificamos, em águas mansas é que devemos nos banhar, encharcando nossos corpos de instantes apaziguados, fruindo religiosamente a embriaguez da espera no consumo sem descanso desse fruto universal, inesgotável, sorvendo até a exaustão o caldo contido em cada bago, pois só nesse exercício é que amadurecemos, construindo com disciplina a nossa própria imortalidade, forjando, se formos sábios, um paraíso de brandas fantasias onde teria sido um reino penoso de expectativas e suas dores(..)`

(Trecho do livro  Lavoura Arcaica – Raduan Nassar)


O texto está postado no Blog do jornalista  Evandro Oliveira
" SABOR DA LETRA".
Uma ótima opção para quem gosta de se deliciar com os muitos sabores que a Letra pode nos proporcionar.
Quem quiser conhecer é só visitar clicando: AQUI...

MEIO AMBIENTE - A LUTA PARA PRESERVAR O "OURO AZUL" DO RIO JORDÃO

Escassa no Oriente Médio, a água poderá, futuramente, se tornar motivo de guerra. Na Jordânia, técnicos e profissionais alemães de auxílio ao desenvolvimento promovem um uso eficiente do chamado "ouro azul".

O Jordão: de rio cênico a mero filete d'água
A Jordânia é um dos países mais carentes em água em todo o planeta – lá cada habitante só dispõe de 180 metros cúbicos de água ao ano. Devido a esta escassez do chamado "ouro azul", os poucos reservatórios de água do país são explorados tão intensamente que ameaçam o fornecimento a longo prazo – tanto para fins domésticos, quanto para a indústria e a agricultura.

Ambientalistas e profissionais de auxílio ao desenvolvimento alertam que, se o modelo e a dimensão do consumo de água não forem drasticamente alterados, as consequências serão devastadoras para a população e para o meio ambiente.

Dois jordanianos mostram quanto o nível da água já baixou
 Uma lenda seca

Em alguns lugares, como ao longo do próprio Jordão, os impactos da escassez de água são nítidos. O lendário rio é, segundo a tradição cristã, o local onde Jesus foi batizado. E, há incontáveis gerações, o Jordão consta como a principal fonte de água do país. Na década de 1930, antes que o ecossistema sofresse intervenção humana, o rio chegava a ter até 65 metros de largura em alguns lugares.
 
Atualmente, em alguns pontos, resta apenas um filete lamacento de água, critica a organização não governamental Amigos da Terra (FoEME).
 
O rio foi reduzido a "um mero riacho, seco devido ao uso excessivo da sua água e devastado pela poluição". A ONG aponta ainda que o alto grau de salinidade da água fez com que animais como a lontra e árvores típicas região, como o álamo, desaparecessem por completo. A biodiversidade foi reduzida à metade.


Rio Jordão delineia a fronteira entre Israel e a Jordânia
 Má utilização na área rural

Os profissionais de auxílio ao desenvolvimento que trabalham no Oriente Médio também estão cientes do problema de água do país, assim como as péssimas condições em que o rio Jordão se encontra, e procuram ajudar. Um deles é Rudolf Rogg, diretor regional do Serviço Alemão de Cooperação Técnica e Social (DED) no território palestino e na Jordânia.

De acordo com Rogg, o fornecimento doméstico de água é frágil, prejudicado principalmente pela intensa irrigação feita na área rural. E, apesar dos agricultores utilizarem boa parte das reservas disponíveis para regar suas plantações, o seu trabalho resulta em uma porcentagem insignificante no desempenho econômico nacional. Esse aspecto é criticado também por Munqeth Mehyar, diretor jordaniano do FoEME. "Quanto menos agricultura, melhor", afirma ele e alegra-se com o apoio que a sua organização recebe dos alemães.

O DED colabora com o Ministério da Agricultura e Água do país, a fim de desenvolver conceitos agronômicos que economizem água. No Vale do Jordão, por exemplo, bananas são cultivadas em grande escala, o que requer quantidades enormes de água – até em excesso, recrimina Rogg.

"Por isso, é preciso que se diga adeus às plantações de banana, assim como à irrigação nas áreas elevadas do país, e que se retome a economia de pastoreio", justifica. Já começaram reuniões para instruir os agricultores sobre uma forma de mantê-los no nicho rural e, ao mesmo tempo, economizar o precioso "ouro azul".


Agricultores jordanianos recebem assistência de profissionais alemães
Redução das emissões de CO2

Também a distribuição da água no país causa um grande problema. Para solucionar isso, o DED trabalha em parceria com a Agência Alemã de Cooperação Técnica (GTZ) e uma fabricante alemã de bombas d'água para aprimorar o sistema de canalização e bombeamento da Jordânia.

