terça-feira, dezembro 06, 2011

MOMENTOS - PAULO BETTI NO PREMIO 2011 DE TECNOLOGIAS SOCIAIS DA FBB

Momento  tietagem... Paulo Betti autografando minha agenda ...rsrs 

No dia 22 de novembro de 2011, data de premiação da Fundação Bancor foi servido um almoço a imprensa, integrantes da Fundação Banco do Brasil, representantes  de instituições parceiras e convidados.

Eu e Paulo e claro  uma foto para ficar registrado... rsrs

No almoço estava presente também Paulo Betti ator da Rede Globo de Televisão que era o mestre de cerimônia da premiação. Com todo carisma que lhe é peculiar o ator ficou o tempo todo interagindo com turma, sempre num bom bate papo. Depois ele deixou um espaço para a tietagem da mulherada, para autógrafos e fotos.

O almoço antecedeu a entrega do material publicitário e diploma de Tecnologia Social 2011 aos 27 projetos finalistas do Prêmio. Após o almoço ocorreu à coletiva de imprensa que se estendeu até o final da tarde.
A noite, no palco, a recepção e carisma ficaram por conta do ator Paulo Betti que fez uma excelente apresentação  como mestre de cerimônia do evento. A noite de entrega do Prêmio foi realizada n dia 22 de novembro, no Grande Oriente em Brasília DF.  
Socorro Carvalho

ESTRANGEIRISMO



Outro dia me convidaram pra ir ao Mc'Donalds comemos X burger

O salao estava, lotado fizemos os pedidos atraves de um tal de , drive tru

Os colegas percebendo a minha irritação disseram:Se tu estiver com pressa eles tem um sistema de delivery maravilhoso

Desacustumado com esse linguajar chamei os 'cabas':vamos s'imbora.

Seguimos pela avenida Henrique Shaumann, onde pude observar um outdor ,que estava escrito China in box

e uma seta indicativa parking ,nós nao paramos por lá nao.

Seguimos mais adiante avistamos um restaurante bonito e luxuoso e na porta de entrada uma luz neon piscando escrita :open.

quando olhei pro chão pude ver um capacho abandonado com a bandeira americana me convidando : welcome
 ao adentrar á aquele recinto pude observar na decoraçao e nas paredes estavam escritas assim :ice cake ,x egg , x burger e fast food.

Eu pensei comigo :Food na Bahia agente usa numa outra situação.

Do meu lado esquerdo uma garota tomava uma cerveja numa lata vermelha e azul cuja a marca era bud wicer
o camarada que lhe acompanhava com sua long neck Heineken

Do meu lado direito uma loira bonita ,peituda falava pro cabra com uma voz sensual assim :eu trabalho numa relax for men  e ele pergunta pra ela : fica proximo do motel my flowers ? e ela disse : nao baby , fica junto a 
night clube wonderful penetration a fome aumentava juntamente com a raiva e eu não sabia seu eu pedia um hot dog ou um simples cachorro quente 'emputecido' mais uma vez com aquela situação chamei os caboclos : vamos s'imbora

Na saída o manobrista nos recebe e nos entraga a chave do nosso possante veículo um Fusca 68 fabricado em Volta Redonda na época do presidente Jucelino  k
ubitScheck ele olha pra mim e me diz :Thank you sur and have good night
e eu usando toda minha simplicidade e educaçao que aprendi no sertão da Bahia ,eu olhei pra ele e lhe disse :
'' Vá pra puta que lhe pariu ''

Eu gostaria de falar com presidente pra cuidar melhor da gente que vive nesse país
nossa gramatica esta tão dividida tem gente falndo happy , pensando que é feliz

Acabaria com esse tal de estrangeirismo que pertuba nossa lígua e muda tudo de vez
e os mendigos que hoje vivem nas calçadas ensinaria ao brasileiro que aqui se fala o português

Sou simples ,sou composto,oculto ,indeterminado ,particípio, eu sou gerúndio ,fônema sim senhor , adjetivo ,predicado , eu sou sujeito , ainda trago no meu peito esse país com muito amor

Sou simples ,sou composto,oculto ,indeterminado ,particípio, eu sou gerúndio ,fônema sim senhor , adjetivo ,predicado ,eu sou sujeito , ainda trago no meu peito esse país sofredor

Lá no centro da cidade quase que morri de fome tanta coisa ,tanto nome sem eu saber pronunciar é : Fast Food , Delivery , Self Service , Hot Dog , Catchup.

Eu só queria almoçar

Lá no centro da cidade quase que morri de fome
tanta coisa ,tanto nome sem eu saber pronunciar é : Fast Food , Delivery , Self Service , Hot Dog , Catchup


Meu Deus onde é que eu vim parar

'' Oxente problem''





Zé Ramalho

O CAÇADOR DE ESTRANGEIRISMOS


Mal assentaram praça em Santana do Lavradio, os carrancudos sessenta anos do juiz de direito Tiburcino Lopes já não foram gostando. Ao percorrer os primeiros metros da Rua das Acácias, ele logo deu de cara com a mania do pessoalzinho da cidade de botar nome estrangeiro em tudo quanto era estabelecimento, público ou privado, arrumadinho ou avacalhado.


