quarta-feira, novembro 30, 2011

EMBARCO NA POESIA...PARA TE ENCONTRAR


Hoje embarco  na poesia para  me transportar até você...
Na madrugada
Quero ser o frescor da manhã
E na mansidão  acordar você  tocando seu corpo inteiro..
No alvorecer
Quero pegar carona no  calor do sol
Para em cada raio poder  tocar seu rosto e aquecer  sua pele .
Quero viajar na brisa e numa leve passagem
Acariciar , em silêncio, cada um dos seus poros...


Hoje queria ser raio, tempestade, trovão.
Para em meio a ferocidade desses fenômenos
Poder gritar seu nome sem nenhum medo ou segredo
Apenas soltando a  voz do meu coração.
Na rima dos meus versos quero ser a alegria mais singela
Para numa canção harmônica celebrar  a riqueza da sua existência.
No  poema silencioso quero esconder o refrão da minha solidão
Ou mesmo ser música para ser sentida  e ouvida com o pulsar do  seu coração.


Hoje   debruço-me na  poesia
Nas asas da inspiração
Para em cada verso
Poder extravasar toda essa saudade de você,
Sem precisar de gestos ou palavras...
Só quero que fique em silêncio
Para ouvir o sussurro da minha poesia...
A me levar até você.

Socorro Carvalho



FILOSOFICAMENTE


Seu ceticismo dizia: não.
Seu hedonismo: com prazer.
Estava armada a confusão.
E agora, o que fazer?

A quem recorrer?
Epicuro? Sartre? Zenão? Aristóteles...
Como saber?
Talvez Aquino. Quiçá... Sócrates...

Tanta filosofia...
Tudo o que queria
Era a alma intrínseca
Sem pensar em Sêneca.

Sem mentira, na verdade,
Sem nenhuma antítese
Apenas a integridade
De sua própria tese.

Formulou hipóteses
Dogmas penetrou
Enfrentou as crises
E muito encontrou.


E esse muito se foi fazendo pouco... pouco...pouco...

Lilian Russo



QUASE


Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase.

É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi.
Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou.

Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono.

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz.
A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai.

Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza.

O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si.
Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém,preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer.

Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo.
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance.

Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar.
Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

(Autoria atribuída a Luís Fernando Veríssimo, mas que ele mesmo diz ser de Sarah Westphal Batista da Silva, em sua coluna do dia 31 de março de 2005 do jornal O Globo)

AMANHECER


Ouço bater o teu coração nesta manhã
em que uma luz de argila constrói o busto
do tempo, que um dia descobrirás dentro
de ti, e onde irás reconhecer um rosto
outrora amado. Mas não esperes; o dia de hoje é
o dia que desejas, e não é todas as manhãs
que esta luz te abraça com o seu fulgor
de ave, convidando-te a partir até ao fim
da terra. Não precisas de levar contigo
mais do que o sorriso que se abriu
no instante em que o sol nasceu; e
poderás enchê-lo com as palavras que
tantas vezes esboçaste, sem as dizer,
e agora fazem parte dos teus lábios
como a flor, que pertencia ao caule de onde
a cortei, para a deixar na mesa
que ficará vazia.

Nuno Júdice (1949 - )
 Foto: Município de  Faro 

O SENTINDO DA VIDA


Você já reparou como é difícil, algumas vezes, ter respostas para algumas dúvidas do dia a dia? Ter respostas para essas perguntas que nos surgem quando estamos na fila do supermercado, ou escovando os dentes ou parados no sinaleiro, dentro da condução?

Você já não teve dessas perguntas que, um dia, sem pedir licença, entram em nossa mente e ficam rodando, rodando, até que desistimos delas, ou as guardamos no fundo, bem no fundo do baú de nossa mente?

Quem de nós já não se perguntou por que nascemos em situações tão diferentes? E quanto às nossas capacidades, será que Deus nos criou assim tão diferentes uns dos outros?

E por que Ele permite haver uns na Terra com tanto e outros com tão pouco? Ou ainda, por que pessoas boas sofrem, passam por provas, por dificuldades, dores?