A água proveniente do Vale do Jordão, situado abaixo do nível do mar, precisa vencer um declive de mais de mil metros para ser transportada até a metrópole Amã.

O processo requer um alto gasto de energia e a maior parte das bombas utilizadas já está ultrapassada. Isso faz com que o sistema de distribuição de água se torne não só o maior consumidor energético do país, como também um terrível emissor carbônico, uma vez que a energia demandada provém principalmente dos combustíveis fósseis. Bombas de água eficientes e uma canalização estável trariam, portanto, uma vantagem dupla: resgatariam o Jordão e também o clima.

Autor: Martin Schrader (mdm)
Revisão: Roselaine Wandscheer







JOSÉ ALENCAR É HOMENAGEADO NA PREFEITURA DE SÃO PAULO

O ex-vice-presidente José Alencar se emocionou ao receber no início da tarde desta terça-feira (25) a medalha 25 de Janeiro, na sede da Prefeitura paulistana, no Centro de São Paulo. Em discurso improvisado, Alencar afirmou que, se morresse hoje, estaria feliz.

Participaram da homenagem a presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente Michel Temer, o ex-presidente Lula, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o cardeal arcebispo de São Paulo, dom Odilo Scherer.

A honraria foi entregue pela presidente Dilma. Com a medalha no pescoço, Alencar afirmou: “Estou lutando para não morrer”. O ex-vice-presidente faz há anos tratamento contra um câncer e, por conta da doença, está internado há três meses no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Esta foi a primeira vez que ele saiu do centro médico desde a internação.

“Se eu morrer agora, é um privilégio. Se eu morrer agora, está bom demais”, disse, bem humorado. Alencar pediu mais de uma vez desculpas para a plateia, formada por políticos, assessores e secretários, pelo fato de discursar sentado em uma cadeira de rodas.



Alencar e Lula em evento na sede da Prefeitura
de São Paulo (Foto: Ayrton Vignola / Ag. Estado)

Ele arrancou risos ao brincar sobre seu discurso. “O Lula me lembrou agora: o discurso tem de ser como vestido de mulher. Nem tão curto que nos escandalize nem tão longo que nos entristeça.”

A presidente Dilma Rousseff elogiou a força do ex-vice-presidente e disse que ele é um exemplo de superação. Sobre sua atuação política, afirmou que Alencar “foi um grande vice-presidente, ao lado de um grande presidente, que foi o Lula”.

“Ele é um brasileiro que todo o povo aprendeu a admirar.” Em um discurso cordial, Dilma aproveitou para parabenizar a cidade e os paulistanos e reforçar que as parcerias entre o governo federal e o estado de São Paulo e a capital paulista continuarão.

Alckmin disse esperar que Alencar se recupere o mais rápido possível. “Se Deus quiser, logo logo, vamos poder tomar um gole daquela ‘boa’”, referindo-se às cachaças produzidas no estado natal de Alencar, Minas Gerais.

Kassab, por sua vez, lembrou de uma ocasião em que uma chuva forte alagou diversas ruas da capital. Alencar, presidente em exercício por causa de uma viagem de Lula, ligou para o prefeito e pediu que fosse até o Hospital Sírio-Libanês, onde estava se tratando.

Lá, afirmou que havia telefonado para o ministro das Cidades e que iria disponibilizar recursos para sanar o problema em um córrego. Kassab, porém, não precisou a data nem a região onde ocorreu o alagamento.

Apesar de presentes à cerimônia, Lula, Temer e dom Odilo Scherer não discursaram.





DIOCESE ORDENA MAIS UM PADRE

Tudo pronto para a ordenação presbiteral do diácono Rubinei Valente Coelho. Será na igreja de Sant’Ana, aqui em Santarém (bairro de Santana), às 19h30 desta sexta-feira dia 28. Ele será ordenado padre pela imposição das mãos do bispo diocesano de Santarém/PA, Dom Esmeraldo Barreto de Farias. Comunidades estão se preparando para participar deste momento de alegria na Diocese.


Rubinei é natural da comunidade Aracampina – mini-Área do Ituqui, região de várzea. Filho de família humilde, nasceu no dia 30 de dezembro de 1979. Foi orientador de catequese na comunidade Sant’Ana. No dia 28 de janeiro de 1998 ele entrou no Seminário para cursar o ensino médio. Em 2001 iniciou seus estudos de formação em Belém. Fez experiência pastoral em várias comunidades da várzea e do planalto. No dia 06 de março do ano passado recebeu a ordenação diaconal.