Em cada canto, só se viam placas, plaquetas e tabuletinhas com a afrontosa misturação de letras alienígenas. Assim é que, sobre a porta da mais reles serralheria, ia escrito “McArthur, The Iron Man”, a sapataria era “Le Soulier Bleu”, comia-se no “La Belle Époque” ou no “L’Innamorata Verona”, comprava-se no armarinho “El Torero”. No comercinho santanense grassava um arrevesado linguístico de todas as nacionalidades, até o sânscrito deu sua contribuiçãozinha, já que também o bordel tinha o sugestivo nome de “Kama Sutra”. Mas as meninas e seus predicativos eram genuinamente nacionais...


Aquilo foi um golpe traiçoeiro na boca do estômago da sensibilidade patriótica do Dr. Tiburcino, formado que era na cátedra vernácula do Prof. Alfredo Gusmão, a maior autoridade metonímica e prominalística daqueles idos tempos. Bastou atravessar uma minúscula passagem de madeira sobre o modesto riacho Vermelho e ver escrito “Pont Neuf”, para o insigne magistrado quase ter um troço:

 - Com que, então, esse povinho medíocre é metido a desrespeitador das belezas imemoriais da Língua Pátria brasileira, a língua de Camões e de Vieira! Deixa estar, que, para esse tipo de doença, Tiburcino tem medicina.

Às margens lodosas do riacho, do alto de sua categoria de membro vitalício da Academia Jatobense de Letras, o juiz, empunhando uma invisível espada legalista, proclamou ali mesmo, sentencioso:

- Navegar é preciso, viver não é preciso!

A manhã seguinte só fez aumentar o furo no pisante do meirinho Anacleto, encarregado de distribuir por toda a cidade uma circular normativa de caráter judicial. Nela se ordenava a mudança de toda a terminologia estrangeira no prazo de uma semana, a poder de multa diária, custas processuais e até prisão, com direito a corretivo de borracha.

O povo de Santana do Lavradio gostava muito de sofisticação vocabular, mas gostava ainda mais de cumprir determinação regulatória de ameaçar o bolso e avermelhar costado. Foi assim que em poucos dias o idioma nacional estava ali bem-representado na serralheria “Artuzinho Ferreira, Ferreiro”, na sapataria “O Sapatão”, no botequim “Comido Ninguém Pode”, na casa de carnes “Deu no Lombo”. Até Sueli Viçosa, proprietária da já mencionada casa de tolerância, resolveu se ajustar à nova ordem: o bordel adquiriu o nome de “Cama Sua”.

E o juiz Tiburcino Lopes pôde afinal dormir tranquilo nos braços maternos da nacionalidade castiça.

Fernando Bueno


 Fonte: Releituras

FBB E PARCEIROS INAUGURAM MAIS UM VIVEIRO DO PROJETO SÃO BARTOLOMEU VIVO



O Centro de Recuperação Ambiental (CRA) do Baixo São Bartolomeu – Viveiro do Cerrado será inaugurado nesta sexta-feira, dia 09, na cidade de Cristalina/GO, e faz parte do Projeto São Bartolomeu Vivo, que visa a recuperação de 500 hectares de áreas degradadas às margens da Bacia. Este será o terceiro CRA inaugurado pelo Projeto, que já implantou viveiros no Alto (Planaltina/DF) e no Médio São Bartolomeu (São Sebastião/DF). O viveiro de Cristalina terá capacidade de produzir 75 mil mudas por ano.


Durante a inauguração serão entregues os certificados "Amigos do Rio São Bartolomeu Vivo" aos produtores rurais das cidades de Cidade Ocidental, Luziânia e Cristalina que já haviam recebido mudas nativas do Cerrado e reflorestado trechos do rio que passam por suas propriedades. A Bacia é dividida em alto São Bartolomeu, composto pelas regiões administrativas de Planaltina, Sobradinho e Paranoá; médio, por São Sebastião, no DF; e baixo, composto pela Cidade Ocidental, Luziânia e Cristalina em Goiás. 


O Projeto Rio São Bartolomeu Vivo é uma iniciativa da Fundação Banco do Brasil e do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) executado com a parceria de organizações ambientais não-governamentais como a Funatura, Ipoema, Rede Terra; e instituições públicas como o IFB (Instituto Federal de Brasília - Campus Planaltina). Uma das metas do Projeto, que começou em março de 2010, é o plantio de 1 milhão de mudas nativas do Cerrado ao longo de toda a Bacia do Rio São Bartolomeu, bem como  a recuperação de 500 hectares de áreas degradadas do Rio. O Projeto deverá beneficiar cinco mil pessoas, direta e indiretamente, de 19 comunidades.



Postagens em destaque

Em entrevista, o Poeta e Compositor santareno Renisson Luis Vasconcelos fala de sua arte e do amor que tem por Nossa Senhora da Conceição

Estamos na semana que antecede o Círio 2017 de Nossa Senhora da Conceição, Padroeira de Santarém.  Uma semana intensa de preparativos ...