segunda-feira, março 12, 2012

AS HORAS...


O frio da noite apalpa-me o corpo.
No lençol do tempo, não encontro calor.
O vento sopra murmúrios suaves,
Trazendo-me fantasias.
Entre leves arrepios
Em minha pele despida.

Na solidão do  tempo.
Frio e ardor se misturam, entre versos e reversos,
Perdidos na ânsia  dos meus medos.

A inspiração,
Escondida no escuro do meu íntimo
Transpira e aspira emoções silenciosas.
O grito contido, permanece calado...
Já não se faz poesia.

O poema mudo agoniza.
As horas passam velozes
E em  meu peito
O frio  dos versos, sem rimas.



Socorro Carvalho



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Agradeço sua visita, com breve retorno!! Seu comentário vem somar mais versos em minhas inspirações... grande abraço. Se quiser pode escrever diretamente para o meu email: socorrosantarem@gmail.com

Postagens em destaque

DANIELLE LIMA!! PARA VOCÊ, UMA CARTA DO MEU CORAÇÃO... FELIZ ANIVERSÁRIO!!!

Querida filha, Danielle Katrine Hoje, pensei em te fazer um poema!! Rimar versos para te falar do meu amor... Mas como poetizar,...