Desde criança Rubinei já manifestava, em seus pequenos atos na comunidade, o chamado de Deus para a vida religiosa. Com apoio de sua família e depois de 10 anos de formação ele recebe a Ordem do Presbiterato.

A primeira missa presidida por Rubinei Valente será na comunidade Aracampina, neste domingo,30/01, às 09h.
 
Os contatos para entrevistas podem ser feitos através da  Pascom  pelo telefone 3522-1175  e com o próprio Diácono Rubinei Coelho pelo celular  9149-3181
 
Ao novo padre da Diocese de Santarém ficam os votos de muita luz e perseverança para que possa seguir firme na missão de evangelizar.
 
 
Informações e fotos: Ercio Santos - Pastoral da Comunicação




ARTE SANTARENA - GRUPO DE TEATRO OLHO D ' ÁGUA SE APRESENTA EM ÓBIDOS

O Grupo de Teatro Olho D´Agua da cidade de Santarém está se apresentando em Óbidos, na casa da Cultura, com o espetáculo “Contos, Cantos e Encanto da Região Amazônica”, onde a população obidense foi prestigiar o evento que iniciou nesta quinta feira (20).

O grupo está desenvolvendo um projeto de pesquisa patrocinado pela Mineração Rio do Norte, que percorrerá os municípios de Óbidos, Alenquer e Juruti, apoiados pela Secretarias Municipais de Cultura desses municípios.

Segundo Elizângela, a histórias apresentadas pelo grupo, circulam entre as populações dessas cidades e fazem parte do imaginário amazônico, as quais foram gravadas em áudio e vídeos e algumas foram selecionadas e são contadas durante o espetáculo.

O grupo oferecerá também Oficina de Teatro durante esta semana e quem quiser participar é só procurar o Grupo na Secretaria de Cultura de Óbidos, para se inscrever. A Atriz, pedagoga e acadêmica do Curso de Licenciatura Plena em Teatro, Suelem Santos, é quem irá ministrar a oficina, baseado em um livro que será doado para Biblioteca de Óbidos.

O grupo Olho D´Água é formado Elisângela, Ádrio, Suelem Santos, Berg e Tomé Melo, que estreou no SESC de Santarém e através das sugestão do público, segundo Elizângela, “o Grupo já melhorou bastante as suas apresentações incorporando algumas dessas sugestões”. Uma das histórias apresentadas por grupo “Olho D´água” é a de “João Guimarães” que circula na cidade de Juruti.
Foto: Odirlei Santos

PENSANDO EM VOCÊ

Hoje...
Acordei pensando em você.
Quantos pensamentos
Preencheram minha mente.
E uns bem insistentes
Remeteram-me as inesquecíveis lembranças
Trazendo-me saudade de você.
Uma saudade suave, gostosa
Saudade cheia de encanto...
Lembranças
Com sabor de quero mais.
No ar
A imaginação trazia-me seu cheiro.
A fragrância do seu perfume
Aos poucos ia se espalhando em meu respirar
Perfumando todo o ar ao meu redor
Enchendo de aroma meus devaneios...
Era a saudade me tocando de jeito.
Eram as lembranças (suas)
Embriagando-me em meio aos travesseiros.
Na boca
Ainda estava o sabor do seu beijo.
O sabor de você,
Dos seus mistérios e desejos.
Em minha pele
A leve carícia de suas mãos
Tatuava meu corpo inteiro...
Fecho os olhos
E fico a divagar na imaginação
Viajo na distancia...
Para tentar de trazer até mim
Busco seu rosto, sua imagem, seu corpo
E feito miragem
Você vem se agasalhar ao meu lado.
Faz-se utopia da minha poesia.
Mas não importa
A saudade perdura
E só você é minha cura.
Loucura dos meus devaneios.
O dia vai amanhecendo
E eu continuo aqui.
Pensando em você.
Tantas lembranças suas,
Tantos momentos nossos...
Guardados dentro de nós.
As horas vão se passando
E eu continuo aqui
Flutuando em sua miragem
Respirando seu cheiro
Viajando em sua paisagem
Na embriaguez
Do seu perfume sinto-me extasiar...
Naquele aroma de pecado e perdição
Enlouquecendo meus sentidos
Fazendo-me esquecer da razão.
Ah, amor inesquecível...
Hoje acordei
Pensando em você.

Socorro Carvalho




Postagens em destaque

VERSOS, PARA MEU NETO...

Um dia você chegou... Trouxe consigo o melhor verso. A brisa que acaricia, O vento que embala. Seu sorriso trouxe o alvorecer.   ...