Se Deus é soberanamente bom e justo, se Deus é, na profunda síntese do Evangelista, amor, qual a razão disso tudo? Qual o sentido de todas essas coisas, aparentemente tão incoerentes?

Na verdade, quando essas perguntas nos surgem, é nossa intimidade buscando respostas para o sentido da vida. São perguntas que a Filosofia vem se fazendo desde há muito, e que refletem o anseio que cada um de nós traz na intimidade: Afinal, qual o sentido da vida? Por que estamos aqui?

Deus, ao nos matricular na escola da vida, deseja de nós que o aprendizado aconteça. Como todo pai ao matricular seu filho na escola, Ele espera que aprendamos a lição.

Nos bancos escolares, nos matriculamos para aprender a escrever, a manipular os números, a entender um pouco as leis da Física, da Química e de tantas outras ciências. E na escola da vida, o que temos que aprender?

Jesus, no Seu profundo entendimento das Leis de Deus, foi firme ao nos ensinar que o maior mandamento da Lei do Pai é o do amor.

Assim, podemos entender que, quando matriculados na escola da vida, na escola que Deus nos oferece, Ele espera de nós essa única lição: aprender a amar.

Dessa forma, todas as oportunidades que a vida nos oferece, são oportunidades para aprendermos a amar. Seja na situação financeira difícil, ou no físico comprometido, estão aí, para nós, as melhores lições para amar.

A doença que nos surge, de maneira inesperada, é o convite à resignação e fé. O chefe difícil, intempestuoso, nos convida à compreensão.

O filho exigente é a oportunidade da paciência e do desvelo. O marido tirano, a esposa intransigente são os portadores do convite à humildade e compreensão.

A cada esquina, o que a vida nos oferece, seja da forma como ela nos oferece, sempre traz consigo oportunidade bendita do aprender a amar. Você já reparou nisso?

E o aprender a amar se faz no exercício diário desse sentimento, desdobrado nos inúmeros matizes que ele guarda em si, nas mais variadas virtudes que ele permite ser vivido.

Seja onde a vida nos colocar: no corpo doente, no lar carente, na família difícil, ali estará nossa melhor lição para amar.

Tenha sempre em mente que o maior sentido da vida é conseguir perceber e entender que ela guarda, em cada oportunidade, em cada desafio que nos oferece, bendita lição para aprender a conjugar o verbo amar.

Autoria desconhecida
Foto: António Maia

A IMPORTANCIA DA AMIZADE


Um jovem recém casado estava sentado num sofá num dia quente e úmido,
     bebericando chá gelado durante uma visita à casa do seu pai. Enquanto
     conversavam sobre a vida,  o casamento, as responsabilidades, as
     obrigações e deveres da pessoa adulta, o pai remexia pensativamente os
     cubos de gelo no seu copo, quando lançou um olhar claro e sóbrio para
       seu filho, e disse:     Nunca se esqueça de seus amigos! - aconselhou
     Serão mais importantes na medida em que você envelhecer.
     Independentemente do quanto você ame sua família, os filhos que
     porventura venham a ter, você sempre precisará de amigos. Lembre-se
     de, ocasionalmente, ir a lugares com eles; divirta-se na companhia
     deles; telefone de vez em quando...
     Que estranho conselho - pensou o jovem. Acabo de ingressar no
     mundo dos casados.
       Sou adulto. Com certeza minha esposa e minha família serão tudo
     o que necessito para dar sentido à minha vida! Contudo, ele seguiu o
     conselho de seu pai. Manteve contato com seus amigos e sempre
     procurava fazer novas amizades.
     À medida em que os anos se passavam, ele foi compreendendo que
     seu pai sabia do que falava.
     À medida em que o tempo e a natureza realizavam suas mudanças e
     mistérios sobre o homem, os amigos sempre foram baluartes em sua vida.
 Passados mais de 50 anos, eis o que o jovem aprendeu:
            O Tempo passa.
            A vida acontece.
            A distância separa...
            As crianças crescem.
            Os empregos vão e vêem.
            O amor se transforma em afeto.
            As pessoas não fazem o que deveriam fazer.
            O coração para sem avisar.
            Os pais se vão.
              Os colegas esquecem os favores.
            As carreiras terminam.
            Mas os verdadeiros amigos estão lá, não importa quanto tempo nem
            quantos quilômetros tenham afastado vocês.
            Um amigo nunca está mais distante do que o alcance de uma
            necessidade, torcendo por você, querendo-lhe bem, abençoando sua vida!
            Quando iniciamos esta aventura chamada VIDA, não sabemos das
            incríveis alegrias e tristezas que experimentaremos à frente, nem
            temos boa noção do quanto precisamos uns dos outros...
            Mas, depois de muitos anos já sabemos muito bem o quanto
            cada um foi importante para nós!



 Desconheço a autoria
Foto:   António Maia

SHOW CANTANDO CHICO SERÁ REAPRESENTADO


No próximo sábado, 03 de dezembro, no auditório da Casa de Cultura, alunos do Projeto Arte na Escola da Gente, da Prefeitura de Santarém, reapresentarão o show Cantando Chico, evento que terá o objetivo de valorizar a Música Popular Brasileira, por meio de interpretações dos alunos da rede municipal de ensino e artistas locais.

No show, os estudantes interpretarão canções do cantor e compositor Chico Buarque, retratando a mais pura concepção da cultura brasileira, mostrando o cotidiano juntamente com toda luta e simplicidade do povo.

O Show Cantando Chico iniciará às 20h e a entrada do público será franca.

O Projeto Arte na Escola da Gente é desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação e Desporto (SEMED).

Fonte:  Nelma  Bentes
Assessora de Comunicação da Prefeitura



DOM ESMERALDO É NOMEADO NOVO ARCEBISPO DE PORTO VELHO

Dom Esmeraldo  Barreto de Farias

Na manhã desta quarta-feira(30), às 08h, o povo da Diocese de Santarém/PA foi surpreendido com a notícia de que o Papa Bento XVI, através da Nunciatura Apostólica no Brasil, nomeou  Dom Esmeraldo Barreto de Farias –bispo diocesano – como o novo Arcebispo da Arquidiocese de Porto Velho/RO.  Ele será o sucessor de Dom Moacyr Grechi que pediu renúncia, em conformidade com o cân. 401.1 do Código de Direito Canônico.
A nomeação  foi publicada  através de uma coletiva aos meios de comunicação de Santarém.  No estúdio da Rádio Rural de Santarém, emissora da Diocese, Dom Esmeraldo estava visivelmente emocionado quando leu sua carta de agradecimento ao povo da Diocese, em alguns momentos, foi ajudado pelo diretor da emissora, Padre Edilberto Sena, para concluir sua leitura.
Apesar da tristeza, centenas de pessoas manifestaram agradecimento a Deus pelos 4 anos e 7 meses de um trabalho verdadeiramente missionário desenvolvido por Dom Esmeraldo na Diocese de Santarém.    
Ele ainda ficará em Santarém até março de 2012, quando será sua posse em Porto Velho.

A Arquidiocese de Porto Velho
A Arquidiocese de Porto Velho/RO é formada por 13 cidades, com uma população estimada em 675 mil pessoas, distribuída numa superfície de 84.696 km². A maior concentração populacional está na capital Porto Velho, 426 mil. O clero diocesano soma 21 padres e 33 sacerdotes religiosos.
A Arquidiocese possui 26 paróquias, 02 (duas) áreas missionárias e 850 comunidades.
Em 1º de maio de 1925, a então prelazia foi elevada à categoria de Diocese, e em 4 de outubro de 1982, à categoria de Arquidiocese Porto Velho.   
O novo arcebispo irá encontrar uma realidade cercada de problemas sociais e ambientais, sobretudo em relação a grandes projetos implantados naquela região como as hidrelétricas de Santo Antonio e Jirau, em fase de conclusão em Porto Velho, que para muitos não têm trazido melhorias para a população local.
Pastoral da Comunicação- Diocese de Santarém
 



Postagens em destaque

VERSOS, PARA MEU NETO...

Um dia você chegou... Trouxe consigo o melhor verso. A brisa que acaricia, O vento que embala. Seu sorriso trouxe o alvorecer.   ...